Sementes

“Ouçam! O semeador saiu a semear. Enquanto lançava a semente, parte dela caiu à beira do caminho, e as aves vieram e a comeram. Parte dela caiu em terreno pedregoso, onde não havia muita terra; e logo brotou, porque a terra não era profunda. Mas quando saiu o sol, as plantas se queimaram e secaram, porque não tinham raiz. Outra parte caiu entre espinhos, que cresceram e sufocaram as plantas, de forma que ela não deu fruto. Outra ainda caiu em boa terra, germinou, cresceu e deu boa colheita, a trinta, sessenta e até cem por um”. Jesus, em Mc 4:3-8

O Semeador: É aquele que recebe do Senhor a missão de anunciar o evangelho aos necessitados de salvação.

A Terra: É o coração do homem. A parábola conta que existem quatro tipos de solos, ou coração, que têm características diferentes, assim sendo, interferem no resultado final do investimento.

  1. “O solo à beira do caminho”: É o coração vulnerável. Com a semente, que é a palavra, exposta ao pássaro, que representa Satanás, retira a facilmente a palavra para que não venha a nascer.
  2. “O solo rochoso”: É o coração superficial e endurecido. Num primeiro momento demonstra entusiasmo, porém, por não deixarem as raízes da Palavra aprofundar em seus corações endurecidos devido à incredulidade e falta de amor, se escandalizam e apostatam da fé por causa de angústias ou perseguição.
  3. “O solo entre espinhos”. É o coração ansioso e atribulado com riquezas, ambições e preocupações do mundo, colocando-as no lugar de Deus.  A Palavra é sufocada e se extingue do coração.
  4. “A boa terra”: É o coração que ouve atentamente a palavra de Deus e se deixa convencer pelo Espírito Santo, aceitando as orientações para a vida.

Peça a Deus que sonde seu coração e te mostre em qual situação você se encontra para que a Palavra se desenvolva em sua vida.

“Passou a sega, findou o verão, e nós não estamos salvos”. (Jr 8:20)

Oswald Smith, num dos seus muitos livros sobre missões, escreve:

Há quatro coisas que desejo mencionar em relação à colheita. Vejamos:

1.      Há um tempo determinado para ela.

Quando eu era menino, em Embro, costumava ver os trens carregados de colheitas indo em direção às províncias do Oeste do Canadá. […]

Trens especiais para a época da colheita paravam em nossa estação dia após dia e grupos de homens faziam o carregamento. […] com a finalidade de recolher toda a grande produção de trigo. Se não fosse feito com presteza, tudo se perderia. [..]

Tinha que ser na época ou nunca. […]

Acontece exatamente o mesmo em relação à colheita espiritual. Ela também precisa ser recolhida. O Espírito de Deus trabalha em uma comunidade onde o evangelho está sendo pregado e almas sendo salvas. Quando as pessoas resistem à atuação dele, correm o risco de ficarem perdidas eternamente.

2.      Fora de Deus não há colheita

Que isso fique bem claro: o homem pode plantar e regar, mas é Deus quem dá o crescimento. […]

Talvez pensemos que podemos ser salvos quando quisermos. Ou que Cristo nos aceitará quando estivermos prontos. Nada disso é possível. Precisamos aceitar a Jesus Cristo enquanto o Espírito Santo estiver falando em nosso coração. […]

O Senhor não desiste do homem enquanto o homem não desiste dele. […]

3.      A ocasião da colheita

A colheita normalmente é efetuada quando o produto ainda está “devez”, ou seja, nem verde nem maduro. É impressionante como a colheita espiritual segue o mesmo caminho. O Espírito Santo tem agido muito frequentemente no coração de moças e rapazes, período em que a pessoa está no vigor de sua vida. […]

4.      A colheita sempre chega a um fim

“Passou a sega, findou o verão”. Você, caro leitor, está entre aqueles que dirão: “e nós não estamos salvos?” Sabemos o que acontece com o grão ou o fruto que não é colhido. É abandonado no campo e se perde. […]

Cuidado, pode chegar o dia em que não haverá mais colheita para você. […]

Lembre-se, portanto, o que Deus disse: “Meu espírito não agirá para sempre no homem”. […]

Mas nem tudo está perdido. Você pode aceitar a Cristo agora.

Referências:

Oswald Smith, O País Que Eu Mais Amo, Editora Vida.

O Semeador, Plínio Cavalheiro. Blog: Alimento Espiritual. Disponível em: <http://www.ibvidanova.org.br/Devocional/semente.doc&gt;.

Anúncios

7 comentários

  1. PLínio Cavalheiro · janeiro 15, 2012

    Grato pela consideração. Caso queira, visite meu blog: http://buscarorientacao.blogspot.com/
    Abraços.
    Cap. Plínio Cavalheiro

    Curtir

    • Lis · janeiro 15, 2012

      Cap. Plínio Cavalheiro, seus artigos são excelentes!

      Curtir

  2. Edmilson · janeiro 25, 2012

    Menina!!!!!
    Estava procurando fotos de semeadores e por acaso abri no seu blog. Parabéns semeadora!!! Que o Senhor te abençoe e te guarde e que os seus projetos sejam todos por ele, confirmados.

    Curtir

    • Lis · janeiro 26, 2012

      Paz, primo!
      Obrigada pelos comentários!
      Espero que tenha gostado do post!

      Curtir

  3. Edmilson · janeiro 25, 2012

    Desse jeito vou trazer você pra pregar aqui no Alto do Saldanha!!!

    Curtir

  4. Rosangela, luis antonio,willian, Juninho, Mayra, sahra, Rafael · fevereiro 10, 2012

    É perfeito para enxergarmos a realidade.

    Curtir

  5. GENESIA · outubro 6, 2012

    GOSTEI MUITO PARABÉNS

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s