O perigo da comparação: espelho, espelho meu…

“Sim, a Branca de Neve é mais bonita que você.”

Estrago! Alguém mais bonito, mais rico, mais divertido, mais magro, mais turbinado, mais isso, mais aquilo do que eu? Temos aí um sentimento chamado vaidade combinado ao orgulho que provocam estragos terríveis em nossa alma. O que é passageiro é priorizado no lugar do eterno. As coisas mutáveis confundidas com as imutáveis. O ter é mais valorizado que o ser. E o “ai quem dera eu…” e o “se eu…” nos distanciam do que é real, fazem sonhos parecer utopia provocando negativismo e desejos de grandezas.

Numa analogia, isso me faz lembrar de uma história bíblica muito interessante, pois fala sobre o perigo que é fazer comparações entre algo muito melhor do temos.

“Porém muitos dos sacerdotes, e levitas, e cabeça de famílias, já idosos, que viram a primeira casa, choraram em alta voz quando a sua vista foram lançados os alicerces desta casa.” (Esdras 3.12)

Nos tempos áureos do reinado de Salomão o templo foi construído. Sem ruídos de martelos, com os melhores profissionais e os materiais mais dispendiosos. Uma das sete maravilhas do mundo. O povo desfrutou o tempo de paz. Mas, esqueceram que Deus lhes proporcionara tudo isso, ao invés de serem eternamente gratos foram esquecendo de Deus. Resultado: exílio. Setenta anos em terra estranha. E finalmente chegou o momento de retornarem para casa. Alguns céticos, outros jubilantes, outros ansiosos por conhecerem a terra natal. Ruínas. E o templo destruído. O sacerdote Esdras coordena a reconstrução do templo e o povo se empenha. Entretanto, em vez de gritos de alegria os sacerdotes choraram porque compararam épocas, situações e condições financeiras passadas com a atual.

Um perigo! Este tipo de comparação mina o ânimo, causa abatimento e vergonha. Lembramos da conhecida profecia que Ageu trouxe em nome do SENHOR:

“Ainda uma vez, daqui a pouco, farei tremer os céus e a terra, o mar e a terra seca; E farei tremer todas as nações, e virão coisas preciosas de todas as nações, e encherei esta casa de glória, diz o SENHOR dos Exércitos. Minha é a prata, e meu é o ouro, disse o SENHOR dos Exércitos. A glória desta última casa será maior do que a da primeira, diz o SENHOR dos Exércitos, e neste lugar darei a paz, diz o SENHOR dos Exércitos.”
(Ageu 2:6-9)

Quando pensamos que somos o templo erguido pelo próprio Deus para adorá-lo e que ninguém poderá nos destruir, o que devemos ter em mente é que a nossa presente tribulação terrena é leve comparada com o peso da glória vindoura.

“Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente; Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas.” (2 Coríntios 4:17-18)

Você é um ser único, feito para adorar a Deus, com uma missão personalizada. Cumpra os desígnios divinos sem fazer comparações com o passado ou com os rendimentos de outra pessoa. Seja feliz e satisfeito com o que Deus lhe outorgou no tempo presente e com a glória futura.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s