O Presente do Profeta

O presente do Profeta

“O amor…

não busca os seus próprios interesses […].” 1 Coríntios 13:5

A Bíblia conta, em 2 Reis 5, a história de como Naamã, chefe do exército da Síria, foi curado da lepra pela palavra do profeta Eliseu. Naamã oferece presentes a Eliseu que os rejeita. Aqui Geazi, o servo do profeta, ganha destaque como um exemplo negativo. Geazi, servo do profeta Elizeu, comete o grave pecado ao pedir a Naamã alguns dos presentes e escondê-los. Quando Geazi volta a Elizeu, Elizeu diz:

“Eliseu porém, lhe disse: Porventura não foi contigo o meu coração, quando aquele homem voltou do seu carro ao teu encontro? Era esta ocasião para receberes prata e roupa, olivais e vinhas, ovelhas e bois, servos e servas? Portanto a lepra de Naamã se pegará a ti e à tua descendência para sempre. Então Geazi saiu da presença dele leproso, branco como a neve.” 2 Reis 5:26 e 27

Geazi requereu uma recompensa natural para uma obra sobrenatural/espiritual. Não podemos medir o impacto negativo dessa ação na Síria. Já pensou se Naamã chegasse em seu país e dissesse: “Sim, foi de graça!”?  No entanto, pouco tempo depois a Síria entrou novamente em guerra contra Israel.

Há quem afirme – erroneamente – que Geazi foi curado da lepra. Eles associam Geazi com um dos quatro leprosos, descrito em 2 Reis7:3,  que estavam à entrada da porta da cidade de Samaria a qual tinha sido cercada pelos sírios. Que aqueles leprosos, um dos quais seria Geazi, anunciaram as boas novas da retirada dos sírios e Geazi teria sido perdoado e como recompensa teria recebido a cura. Sendo que em Lucas 4:27, Jesus afirma:

Também havia muitos leprosos em Israel no tempo de Eliseu, o profeta; todavia, nenhum deles foi purificado: somente Naamã, o sírio”. Lucas 4:27

Sobre a questão do leproso Números 5:2 diz: “Ordena aos filhos de Israel que lancem fora do arraial a todo o leproso, e a todo o que padece fluxo, e a todos os imundos por causa de contato com algum morto.” Os leprosos declarados imundos deveriam ficar fora da cidade.

Agora vamos para Levítico 13, que aborda sobre a Lei da lepra, em alguns casos os leprosos eram considerados imundos e em outros limpos. No caso de Geazi a lepra o deixou completamente branco, igual a neve (2 Rs 5:27). Em Levítico 13:12 e 13 diz que:

“E, se a lepra se espalhar de todo na pele, e a lepra cobrir toda a pele do que tem a praga, desde a sua cabeça até aos seus pés, quanto podem ver os olhos do sacerdote, Então o sacerdote examinará, e eis que, se a lepra tem coberto toda a sua carne, então declarará o que tem a praga por limpo; todo se tornou branco; limpo está.”

Entendo que Geazi estava leproso, mas foi declarado limpo. Portanto, poderia morar dentro da cidade, poderia conviver com as pessoas, formar família, ter descendência – também leprosa, se apresentar diante do rei, como fez mais tarde ao prestar informações ao rei sobre a propriedade da sunamita (2 Reis 8).

Geazi não foi curado. A punição de Geazi foi permanente e se estendeu à sua descendência (2 Rs 5:27).

A severidade da maldição aponta também à gravidade de se transpassar a palavra do seu senhor Eliseu. Em Números 12 Miriam fica leprosa por 7 dias – a lepra era diferente da lepra de Geazi, mas os motivos de terem ficado leprosos semelhantes: em ambos casos eles se rebelam ao líder instituído por Deus.

Algumas pessoas consideram um profeta como alguém superior ou mais digna que outrem, por isso sentem-se no dever de prestar honrarias. E há profetas que aceitam as honrarias porque não conseguem entender que Deus é quem merece ser glorificado, então permanecem alienadas na ideologia distorcida do sistema. Incautas, chamaria o Pr. Leonard Ravenhill, às pessoas que se submetem a esse perigoso sistema. Um profeta ou um porta-voz de Deus deve ser completamente isento de avareza e frivolidades que chamem atenção para si mesmos. Antes, deve presentear ao Rei, a pureza de um coração disposto a suportar tudo.

Em I Samuel 12 podemos ler o discurso do profeta e líder Samuel declarando que ele não aceitava presentes. O ato de ganhar um boi, defraudar, oprimir e subornar estão inclusos na mesma categoria de pecado. Das ofertas oferecidas a Deus, os sacerdotes tinham a sua porção prescritas pelo próprio Deus, por se tratar de um serviço integral à Sua obra (Leia Levítico 1-10).

O profeta fiel recebe seu salário do próprio Deus, é pela graça e segundo a medida da fé (Rm12:6). Chamo de verdadeiro tesouro aquilo que o dinheiro não compra e somente Deus pode dar:

  • A presença de Deus;
  • A sensibilidade de ouvir Sua voz;
  • O entendimento de Seus propósitos;
  • A paz de espírito ao seguir o Caminho, contrário ao sistema;
  • Almas salvas da destruição;
  • E o maior presente de todos: a preservação e salvação de sua própria alma.

Sua visão não está no que pode receber, ele ama as pessoas assim como Deus e quer levá-las a Ele. Agradar a Deus é seu maior contentamento. E mesmo que passe por testes difíceis e a caminhada seja dura, ele sabe que toda tribulação é leve e momentânea e que um dia verá a Deus sentado no majestoso trono de glória, iluminando a todos com sua luz.

Anúncios

2 comentários

  1. Anne Magali · janeiro 8, 2015

    Esclarecedor! A Palavra de Deus sempre se mostra suficiente em seus 66 livros.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s