Mulheres da Bíblia: Milca, a filha de Zelofeade (N° 4)

Este conto foi inspirado na bela história escrita em Números 27 e 36 e Levítico 12:1-8. Esse post é a quarta sequência de histórias sobre as filhas de Zelofeade, dessa vez Milca protagoniza a cena. O 1º conto foi sobre Macla, o 2º sobre Noa e o 3º sobre Hogla. Boa leitura!

Milca Siquém Zelofeade

Milca havia se divertido durante a gravidez, sem enjoos, aproveitou cada chute do bebê, ela até mesmo rira do desespero do marido quando a bolsa estourou. A situação começou a mudar quando as contrações chegaram. As gotas de suor, o rosto contraído, as lágrimas, as mãos frias e a dor tornavam o quadro do parto aterrorizante para Milca, mas não para Queila, parteira em Israel. Ela estava satisfeita com a dilatação, ajudava Milca a sincronizar o ritmo da respiração e a incentivava com palavras gentis.

Siquém estava agitado e muito preocupado, ficou próximo ao local reservado às mulheres nesse estado. Próximo o suficiente para ouvir os gritos de sua esposa, quanto mais Milca gritava, mais aflito ficava. Ele sentava, para no mesmo instante levantar-se e andar igual a um leão enjaulado, sem qualquer controle ou percepção do que fazia. Iniciava preces, para logo ser interrompido com os gritos de dor da sua esposa. Ele afirmava que estava tudo bem, mas não relaxava e começava a ficar mal-humorado com a espera. Os seus familiares tentavam em vão travar algum assunto para que se distraísse durante o processo, mas desistiram ao perceber que ele só sossegaria ao ouvir o choro do bebê. Quando Milca terminou de dar o grito mais alto a parteira anunciou:
— É um menino!
E logo em seguida o choro vigoroso do bebê fez Siquém rir alto.

Milca recebeu seu filho enrolado em lençóis limpos, ela esqueceu de toda a dor ao contemplar a beleza do pequeno.

— Milca! – Era Siquém que havia invadido o recinto arrebatado de emoção – Ele se parece comigo ou com você?

— Venha e veja por si mesmo. – Ela ajeitou o bebê em seus braços – Acho que ele se parece com o avô.

— Ele se parece com meu pai, Semida?

— Não. Com meu pai, Zelofeade.

Siquém olhou para ela sorrindo:

— Ele será o segundo Zelofeade, é isso?

O bebê produziu um pequeno ruído, os pais riram da objeção do pequeno. Eles guardaram segredo a respeito do nome do filho, só revelariam no momento oportuno.

Enquanto Milca permanecia separada, até que se completasse os sete dias ordenados na lei, ela se deliciava em aprender a cuidar de seu filho, tudo a deixava extasiada, ela aprendia a identificar os tipos de choro dele, e nas primeiras noites mal conseguiu dormir, mas por puro excesso de cuidados. No sétimo dia ela se banhou e preparou o bebê para a cerimônia de circuncisão no dia seguinte.

O pequeno era a mais nova sensação da família. Todos queriam conhecê-lo e levaram presentes para ele. O próprio Siquém circuncidou seu filho:

— Como sinal que você pertence ao Eterno e faz parte da grande nação de Israel, em cumprimento ao pacto de nosso pai Abraão, você será limpo hoje. – Siquém circuncidou o filho e continuou: – Eu te nomeio Zelofeade, filho de Siquém e de Milca, filha de Zelofeade, filho de Gileade, filho de Maquir, filho de Manassés, filho de José, filho de Israel, filho de Isaque, filho de Abraão.

Ele elevou seu filho ao alto, as bochechas de Zelofeade ficaram rosadas, até conseguir chorar e ficar com o rostinho todo vermelho. Os presentes sorriram emocionados. Milca sorria entre lágrimas, achava graça em como Siquém já ansiava ensinar a lei de Deus para seu filho, e chorava agradecida em saber que era mais abençoada do que supunha. A herança dela, a terra, o esposo e o primeiro filho, era um memorial da graça de Deus, que não deixou seu falecido pai sem descendentes.

Após cumpridos os trinta e três dias da purificação de Milca, conforme a ordenança de Deus, a pequena família se reuniu para ir à porta da Tenda do Encontro oferecer um cordeiro de um ano por holocausto e o sacerdote Eliezer abençoou o robusto Zelofeade:

— Que o SENHOR multiplique sua força e te faça crescer em sua tribo. – Virando-se para os orgulhosos pais, ele falou: – E também vos dê mais filhos!

Clique no link para ler a quinta e última história da sequência:
Mulheres da Bíblia: Tirza, a filha de Zelofeade (N° 5)

Clique no link para ler os 5 contos em PDF:
[As Filhas de Zelofeade – PDF]

Anúncios

2 comentários

  1. Rute · janeiro 30, 2016

    Que bela história. Ameeeei!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s