Estudo da Bíblia: Rute

ÉTIMO DO TÍTULO DO LIVRO: No hebraico: Rut, na Septuaginta: Routh. O significado desse nome próprio feminino é colocado como “companheira”, “amiga da beleza”, mas alguns preferem pensar que o significado do nome é desconhecido (CHAMPLIN, 2001).

AUTOR: Anônimo. Segundo uma tradição judaica, o livro de Rute foi escrito pelo profeta Samuel.

DATA: Nos dias dos juízes.

CAPÍTULOS TOTAIS: 4

CONTEÚDO: Narrativa histórica de Rute e Noemi, dividida em 3 partes:

1. A família de Noemi em Moabe (1:1-5)

2. O retorno de Noemi e a ida da moabita, Rute, para Israel (1:6-22)

3. Rute e Boaz (2 – 4)

VERSÍCULO-CHAVE: Rute 1:16
“Disse, porém, Rute: Não me instes para que te abandone, e deixe de seguir-te; porque aonde quer que tu fores irei eu, e onde quer que pousares, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus”.

PERSONAGENS DO LIVRO

ELIMELEQUE (Rute 1:1-2,5) Significado do nome: “Deus é rei”. Esposo de Noemi.

NOEMI (Rute 1:2) Significado do nome: “Agradável”, “Formosa”. Viúva de Elimeleque, sogra de Rute e Orfa.

MARA (Rute 1:20) Significado do nome: “Amargosa”. Noemi pediu para chamá-la por esse nome ao chegar em Belém.

MALOM (Rute 1:2,4; 4:10) Significado do nome: “Adoentado”. Segundo filho de Elimeleque e Noemi, casou com a moabita Rute.

RUTE (Rute 1 – 4) Significado do nome: “Companheira, ou Amiga da Beleza, ou Vistosa”. Viúva de Malom, nora que seguiu Noemi para Israel e lá se casou com Boaz.

QUILIOM (Rute 1:2,4) Significado do nome: “Ruína acabada”. Primogênito de Elimeleque e Noemi, casou com a moabita Orfa.

ORFA (Rute 1:4,14,15; 4:10) Significado do nome: “Pescoço, Juba”. Viúva de Quiliom, nora de Noemi que voltou para Moabe.

BOAZ (Rute 2-4; Mateus 1:5) Significado do nome: “Nele está a força”. Homem honrado, abastado agricultor e valente, morador de Belém, de Judá. Honrou a memória de Elimeleque, casando-se com Rute, a moabita. A coluna esquerda do templo de Salomão ganhou o seu nome.

O PARENTE REMIDOR (Rute 3:12; 4:1) A Bíblia não revela o nome – registra assim: “Ó fulano” – talvez por questões éticas, já que ele se recusou a suscitar nome a memória de Elimeleque, e esse foi o motivo pelo qual Boaz pôde se casar com Rute.

O POVO DE BELÉM (Rute 1:19) Os moradores da cidade ficaram comovidos com a história de Noemi, deram bom testemunho de Rute.

10 ANCIÃOS DE BELÉM (Rute 4:2,11e12) Testemunhas do levirato e abençoadores do novo casal.

AS MULHERES DE BELÉM (Rute 4:14) As mulheres cantaram em homenagem a Noemi e suas vizinhas deram o nome ao filho de Rute e Boaz.

OBEDE (Rute 4:17,21,22) Significado do nome: “Adorador”. Filho de Boaz e Rute, teve como ama a Noemi.

LOCAIS

MOABE
Rute 1:1 → Significado do nome: “Desejo”. Era o país ocupado pelos descendentes de Ló com sua filha mais velha (Gn 19:37) e o local onde Noemi e família passaram mais de 10 anos. Em Deuteronômio 23.3-4, está registrada a ordem do SENHOR que proibia a entrada dos moabitas na assembleia do SENHOR, em virtude do comportamento cruel e injusto com os israelitas, e, em Deuteronômio 7:3, Deus proíbe o casamento dos isaraelitas com outros povos. Champlin (2001), atribui o casamento da moabita, Rute, com Malom, e depois com Boaz, na terra de Israel, por duas causas: ou houve um afrouxamento à ordem quanto aos moabitas, ou ao merecimento de Rute ser uma exceção à regra, devido à excelência de seu caráter e a sua fé em Deus (Rt 1:16).

EFRATA
Rute 1:2 → Efrata era o nome mais antigo de Belém, que ficava na tribo de Judá. Belém significa “Casa de Pão” (em hebraico: בית לחם – transliterado: Beit Lehem). Efrata significa “Terra frutífera” (em hebraico: אפרת \ ה – transliterado: Ephrathah). Judá significa “Louvor” (em hebraico: יְהוּדָה – transliterado: Yehudah).

RESUMO DA HISTÓRIA

1. A família de Noemi em Moabe (Rt 1:1-5): Elimeleque, Noemi e seus filhos, Malom e Quiliom, saem dos campos de Belém, por causa da fome, para os campos de Moabe. Lá Elimeleque morre, e Malom e Quiliom casam com mulheres moabitas, Rute e Orfa. Passaram 10 anos em Moabe, até que Malom e Quiliom morrem sem deixar filhos.

2. O retorno de Noemi e a ida da moabita, Rute, para Israel (Rt 1:6-22): Noemi ouve falar que em Belém havia pão, era a época da colheita de cevada, então ela volta acompanhada de sua nora, Rute. O povo da cidade a recepciona com grande alegria, mas Noemi estava amargurada. Eles tomaram conhecimento dos fatos tristes que acometeram a Noemi. Rute se inteira de como sobreviver em Israel e pede permissão para ser respigadora no campo que a permitissem entrar (Dt 23:25).

3. Rute e Boaz (Rt 2 – 4): Caiu por sorte, a Rute, catar as sobras do cereal no campo de Boaz, homem que tinha parentesco com Elimeleque. Noemi traça um plano para tornar conhecido a Boaz sua responsabilidade de remidor. Boaz ciente dos fatos, resolve a questão, casa-se com Rute e Deus lhes concede um filho. O povo da cidade se alegra com a bênção de Noemi através de Rute. Noemi se torna a ama de Obede.

A SEGA DAS CEVADAS
Rute 1:22 → A colheita da cevada era feita em meados do mês de Abibe, o 1º mês do calendário judaico, que corresponde aos meses entre março e abril, em nosso calendário.

TRIGO TOSTADO
Rute 2:14 → “Certa quantidade das melhores espigas, não maduras demais, são apanhadas ainda com os talos. Estes são amarrados em pequenos molhos. Acende-se fogo com capim e arbustos de espinhos secos, segurando-se sobre o mesmo as espigas, até que quase toda a palha esteja consumida pelo fogo. O grão fica, assim, suficientemente assado para ser comido, constituindo quitute muito apreciado em todo o país.” (THOMPSON apud MORRIS, 1986)

1 EFA DE CEVADA
Rute 2:17 → Equivale a 25kg de cereal.

O LEVIRATO
Rute 4:7 → Quando um homem casado, morria sem filhos, o irmão dele era obrigado a se casar com cunhada e o filho primogênito gerado era considerado filho do homem falecido. Uma cerimônia pública era realizada caso o cunhado se recusasse a cumprir sua obrigação, os pés dele era descalçado, ele era cuspido e envergonhado publicamente, e a casa dele passava a ser chamada de “A Casa do Descalçado” (Deuteronômio 25:5-10).

‘Ruth in Boaz’ Field’, Julius Schnorr von Carolsfeld, 1828

QUALIDADES DE RUTE:

  • Simples

  • Misericordiosa: Se apegou à sogra (Rt 1:14)

  • Firme: Estava de todo resolvida (Rt 1:18)

  • Cheia de fé: Escolheu ser do povo de Israel e servir ao seu Deus (Rt 1:16-17)

  • Tinha iniciativa: Se inteirou de como trabalhar em Belém (Rt 2:2)

  • Submissa: Pediu permissão para trabalhar no campo a Noemi (Rt 2:2)

  • Esperançosa: Acreditava que alcançaria favor de alguém (Rt 2:2)

  • Modesta: Não esperava grandes coisas (Rt 2:10)

  • Humilde: Se prostrou diante de Boaz (Rt 2:10)

  • Grata: Agradeceu ao seu benfeitor (Rt 2:13)

  • Generosa: Guardou o alimento que havia recebido de Boaz e repartiu o ganho do que havia colhido no campo com Noemi (Rt 2:18)

  • Obediente: Obedeceu a tudo que Noemi lhe falou (Rt 3:5)

  • Prudente: Saiu da eira antes que alguém a visse (Rt 3:14)

  • Amorosa: “tua nora que te ama […] te é melhor que sete filhos.” Rute 4:15

QUADRO COMPARATIVO DAS CARACTERÍSTICAS DE RUTE E BOAZ

RUTE

BOAZ

MULHER

GUERREIRO VALENTE

MOABITA

ISRAELENSE

ESTRANGEIRA

JUDEU

POBRE

RICO

VIÚVA

SOLTEIRO

JOVEM

MADURO

RESPIGADORA

ADMINISTRADOR DE SUA PRÓPRIA FAZENDA

“… SOB CUJAS ASAS VIESTE ABRIGAR”
Rute 2:12 → Uma metáfora que significa proteção, da mesma forma que os pássaros eram protegidos debaixo das asas da mãe.

“ESTENDE TUA ABA”
Rute 3:9 → “A colocação do manto sobre uma viúva era maneira de pedi-la em casamento, entre os primitivos árabes. Joüon diz que o costume ainda prevalece entre alguns árabes modernos. KD entende que a palavra se refere a “um pedaço de colcha, referindo-se a que um homem a estende sobre si mesmo e sobre sua esposa”. […] Contudo, “asas” parece mais plausível. Rute havia se colocado sob as “asas” de Javé, quando ela veio a Judá. Agora, ela procura colocar-se sob as asas de Boaz, também. Rute tem algum direito de procurá-lo, em vista do relacionamento familiar.” (MORRIS, 1986).

“À PORTA”
Rute 4:1,11 → A porta era o local designado por Deus para se resolver as questões do levirato (Dt 25:7). A porta desempenhava um importante papel na cidade, funcionando como um fórum romano ou grego ( Dt 22:15,24; 1 Rs 22:10; 2 Sm 15:2; Sl 127:5; Pv 22:22, 31:23; Jr 38:7; Lm 5:14; Am 5:10, 12, 15; ). Segundo Morris (1986), as escavações das cidades de Judá mostraram que as casas eram espremiam no espaço dentro dos muros, então o lugar mais espaçoso era às portas da cidade.

A GENEALOGIA DE PEREZ
Rute 4:18-22 → As gerações citadas abrangem cerca de 642 anos, ou eles viveram muitos anos ou ela não está completa. Champlin acredita tratar-se de uma genealogia representativa da descendência de Perez.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS

BÍBLIA DO PREGADOR PENTECOSTAL. Edição Revista e Corrigida, 4ª Ed. 2009 SBB. SP: Sociedade Bíblica do Brasil, 2016.

A Bíblia em Ordem Cronológica: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA SAGRADA: Nova Versão Transformadora. 1. ed. São Paulo: Mundo Cristão, 2016.

CHAMPLIN, Russell Norman. O Antigo Testamento Interpretado: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Rute. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

CHAMPLIN, Russell Norman. O Antigo Testamento Interpretado: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Dicionário A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7

MORRIS, Leon. RUTE: Introdução e Comentário. Série Cultura Bíblica. Tradutor: Oswaldo Ramos. São Paulo: Editora Vida Nova e Editora Mundo Cristão, 1986.

1 comentário

  1. Pingback: Rute – A Mulher e sua Essência

Obrigada por seu comentário! Ele será lido e aprovado em breve.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s