MULHERES COMO EU: Ester

Esse 7º estudo sobre Ester faz parte da série “Mulheres Como Eu”, um estudo sobre 24 mulheres da Bíblia idealizado por Karina Barber. Para mais informação de como participar desse estudo acesse o site do Cafezinho da Tarde.

📖 Livro selecionado: Ester

Capítulo 1 → O primeiro capítulo descreve a grandeza do líder, Xerxes, e do Império Medo Persa. O imperador estava há 180 dias comemorando seu 3º ano de reinado com líderes militares, príncipes e nobres da Pérsia e da Média; mais 7 dias de comemoração foi acrescentado no jardim interno do palácio a todas as pessoas em Susã. A rainha Vasti também deu um banquete às mulheres, ela é descrita como “muito bonita” (Et 1:11). O rei enviou seus 7 oficiais para que ela apresentasse sua beleza aos nobres, mas ela recusou. Reunidos os 7 nobres sábios da Medo Persa, o rei, que estava com grande indignação, ouviu o conselho sobre como deveria agir pela conduta, ou comportamento, da rainha Vasti. A rainha Vasti desobedeceu publicamente a uma ordem do rei, essa sua escolha foi interpretada como um grave mau exemplo de desrespeito e discórdia para as mulheres casadas do império. Memucã aconselhou o rei de emitir um decreto com 2 determinações, que serviria de exemplo para todas as mulheres do Império Medo-Pérsia, cujo objetivo era proclamar “que todo homem deveria mandar em sua própria casa” (Et 1:22):

  1. A rainha Vasti seria impedida de comparecer à presença do rei para sempre;

  2. Vasti seria destituída e substituída do cargo de rainha.

Capítulo 2 → Quando o rei Xerxes sentiu falta de Vasti, o plano de achar uma substituta foi posto em execução. Belas virgens foram recrutadas para o harém do rei em Susã, aos cuidados de Hegai, para que 1 fosse escolhida a nova rainha. Dentre elas, Hadassa, também chamada de Ester, foi escolhida. A Bíblia a descreve como “atraente e muito bonita”. Mardoqueu, um benjamita, primo de Ester, a tomou como filha depois que ela se tornou órfã de pai e mãe, ele a proibiu de revelar sua identidade e a acompanhou de perto em todo o processo. Hegai ao vê-la providenciou o tratamento de beleza, comida especial, 7 moças e o melhor lugar no harém.

As moças passavam primeiro por um tratamento de beleza que durava 1 ano, quando era escolhida pelo rei era encaminhada ao palácio à tarde, e pela manhã passava para a parte do harém onde ficavam as concubinas do rei, aos cuidados de Saasgaz. A concubina só voltava ao palácio se o rei a chamasse pelo nome. Ester passou por todo esse processo e foi honrada e favorecida da seguinte maneira:

  1. Ester ganhou o favor e aprovação do rei;

  2. Ester foi escolhida como rainha em lugar de Vasti, ganhou uma coroa real e no banquete em sua homenagem todos os nobres e oficiais;

  3. O dia da coroação de Ester foi declarado feriado e todas as províncias receberam presentes.

Mardoqueu descobriu uma conspiração contra o rei e delatou à rainha Ester. O caso foi investigado, comprovado e os traidores punidos.

Capítulo 3 → Esse capítulo introduz Hamã, o inimigo de Mardoqueu e dos judeus. Um plano é traçado para a destruição dos judeus, a sorte do Pur foi lançada para o dia da morte dos judeus, o acordo foi selado com 350 toneladas de prata para o cofre real, que foi celebrado pelo rei Xerxes.

Capítulo 4 → Quando Mardoqueu foi informado do acordo de extermínio aos judeus, ele assumiu posição de humilhação e se dirigiu ao palácio. Os oficiais do reino e servas da rainha Ester fizeram a comunicação entre ela e Mardoqueu. A rainha foi informada do acordo de extermínio e após as palavras persuasivas de Mardoqueu, decidiu proclamar um jejum de 3 dias e 3 noites antes de comparecer à presença do rei para interceder pelo seu povo.

Capítulo 5 → Após os 3 dias de jejum, Ester se apresenta no salão do rei com as vestes reais. O rei muito solícito estende o cetro para ela e atende sua petição de se fazer presente no banquete com Hamã. No banquete, Ester aguça a curiosidade do rei e marca um novo banquete no dia seguinte. Hamã se exalta diante de sua esposa, Zeres, de seus filhos e de amigos, e demonstra seu descontentamento por Mardoqueu. Zeres e os amigos de Hamã sugerem que fosse construído uma forca para Mardoqueu, sugestão esta que foi prontamente atendida.

Capítulo 6 → O rei Xerxes, após o banquete, teve insônia, por isso foi chamado à sua presença os cronistas, estes leram o feito de Mardoqueu em favor do rei. Ao descobrir que Mardoqueu não havia sido recompensado, Hamã – que estava no pátio para pedir o enforcamento de Mardoqueu – foi chamado para sugerir uma forma de como honrar o homem que agradava ao rei. Toda a pompa sugerida por Hamã foi executada por ele mesmo ao homem que ele mais odiava: Mardoqueu. Hamã foi avisado pela esposa e amigos que aquele era o início de sua derrocada.

Capítulo 7 → O segundo banquete de Ester foi servido e o rei, ansioso, ouviu o pedido revelador de Ester. O quadro para Hamã mudou completamente. Ele foi exposto como um traidor do rei e violentador da rainha. Harbona aproveitou e delatou ao rei sobre a forca preparada para Mardoqueu. Furioso, o rei ordenou que Hamã fosse enforcado nela.

Capítulo 8 → Xerxes deu a Ester todos os bens de Hamã, Ester revelou que Mardoqueu era seu parente e o nomeou administrador desses bens. Pela 2ª vez, Ester entrou à presença do rei, dessa vez suplicando aos seus pés com lágrimas para que o rei revogasse o edito de extermínio dos judeus. O rei concedeu a Mardoqueu e a Ester a liberdade de escrever em seu nome o que desejasse, mas não podia revogar o edito. Mardoqueu escreveu aos judeus em todo império que se defendessem no dia 13 do 12º mês. Os povos do império, com muito temor dos judeus, se fizeram judeus.

Capítulo 9 → No dia do extermínio dos judeus, os inimigos que se levantaram para matar os judeus morreram – ao todo 75.510 inimigos. Nos dias 14 e 15 os judeus celebraram a vitória e ficou instituído em decreto nos registros reais o Purim, 2 dias de celebração pela conservação da vida dos judeus.

Capítulo 10 → O último capítulo do livro de Ester narra como o Império Medo Persa foi regido por Xerxes e Mardoqueu.

📖 Purim → O Purim vem da palavra Pur – a sorte lançada para a ruína dos judeus. Mas, como “Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus e são chamados segundo o seu propósito.” (Rm 8:28). A sorte que foi lançada para a morte dos judeus, se transformou na sorte que trouxe vida, honra e proteção a eles. Por isso, se chama de Purim, o dia em que se comemora o livramento e vitória dos judeus sobre seus inimigos no tempo do Império Medo Persa. O Purim foi um decreto feito por Mardoqueu e Ester em 474 a. C. e é comemorado até hoje.

Respostas do Questionário

1. História de Ester:

Uma órfã, benjamita, exilada, bela e atraente, foi selecionada para o harém do rei Xerxes e escolhida para ser a rainha que substituiu Vasti. A rainha Ester interveio, por 2 vezes, salvando vidas, sob a orientação de Mardoqueu, uma em favor do rei, na conspiração dos traidores Bigtã e Teres, e outra em favor de si mesmo e de seu povo.

2. Local em que Ester morou na época e o país na atualidade:

Susã, capital de Elão, é hoje um sítio arqueológico, localizado ao sudoeste do Irã.

3. Significado do nome de Ester:

Ester era chamada de Hadassa, nome em hebraico que significa “Murta”, uma flor. “Ester” era seu nome de cativeiro, de origem persa, e significa “Estrela”.

4. Vida cotidiana de Ester:

• Papel nas Escrituras: O principal papel desempenhado por Ester foi o de salvar o povo judeu, com a ajuda de seu pai adotivo, Mardoqueu.

• Posição Social: Ela se tornou a rainha do Império persa. E pela graça e beleza concedida por Deus em sua vida, ela conquistou uma alta posição para si e para seu primo e pai adotivo Mardoqueu.

• Tarefas Diárias: A tarefa de uma rainha do Império Medo Persa era a de estar pronta para ser chamada pelo rei. Ela tinha servos e servas ao seu dispor e suas servas se tornaram servas do Deus dos judeus devido à influência de Ester. Como rainha, ela tinha que comparecer a eventos oficiais, banquetes e se submeter aos decretos e ordens reais.

5. Relacionamentos de Ester:

DEUS: No livro de Ester não encontramos o nome de Deus. Os judeus estavam subjugados, em cativeiro e certamente eram hostilizados e perseguidos. Contudo, o fato de Mardoqueu afirmar ser judeu e não se prostrar diante de Hamã e também de Ester convocar os judeus para jejuarem 3 dias e 3 noites por ela, percebemos que ali se tratava de uma menção implícita a Deus. Isto mostra um pouco do ambiente hostil em que viviam. O relacionamento de Ester com Deus foi representado pela sua submissão ao primo, sua fé e desprendimento nas palavras “Se perecer, pereci” (Et 4:16), bem como o decreto de gratidão por 2 dias seguidos. Ester foi uma mulher temente e submissa a Deus.

PAI: O nome do pai biológico de Ester é Abiail (Et 2:15); mas, o pai que a criou foi seu primo, Mardoqueu (Et 2:7). Ester e Mardoqueu possuíam um relacionamento de respeito, cuidado e amor.

ESPOSO: Rei Xerxes, ou Assuero, (Et 2:17-18), um esposo apaixonado.

FILHOS: A história extrabíblica afirma que Ester teve filhos com Xerxes, mas nenhum deles subiu ao trono.

PESSOAS ENVOLVIDAS: Vasti, a vilã, que acabou abrindo caminho para Ester; Hegai e Saasgaz, eunucos que cuidaram de Ester durante seus primeiros dias no harém e palácio; 7 servas de Ester; Hatá, servo de Ester; Hamã, o agagita, foi chamado de mau por Ester; Zeres, esposa de Hamã; os 10 filhos de Hamã: Parsandata, Dalfom, Aspata, Porata, Adalia, Aridata, Farmasta, Arisai, Aridai e Vaisata; amigos de Hamã e inimigos do povo judeu espalhados no Império Medo Persa; Harbona, o que delatou Hamã.

6. Testemunho de Ester para mim:

Ester representa a beleza da mulher feminina segundo o padrão divino: submissa, humilde, sábia e corajosa. Ela não pôde escolher com quem se casaria, era uma cativa num país estrangeiro, órfã de pai e mãe, mas era uma mulher de coração temente e grato. Ela tinha grande consideração ao seu pai adotivo e Deus deu a ela condições de recompensá-lo por tudo. Ester foi uma benfeitora dos judeus e até hoje seu nome é lembrado nas comemorações do Purim.

7. Virtudes de Ester:

  • Bela
  • Bondosa e benigna
  • Cheia de graça
  • Corajosa
  • Humilde
  • Inteligente
  • Obediente
  • Sábia
  • Temente

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Ester. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 3.

LISLAND. ESTER NA LINHA DO TEMPO. Disponível em: <https://lisdaiane.wordpress.com/2015/03/04/ester-na-linha-do-tempo/>.

Obrigada por seu comentário! Ele será lido e aprovado em breve.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s