Estudo da Bíblia: Livro do Êxodo 1-15

NOMES, significados, importância:

Sifrá e Puá: parteiras egípcias que temiam a Deus, elas tiveram casas estabelecidas como recompensa pela proteção aos hebreus.

Moisés: tirado das águas.

Reuel: nome do sogro de Moisés, significa “amigo de Deus”.

Jetro: título de honra dado a Reuel, significa “superior” ou “Sua excelência”, à posição sacerdotal de Reuel em Midiã (norte do deserto árabe).

Reuel – Jetro – sacerdote de Midiã, tinha 7 filhas, entre as quais, Zípora foi escolhida para ser a esposa de Moisés.


SINAIS PARA O POVO Êx 4:1-9

VARA X COBRA

MÃO LIMPA X MÃO LEPROSA

ÁGUAS X SANGUE


GENEALOGIAS DE RÚBEN, SIMEÃO E LEVI


ÊXODO 7-12

PRAGAS

DURAÇÃO

QUEM LANÇOU

REAÇÃO DE FARAÓ

Águas se transformam em sangue

7 dias (Êx 7:25)

Arão com a vara fere o rio

Seus magos repetem, coração se endurece

Rãs

1 dia (Êx 8:10)

Arão com a vara fere o rio

Seus magos repetem, mas não fizeram cessar, mesmo assim o coração se endurece

Piolhos

Arão com a vara fere o pó da terra

Seus magos reconhecem ser o dedo de Deus, porém o coração se endurece

Moscas

1 dia (Êx 8:23-24)

Sacrifiquem nessa terra… Não vades longe e orai por mim”, mas o coração se endurece

Pestes nos animais

1 dia (Êx 9:5)

Faraó pediu para constatarem se o gado de Israel havia morrido, mas o coração se endureceu

Úlceras nos homens e animais

Arão e Moisés tomaram cinzas e Moisés espalha as cinzas

O coração se endurece

Chuva de saraiva, com fogo e trovões

Moisés estende a sua vara para o céu

Arrependimento parcial, o coração ficou mais duro

Gafanhotos

Moisés estende a vara sobre a terra do Egito

Só os varões servirão ao SENHOR”, arrependimento parcial, coração duro

Trevas

3 dias (Êx 10:22)

Moisés estende a mão para o céu

Fique o gado”, coração endurecido, “Nunca mais verei o teu rosto”

Morte dos primogênitos

1 noite (Êx 11:4)

O SENHOR passou

Vão embora!”


CALENDÁRIO DA PÁSCOA


Êx 13:2 O SENHOR pede para que todo primogênito lhe seja consagrado. Motivo: Êx 13:15 → Porque o Senhor matou todos os primogênitos na terra do Egito, os primogênitos dos animais sacrificados e os primogênitos dos homens resgatados.

Êx 13:19 Moisés tomou os ossos de José do Egito

Êx 14:19, 24 O anjo de Deus, a coluna de nuvem e de fogo protegeram Israel naquela noite. Ao amanhecer ainda protegeram. A coluna de fogo iluminando somente a Israel, a nuvem atrás do povo bloqueando a luz para os egípcios e o anjo de Deus.

Êx 15:1-19 O cântico de Moisés

Êx 15:20 Miriã: profetisa


JORNADA PARA A TERRA PROMETIDA Êxodo 1-15

Egito → Sucote → Etã → Proximidades de Pi-Hairote, Migdol, Baal Zefom, junto ao mar Vermelho → Mar Vermelho → Mara → Elim

REFERÊNCIAS CONSULTADAS

Bíblia do Pregador Pentecostal. Edição Revista e Corrigida, 4ª Ed. 2009 SBB. SP: Sociedade Bíblica do Brasil, 2016.

CHAMPLIN, Russell Norman. O Antigo Testamento Interpretado: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Êxodo. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 1

CHAMPLIN, Russell Norman. O Antigo Testamento Interpretado: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Dicionário A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7

Estudo da Bíblia: Livro de Gênesis 1-15

A EXPANSÃO (Gn 1:6-10)

As águas foram separadas em cima e embaixo. O meio, a Expansão, Deus chamou Céus. As águas de cima são chamadas de “mares celestiais”, as quais não vemos. As águas de baixo, Deus chamou de Mares.


OBJETIVO DOS LUMINARES (Gn 1:14)

Os luminares foram criados para SINAIS e para TEMPOS DETERMINADOS (Mateus 2:2, 24:29; Marcos 13:25; Isaías 34:4; Apocalipse 6:13) e para DIAS e ANOS.


AS ÚNICAS CRIATURAS QUE DEUS ABENÇOOU:

  • A benção aos répteis (criaturas viventes), aves e as grandes baleias (monstros dos mares):

“Frutificai e multiplicai-vos, e enchei as águas nos mares; e as aves se multipliquem na terra.” Gênesis 1:22

  • A benção para o homem e a mulher:

“Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra.” Gênesis 1:28


DEUS PRESCREVE O CARDÁPIO DE SUAS CRIATURAS:

  • Geração de Adão: “Eis que vos tenho dado toda a erva que dê semente, que está sobre a face de toda a terra; e toda a árvore, em que há fruto que dê semente, ser-vos-á para mantimento.” Gênesis 1:29 (exceção: fruto da árvore do bem e do mal, Gn 2:16-17);

  • Animais: “E a todo o animal da terra, e a toda a ave dos céus, e a todo o réptil da terra, em que há alma vivente, toda a erva verde será para mantimento.” Gênesis 1:30;

  • Geração de Noé: Tudo quanto de move, que é vivente, além da erva verde, tudo vos tenho dado (exceção: carne com sangue, Gn 9:3-4).


DEUS CRIOU AS SEMENTES, NÃO AS ÁRVORES JÁ GRANDES (Gn 2:5-9)

Depois da chuva elas brotaram, cresceram e frutificaram. O homem foi criado depois de frutificarem.


OS 4 BRAÇOS DO RIO DO ÉDEN (Gn 2:10-14)

1 rio, vem de (?) e deságua no Golfo Pérsico, avançando para o sul:

1º Braço) Rio Pisom (à sudoeste?);

2º Braço) Rio Giom (à sudeste?);

3º Braço) Rio Hedéquel (Rio Tigre), ao oriente;

4º Braço) Rio Eufrates, ao ocidente.


A VONTADE DE DEUS X A VONTADE DE EVA (Gn 3: 6)

A vontade de Deus é boa, perfeita e agradável (Romanos 12:2); mas, Eva viu que a árvore era boa, agradável e desejável e cedeu à sua própria vontade que se provou ruim, desagradável e repugnante, por ser contrária à vontade de Deus.


AS ROUPAS (Gn 3:7)

Adão e Eva coseram aventais (ou cintas) com folhas de figueira.

Deus os vestiu com túnicas de peles.


O INQUÉRITO (Gn 3:9-24)

Deus inquire à Adão. Adão replica. Deus inquire a Eva. Eva replica. Deus dá a condenação à serpente, à mulher e ao homem.

A CONDENAÇÃO: Maldições e sentenças

Serpente (animal e diabo): Maldita mais que todos os animais e besta; andará sobre o ventre e comerá pó todos os dias da vida. Inimizade entre a mulher e à semente do homem e da serpente; a cabeça da serpente ferida e o calcanhar da semente da mulher será ferido.

Mulher: Dor e conceição multiplicados, dor para ter filhos, domínio e desejo para o marido.

Homem: Comer com dor, do suor do resto, até voltar ao pó. Expulso do Jardim do Éden.


Gn 4:7 O bem era a remissão naquela época. Faça o bem para ser aceito por Deus. Se não fizer o bem, o pecado vai querer te conquistar (vai lançar desejos errôneos sobre você), mas seu dever é dominar o pecado, e não ser dominado por ele.

Gn 4:10-15, 23-24 Mais pecado, mais maldição e sentença. Caim, de lavrador a assassino, amaldiçoado pela terra: colheitas fracas, fugitivo e errante. Lameque cometeu 2 assassinatos, confessa os crimes e se protege com um Habeas Corpus.


PRIMEIRAS PROFISSÕES NA BÍBLIA:

Gn 4:2, 17 Caim – Lavrador e Fundador da cidade de Enoque

Gn 4:2 Abel – Pastor de Ovelhas

Gn 4:20 Jabal – Fazendeiro (+ inventou a tenda)

Gn 4:21 Jubal – Professor de música (harpa e órgão)

Gn 4:22 Tubalcaim – Professor de metalurgia (cobre e ferro)


IDADE DOS PATRIARCAS

Gn 5:5 Adão 930 anos

Gn 5:8 Sete 912 anos

Gn 5:11 Enos 905 anos

Gn 5:14 Cainã 910 anos

Gn 5:17 Maalabel 895 anos

Gn 5:20 Jarede 962 anos

Gn 5:23 Enoque 365 anos (quem menos tempo passou na terra, “Deus para si o tomou”)

Gn 5:27 Metusalém 969 anos (quem mais viveu)

Gn 5:31 Lameque 777 anos

Gn 9:29 Noé 950 anos

Gn 6:3 Deus diminui os anos de vida do homem para 120 anos, devido a contenda entre o Espírito de Deus com o homem carnal.

Gn 11:10-11 Sem 600 anos

Gn 11:12-13 Arfaxade 438 anos

Gn 11:14-15 Salá 433 anos

Gn 11:16-17 Éber 484 anos

Gn 11:18-19 Pelegue 239 anos

Gn 11:20-21 Reú 239 anos

Gn 11:22-23 Serugue 230 anos

Gn 11:24-25 Naor 148 anos

Gn 11:32 Tera 205 anos (Filhos: Abraão, Naor, Harã)


A CONSTRUÇÃO DA ARCA (Gn 6:13-16, 7:1-16)

Motivo: Corrupção de toda a terra, carnalidade, aumento da violência e maldade

Material: Madeira de gofer e betume

Tamanho: 300 côvados x 50 côvados x 30 côvados (135m x 22m x 13,5m) [C x L x A]

Design: 1 janela (1 côvado – 45cm), 1 porta, 3 andares, cobertura removível

Recomendações:

  • Estocar mantimento
  • Deixar entrar 7 pares dos animais limpos (machos e fêmeas), 1 par de animal impuro (macho e fêmea) de cada espécie de répteis, aves e gado.

Família de Noé: Esposa, Filhos: Sem, Cam e Jafé, 3 noras (Gn 7:13)


CRONOLOGIA DO DILÚVIO (Gn 7:17-24, 8:1-14)

10/02/2319 a.C. – Data da entrada de Noé e família e dos animais na arca (mês de Liar, que corresponde a Maio em nosso calendário)

17/02/2319 a.C. – Data do Início do dilúvio, Noé tinha 600 anos de vida.

Duração da chuva: 40 dias e 40 noites (28/03/2319 a.C.)

Nível de água: 15 côvados (7m) acima das montanhas.

Duração da Inundação: 150 dias (de Sivã até Elul, corresponde a Junho a Setembro)

17/07/2319 a.C. – A arca repousa sobre o Monte Ararate (Mês Tisri, corresponde a outubro)

Mês 07 ao 10, de 2319 a.C. – As águas vão minguando continuamente. (Mês de Tisri a Tebeth, de outubro a janeiro)

01/10/2319 a.C. – Os cumes dos montes aparecem. (mês de Tebeth, corresponde a janeiro)

01/01/2318 a.C. – Data que Noé remove a cobertura da arca e vê a terra enxuta (Mês Nisan, que corresponde ao final de Março)

27/02/2318 a.C. – Data que Deus ordena saírem da arca. As águas estavam secas.


GENEALOGIAS EM GÊNESIS:

Gn 4:1-2 Genealogia de Adão

Gn 4:17-24 Genealogia de Caim

Gn 5:1-32 Genealogia de Sete

Gn 10:1-32 Genealogia de Noé

Gn 11:10- Genealogia de Sem


PRIMEIRAS CIDADES E SEUS FUNDADORES:

Gn 4:17 Cidade: Enoque – Fundada por Caim

Gn 9:22 Cidade: Canaã – Fundada por Cam

Gn 10:10-11; Cidades: Nínive, Reobote-Ir, Calá, Resém (Domínio desde Babel, Ereque, Acade, Calné, até o início da Assíria) – Fundadas por Ninrode

Gn 10:4-5 As ilhas das nações, nas suas terras, línguas e famílias – Elisá, Társis, Quitim, Dodanim

Gn 10:15-19 Povos descendentes de Cam (cananeu): jebuseus, amorreus, girgaseus, heveus, arqueus, sineus, arvadeu, zemareus, hamateus.

Gn 11:1-9 Cidade: Babel – Geração de Noé


O ARREPENDIMENTO DE DEUS X A PROMESSA DE DEUS PÓS-DILÚVIO

Gn 6:5-7 Motivo de Arrependimento: A maldade do homem

Gn 9:11 O Concerto: As águas não mais destruirão toda a carne.

Gn 6:8 Motivo do Concerto: Um homem justo, reto e que anda com Deus.

Gn 9:12-17 O sinal do concerto: o arco no céu.


Gn 9:22 Cam é amaldiçoado por ver a nudez do pai.

Gn 10:25 Pelegue (significa: divisão) é o marco de quando a terra foi repartida.

Gn 11:6 As diferentes línguas é uma restrição para o homem não fazer tudo o que intentar.


PEREGRINAÇÃO DE ABRAÃO

Ur → Harã → Canaã → Siquém → tendas entre Betel e Ai → Egito → retornam ao lugar entre Betel e Ai → Hebrom


GUERRA DE 4 REIS X 5 REIS

MOTIVO: Quedorlaomer reivindica seu poder sobre as demais nações. Por 12 anos o haviam servido, no 13º ano se rebelara, no 14º Quedorlaomer, rei de Elão, une forças e declara guerra.

  1. Bera, rei de Sodoma
  2. Birsa, rei de Gomorra
  3. Sinabe, rei de Admá
  4. Semeber, rei de Zeboim
  5. e rei de Belá (esta é Zoar)

Gênesis 14:1,2

  1. Anrafel, rei de Sinar
  2. Arioque, rei de Elasar
  3. Quedorlaomer, rei de Elão
  4. Tidal, rei de Goim

Os 4 reis fizeram um arrastão de guerras vitoriosas, até os 5 reis se juntarem contra eles no Vale de Sidim. Os 5 reis fogem, Ló é levado. Abrão e seus confederados (Manre, Escol, Aner), mais seus criados, totalizam 318 homens armados, perseguem os 4 reis e recuperam bens e pessoas.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A Bíblia em Ordem Cronológica: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

Bíblia do Pregador Pentecostal. Edição Revista e Corrigida, 4ª Ed. 2009 SBB. SP: Sociedade Bíblica do Brasil, 2016.

CHAMPLIN, Russell Norman. O Antigo Testamento Interpretado: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Gênesis. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 1

Questão linguística de vida ou morte

Xibolete SiboleteÉ interessante como os efraimitas agiam em tempos de guerra. Eles não se juntavam aos seus irmãos na guerra, mas se a vitória fosse dos israelitas eles partiam para guerrear contra seus irmãos. “Por que não chamaram a gente? Agora não temos participação na glória e nos despojos!” Quando Gideão derrotou os midianitas, os efraimitas se indignaram por não fazer parte da vitoriosa guerra (Juízes 8:1-3), apesar de haver duas convocações à guerra (Jz 6:35; 7:23). Gideão pacificamente acalmou os ânimos e os efraimitas voltaram contentes.

Entretanto, quando os efraimitas agiram do mesmo modo com Jefté, não foram felizes. Jefté ficou indignado e pelejou contra eles, com o seu exército bloqueou as passagens do rio Jordão para evitar que os efraimitas sobreviventes pudessem escapar. Todo o indivíduo que pretendesse atravessar o rio era interceptado com uma pergunta: “você é efraimita?”, se a resposta fosse não, eles exigiam que fosse pronunciada a palavra “xibolete“. Como os efraimitas não tinham o fonema /x/ no seu dialeto para produzir o som /chi/, só conseguiam pronunciar /si/. Assim, os efraimitas pronunciavam “sibolete“, sendo facilmente reconhecidos e mortos nos vaus do Jordão. (Vf. Juízes 12:1-6)

A pronúncia do termo Xibolete, ou chibolete, foi usada para identificar um grupo linguístico. O vocábulo Xibolete é a transliteração do termo hebraico schibbolet que alguns traduzem por “grão de cereal”, outros por “torrente de água”.

No campo da linguística, pela classificação das consoantes, quando pronunciamos o “S” as cordas vocais vibram produzindo uma consoante sonora. Noutros casos, as cordas vocais não vibram, produzindo-se assim uma consoante surda. Esta acaba por ser a diferença básica entre os dois fonemas que determinaram o destino dos efraimitas. O fonema “X”, que não existia no dialeto dos efraimitas, é uma consoante constritiva fricativa surda. Desta forma, o aparelho fonador substitui a fricativa surda pelo “S”, que é uma constritiva fricativa sonora .

Para infelicidade dos efraimitas, o aparelho fonador deles só reconhecia a fricativa sibilante [s] no lugar da fricativa chiada [ch]. Devido a essa variante fonética foram derrotados nos vaus do rio Jordão, ao todo morreram 42.000 efraimitas e a guerra acabou.

Essa estratégia de guerra foi usada nas revoluções de 1893 e de 1923, no Sul do Brasil, a forma utilizada para identificar os mercenários uruguaios era através da pronúncia de termos iniciados com a consoante /J/, “jota“ do alfabeto português, como João, José, Jogo, etc. ou do termo “pauzinhos”. Em ambos os casos, os uruguaios apresentavam sérias dificuldades, pois, como falantes de espanhol as realizações fonéticas produziam-se como “iôta” ou “paucinhos”, já que a letra “j” não se realiza foneticamente no espanhol e o sufixo “zinho” ganha forma como “cinho”.

Outro caso semelhante ocorreu no massacre das Vésperas Sicilianas, em 1282. Os sicilianos pediam para os soldados franceses pronunciar o lexema ciceri (uma espécie de ervilha seca). No italiano, a dicção soa como tchitcheri, uma realização fonética que não existe no francês, o que permitiu a rápida identificação dos soldados franceses.

Hoje, o termo xibolete passou a indicar uma palavra ou identificador pelo qual um grupo de pessoas pode reconhecer uns aos outros e ser aceito ou rejeitado. O Xiboletismo é identificado como preconceito linguístico, um tipo de senha linguística que revela se alguém faz parte de um determinado grupo sociolinguístico ou não.

“A morte e a vida estão no poder da língua;
e aquele que a ama comerá do seu fruto.”

Provérbios 18:21

Texto adaptado, disponível em: http://www.triplov.com/letras/Antonio-Quino/2008/xiboletismo.htm

Tempestades da vida

tempestade

“Então o Senhor respondeu a Jó do meio da tempestade.” Jó 38:1

Quem nunca enfrentou uma tempestade? Ah! As intempéries da vida… Já enfrentei algumas. Mas, nada como a última. Sei que à frente dos meus dias enfrentarei mais das furiosas tormentas, a diferença é que aprendi como enfrentá-las. Listei aqui algumas dessas lições:

  1. A tempestade passa
  2. A tempestade vem para fortalecer nossa fé em Deus.
  3. Enquanto a fé não se fortalecer a tempestade não passa.
  4. O medo nos paralisa, tolhe nossa fé.
  5. Temos de sensibilizar o ouvido para ouvir a voz de Deus no meio do barulho.
  6. O bem-estar não depende das circunstâncias, depende de estarmos firmados em Deus.
  7. Quando em nosso interior há paz, a circunstância exterior se modifica. Quando em nosso interior há tormentas, causamos tempestades do lado de fora.
  8. Se cair no mar revolto da melancolia, creia que a mão salvadora de Jesus estará estendida para você.
  9. Se estiver enfrentando onda, se ficar de peito aberto você vai ser derrubado, a opção certeira é mergulhar e deixar ela passar.
  10. Podemos estar fracassando na área em que somos profissionais (você pode estar como Pedro no mar revolto e afundando, mesmo sendo pescador e saber nadar) porque estamos tratando de forma natural o sobrenatural, sua autoconfiança aqui não serve só a confiança NELE.
  11. Desfrutamos da liberdade que há no Espírito quando superamos a tempestade com fé.
  12. O SENHOR é exaltado na tempestade, Ele a usa para mostrar o poder DELE.
  13. A Palavra de Jesus nos sustenta de modo que podemos enfrentar qualquer situação e ir além do que supúnhamos.
  14. Você pode sofrer perdas, mas considere a maior vitória de todas se sua alma for poupada.
  15. Na tempestade você conhece mais de Deus e de você mesmo.
  16. Você sairá mais forte da tempestade.
  17. Deus está no controle.
  18. A tempestade pode servir para curar traumas.
  19. Fuja da autocomiseração, autopiedade, vitimização, coitadismo. Levante a cabeça e enfrente tudo com perseverança.
  20. Tudo depende de como você passa por ela, se estiver confiante em Deus você não sucumbirá.
  21. Nos sentimos enfraquecidos com a força da tormenta, mas se Jesus estiver no barco conseguiremos resistir com a força DELE!
  22. Nunca perca a esperança!
  23. No fim, não vale o nosso trabalho/esforço, mas sim o andar com Deus.
  24. Lembre-se: quando enfrentar uma tempestade foque na luz que há acima das nuvens, em sua Luz veremos a luz” (Sl 36:9b).

Eu lembro que estava envolta em grossas nuvens quando ouvi esse último conselho. Bom, nem preciso dizer o quanto essas palavras foram preciosas para mim naquele momento (Pv25:11). Espero que de alguma forma também sejam proveitosas para você.

“A ansiedade no coração deixa o homem abatido, mas uma boa palavra o alegra.” Provérbios 12:25

P.S.¹: Tem uma música que gosto muito. Ela foi baseada no que está escrito em Marcos 14:24-33, com Jesus convidando Pedro a andar sobre as águas. O título no original é Oceans (Where Feet May Fail), interpretada pela belíssima voz da Taya Smith, de Hillsong United.

Tem também a versão em português Oceanos (Onde meus pés podem falhar), cantada por Ana Nóbrega e em espanhol – Océanos (Donde mis pies pueden fallar) – interpretada por Betsy do grupo Blest.

P.S.²: Assista também uma pregação do Pr. Klauber “Enfrentando as Tempestades”

A Beleza Invisível da Adoração

Flying

O Senhor diz: Esse povo se aproxima de mim com a boca e me honra com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. 

A adoração que me prestam só é feita de regras ensinadas por homens.

Isaías 29:13

A principal missão do homem é a adoração a Deus. Segundo Champlin (2001) a origem da palavra latina adorar é a composição ad, que significa “à”, e palavra-raiz oris, “boca”, há também ad e orare, “fala”. Se a boca fala do que o coração está cheio, louvar talvez seja a principal expressão de adoração. Quero discorrer um pouco do que tenho aprendido sobre a adoração.

Vou compartilhar com vocês um sonho que tive aos dez anos de idade e que nunca esqueci. Acredito que esse sonho serviu para me ensinar acerca do louvor que Deus deseja receber de mim. Ele se parece um pouco com a descrição feita por Jesus em Mateus 23:27-28.

No sonho eu estava extasiada ao ouvir o louvor de um trio de mulheres que trajavam vestes longas e brancas. O coro estava numa plataforma olhando para o céu e a música produzida combinava com a expressão maviosa estampada em seus semblantes. De repente, elas ascenderam aos céus e a eu gritei para ir junto, consegui me segurar na orla da veste de uma delas.  Do mesmo modo repentino que subimos começamos a cair. Quando percebi que havia sido enganada era tarde demais. A queda levou as quatro para o abismo.

A feiura invisível

Quem ministra louvor tem a grande responsabilidade de adorar a Deus sem chamar a atenção para si mesmo. O perigo que corre de cair no mesmo erro de Lúcifer é grande. A ovação do público, a beleza da voz e performance podem exaltar o coração. E quando a pessoa que louva perde um dos itens do qual se orgulha fica completamente perdida e a vida sem sentido. Ela perde a identidade de adoradora de Deus porque o adorador-hipócrita assumiu o senhorio. E o pior: influencia outras pessoas, faz discípulos hipócritas, egoístas.

Darlene Zschech, em seu livro “Adoração Extravagante” afirma que um dos maiores obstáculos que um músico e cantor enfrenta é o orgulho, se a pessoa consegue anular esse obstáculo alcança a maravilhosa liberdade de servir no Reino de Deus. Ela adverte que “Não pensar muito alto de si mesmo, dar preferência aos outros, ouvir conselhos e correções, ajuda a lidar com o orgulho”. O orgulho é imperceptível até para o orgulhoso. Sua aparência, justificativas, regras, tudo fomenta o engano. E se tentarmos copiar as regras desses “adoradores” poderemos cair na mesma transgressão da hipocrisia, superficialidade e orgulho. Se Deus com sua misericórdia não disciplinasse a seus filhos levando-os ao arrependimento, eles terminariam ouvindo o “Não vos conheço”.

A Beleza de Deus

A adoração a Deus é um caminho de mão dupla com fluxo contínuo: ela inicia no próprio Deus aquecendo o coração com amor e quando o homem corresponde recebe toda a benignidade de Deus e O adora mais. Os lábios então revelam a adoração que flui no secreto da pureza de um coração transbordante de fé e amor por Deus. A adoração agradável a Deus nos é aberta quando:

  • Há arrependimento e confissão de pecados ao Senhor e salvador Jesus
  • O Espírito Santo habita na vida santificada
  • Há convicção de que a própria vida requer adoração a Deus
  • Existe comunhão com a comunidade de adoradores
  • A motivação de nossas ações é exaltar ao SENHOR

A fonte da adoração a Deus é o próprio Deus! É a Beleza que os olhos carnais não percebem. Quando encontramos pessoas ou coisas com a Beleza de Deus, não devemos voltar nossa atenção a elas, muito menos segui-las, mas nos dirigir a Deus, o foco e a fonte de nossa adoração. A Beleza de Deus foi plenamente revelada em seu Filho. E a Ele sim podemos olhar, porque Jesus aponta para o próprio Deus, é nossa salvação. A Beleza de Deus pode ser conceituada com duas palavras: amor e graça.

A graça pode ser claramente ilustrada com os cuidados que uma criança recebe de seus pais. Jesus citou um verso da canção de Davi: “Deus ensinou as crianças e as criancinhas a oferecerem o louvor perfeito” (Sl 8:2; Mt 21:16). Esse salmo nos mostra como devemos ser dependentes de Deus e nos render completamente ao seu amor. Teremos acesso ao Reino dos Céus com as asas da humilhação. “[…] Em verdade vos digo que se não vos converterdes e não vos fizerdes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus.” Jesus (Mt 18:3)

Romanos 11:36:

Porque dele

e por ele,

e para ele,

são todas as coisas;

glória, pois, a ele eternamente.

Amém.

 

Referência:

Bíblia Online. Disponível em e < http://www.sbb.org.br&gt;

CHAMPLIN, Russell Norman. O Antigo Testamento Interpretado: Versículo por versículo. Dicionário A-L. Vol. 6. Editora: Hagnos. Pág. 3746

ZSCHECH, Darlene. Adoração Extravagante. Editora: Atos, 2004. Pág. 85