MULHERES COMO EU: Rebeca

O Estudo “Mulheres como eu” foi desenvolvido pelo Ministério Cafezinho da Tarde. Confira as instruções de como realizar esse precioso estudo no site → https://cafezinhodatarde.com/estudos/mulheres-como-eu/

Como Rebeca Deus me inspira a fazer tudo com amor.
Como Rebeca meu estômago se enche de borboletas quando preciso sair de mudança, mas me tranquilizo quando ouço a voz do SENHOR dizendo que está comigo onde quer que eu for.
Como Rebeca me cubro, para que a beleza do meu coração venha antes da beleza física.
Como Rebeca usufruo da benção sem dores concedida por Deus.
Como Rebeca me dirijo ao SENHOR toda vez que estou confusa, e Ele me responde.
Como Rebeca guardo fielmente as palavras do SENHOR no meu coração, mas crendo que Ele vela para cumprir.
Como Rebeca me precipito e quero resolver as coisas à minha maneira, sou perdoada, mas sofro as consequências.
Como Rebeca posso ser uma mulher vibrante e cheia de fé..

📖 Versículos selecionados:

📖 GÊNESIS 22:23

“Betuel, pai de Rebeca. Estes foram os oito filhos que Milca deu a Naor, irmão de Abraão.”

Esta é a apresentação de Rebeca aos leitores da Sagrada Escritura. Desde o versículo 20, a intenção se mostra clara quando o escritor nos apresenta a família e parentesco de Abraão com Rebeca, sua sobrinha e futura nora. As jovens solteiras eram honradas pelo parentesco de seus pais, mulheres casadas, pelo cônjuge.

📖 GÊNESIS 24:15-67

Esses versículos relatam a linda história de amor de Rebeca e Isaque. A história inicia com a apresentação da família de Rebeca. O servo de Abraão, Eliezer, mal havia acabado de orar para encontrar a esposa certa para Isaque, quando Rebeca chega ao poço onde ele se encontrava. A Bíblia destaca as qualidades de Rebeca como uma jovem linda moça, virgem e disposta para o trabalho. Ela não se chegou ao homem, ele se aproxima dela e pede água, Rebeca, muito perspicaz, percebeu que ele estava com uma caravana e oferece água a todos eles com rapidez e eficiência. Como recompensa pelo ato de bondade Rebeca recebeu uma argola e pulseiras de ouro. Eliezer pergunta sobre o parentesco de Rebeca e se em sua casa teria lugar para passarem a noite, ela revela que era da mesma família de Abraão, muito hospitaleira oferece dormida e sem saber a razão de Eliezer estar ali corre para a casa de sua mãe e relata todo os últimos acontecimentos. O irmão de Rebeca, Labão, volta ao poço para levar Eliezer e sua comitiva consigo. Os camelos se alimentaram e os pés dos viajantes foram lavados, antes de jantarem, Eliezer revela o motivo de estar ali: arranjar uma esposa para o filho de seu senhor Abraão. Rebeca era a resposta à oração dele. Rebeca aceita ir com Eliezer, se despede da família e leva sua ama, Débora e suas servas consigo para o novo lar. Depois de algum tempo de viagem, Rebeca contempla Isaque no campo, se cobre com o véu e é levada até ele. Rebeca passou a morar na tenda que era de Sara. A Bíblia diz que Isaque a amou e foi consolado da morte de sua mãe, Sara.

📖 GÊNESIS 25:21-26

Esses versículos nos contam que após 20 anos de casada, Rebeca não havia engravidado. Então, Isaque orou insistentemente até Rebeca engravidar. Rebeca sentiu um movimento anormal em seu ventre, foi até Deus perguntar o que era aquilo. Deus lhe revelou que eram gêmeos e que o caçula seria maior que o nascesse primeiro. Um menino peludo e ruivo nasce primeiro, Esaú, e Jacó nasce segurando o calcanhar do irmãozinho.

📖 GÊNESIS 26:6-11

Uma outra característica de Rebeca nos é revelada: sua beleza. Rebeca era tão bonita que Isaque temeu que o rei Abimeleque o matasse para ficar com ela, por isso, informou que era sua irmã. Um dia o rei os flagrou em carícias maritais, expôs a ambos e declarou que não tinha intenção de tocar neles.

📖 GÊNESIS 27:1-17, 46

Rebeca intervém na benção entregue ao filho primogênito, por causa da resposta de Deus em Gênesis 26:23, no qual Deus havia lhe revelado que o maior serviria o menor. Estratégica e rapidamente, ela bola um plano e consegue fazer com que Jacó, seu filho preferido, recebesse a benção da primogenitura. Essa atitude dela causou um grande conflito na família e lhe trouxe muitas dores de cabeça (Gn 27:46), pois Esaú se vingou de seus pais se casando com mulheres fora do parentesco, se misturando com mulheres ímpias.

📖 GÊNESIS 28:5

Rebeca faz um pedido a Isaque que visava preservar a vida de Jacó e de não deixá-lo se casar com uma cananeia: enviar Jacó para sua terra, em Padã-Harã.

📖 GÊNESIS 49:31

O falecimento de Rebeca não foi registrado na Bíblia. Não sabemos se ela faleceu antes ou depois de Isaque, estudiosos apontam que sua morte ocorreu na amargura com as noras ímpias, antes da volta do seu filho querido. No versículo no tópico, em particular, ficamos sabendo que ela foi sepultada no mesmo lugar que Sara.

Questionário

1. História de Rebeca

Segundo os estudos realizados por Reese (2003), quando Rebeca nasceu, Isaque tinha 20 anos. Sua família, natural de Ur dos Caldeus, agora estava em Harã. Rebeca era neta de Milca e Naor, o irmão de Abraão. Eles eram servos de Deus que viviam em meio a uma sociedade pagã da época. Betuel e sua esposa tiveram um casal de filhos: Labão e Rebeca. Rebeca era uma linda jovem, virgem, rica, tinha uma ama, chamada Débora, e várias servas. Quando encontrou o servo de Abraão, Eliezer, no poço, tinha seus 20 anos, e tinha o costume de carregar água à tarde junto a outras jovens. Ao ser interpelada por Eliezer, ela muito ativa e hospitaleira oferece água para ele e todos os animais sedentos, sem saber que este era o sinal entre Deus e Eliezer da esposa escolhida para Isaque. Muito cuidadosa, ela vai anunciar tudo o que Eliezer lhe falara para sua família. Seu irmão toma a dianteira da situação e trata diretamente com Eliezer. Conversando sobre a partida de Rebeca, ela é chamada para tomar a própria decisão. Rebeca vai com Eliezer, acompanhada de sua ama, Débora e suas servas. Chegando ao destino, em seu coração identifica Isaque e se cobre com o véu. Rebeca fez Isaque tão feliz que ele ficou consolado da morte da mãe, Sara. Rebeca era tão bonita que Isaque agiu semelhante ao seu pai, no mesmo local, Gerar, falou para Abimeleque que Rebeca era sua irmã, mas o rei os flagrou em carícias maritais. Tal como a sogra, Rebeca era estéril, somente 20 anos depois de casados, Isaque contava com seus 60 anos e Rebeca 40 anos, que o SENHOR ouviu a oração de Isaque e ela engravidou de gêmeos. A Bíblia relata que havia muito movimento no ventre, Rebeca, então, consultou ao SENHOR, para saber o que estava havendo. O SENHOR revelou que havia duas nações e que o primogênito seria servo do caçula. No nascimento dos gêmeos bivitelinos, o bebê que nasceu por último, Jacó, estava com a mãozinha agarrada ao calcanhar de seu irmãozinho ruivo e peludo, Esaú, essa foi mais uma prova do que o SENHOR havia revelado. Rebeca guardou fielmente as palavras do SENHOR e não permitiu que Isaque concedesse a benção da primogenitura a Esaú. Então, executou um plano para conseguir que Jacó fosse abençoado em lugar de Esaú. Rebeca conseguiu que Isaque enviasse Jacó a Harã, livrando seu filho de ser morto por Esaú e de que ele se casasse com uma cananeia. Isaque morreu aos 180 anos, mas a Bíblia não revela quando Rebeca faleceu. Flávio Josefo (2004), acredita que Rebeca morreu antes do retorno de Jacó à Canaã. Conforme Gênesis 49:31, Rebeca foi sepultada em Macpela, a sepultura da família de Isaque.

2. Local em que Rebeca morou na época e o país na atualidade

Padã-Harã, lugar de origem de Rebeca, ficava ao noroeste da Mesopotâmia, atual região da Turquia. Ela se dirigiu ao sul de Canaã, para se casar com Isaque, e passou por três das cidades nas jornadas de Isaque: Hebrom, Gerar e Berseba.

Hebrom, foi, posteriormente, conquistada por Calebe, da tribo de Judá, e hoje esse lugar ainda subsiste e é uma cidade do território do Estado de Israel.

Gerar tem sido identificada como Tell Abu Hureyra, e atualmente fica ao norte da Síria.

Berseba, fica ao sul de Israel e é uma das maiores cidades desse Estado.

3. Significado do nome de Rebeca

Do hebraico, seu nome significa “Donzela cuja beleza prende os homens”, “Corda com laço”, “Aquela que une”.

4. Vida cotidiana de Rebeca
  • Papel nas Escrituras: Rebeca foi a 2ª matriarca da nação de Israel. Para tanto, ela desempenhou o papel de esposa, mãe e serva de Deus.

  • Posição Social: Para a sociedade da época, Rebeca era uma princesa peregrina. Isaque era um homem muito rico e ambos receberam a proteção de reis.

  • Tarefas Diárias: Na vida de solteira, Rebeca cumpria tarefas como todas as outras jovens da sua idade, a tarefa destacada nas Escrituras é a de tirar água no poço da cidade no início ou ao final do dia, em um vaso de cerâmica grande, carregado no ombro ou apoiado no quadril. Outras tarefas realizadas pelas mulheres da época era a de ir ao mercado local, limpeza e organização da casa, tratar, fiar e tecer roupas, aprender as tarefas domésticas como preparatório para o casamento. As mulheres casadas cuidavam de seus maridos (higiene, alimentação e deveres conjugais) e quando os filhos chegavam, educava os filhos ensinando tarefas relacionadas a boa convivência no lar.

5. Relacionamentos de Rebeca

DEUS: Jeová

PAI: Betuel

IRMÃO: Labão

AMA: Débora

ESPOSO: Isaque

FILHOS GÊMEOS: Esaú e Jacó

NORAS: Basemate, Ada, Oolibama, Léa e Raquel

PESSOAS ENVOLVIDAS: Naor e Milca eram avós de Rebeca, e Abraão era seu tio-avô.

O relacionamento de Rebeca com Deus é revelado quando ela se apresenta diante de Deus para perguntar sobre sua gravidez e ao guardar firmemente as palavras de Deus.

O relacionamento de Rebeca com a sua família era de submissão e clareza. Ela ajudava nos trabalhos de casa e estava sempre pronta a servir, apesar de ser a única filha moça e muito rica. Rebeca chegou a conhecer seu tio Abraão.

O relacionamento de Rebeca com seu esposo prova que foi uma união feita por Deus. Os dois se completavam. Rebeca era enérgica, enquanto Isaque era plácido. Os dois se amaram durante toda a vida e usufruíram juntos de seu tempo com muitas carícias.

O relacionamento de Rebeca com seus filhos era díspar, ela gostava mais de Jacó que Esaú, porque ele era mais caseiro. Ela favoreceu a Jacó e Esaú se vingou dela lhe dando noras ímpias.

O relacionamento de Rebeca com as noras era muito conflituoso.

6. Testemunho de Rebeca para mim

Rebeca me ensina a ser proativa e a ter energia, amor e boa vontade em qualquer atividade que realizar. Rebeca era uma filha obediente e uma esposa amável, que supria a falta de uma mulher como Sara. Rebeca também me mostra que devo me dirigir a Deus quando não estiver entendendo o que está acontecendo em minha vida, o SENHOR me livra de toda confusão e traz respostas claras para hoje e para meu futuro. Rebeca também me alerta sobre o cuidado a não agir pela minha própria sabedoria ou força, para realizar uma profecia divina, porque Ele mesmo se encarregará de cumpri-la.

7. Virtudes de Rebeca
  • Quando solteira: virgem, disposta, eficiente, bela, hospitaleira, firme, de atitude e corajosa.

  • Quando casada: bela, esposa amável, boa mãe, mulher inteligente, estratégica e astuciosa.

REFERÊNCIAS

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Gênesis. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 1.

GOWER, Ralph. NOVO MANUAL DE USOS E COSTUMES DOS TEMPOS BÍBLICOS. Rio de Janeiro: Casa Publicadora das Assembleias de Deus, 2002.

Anúncios

MULHERES DA BÍBLIA 2018: Maio

Continuamos os estudos sobre as mulheres da Bíblia durante o mês de abril.

Para saber como funciona o estudo, para acompanhar o plano bíblico em ordem cronológica, para acessar a lista de livros das mulheres da Bíblia, clica nesse outro link: MULHERES DA BÍBLIA 2018

Se você ainda não viu a postagem do mês de janeiro e de fevereiro, que somam 45 fichas de mulheres da Bíblia clica nesses links:
MULHERES DA BÍBLIA 2018: Janeiro 1-17
MULHERES DA BÍBLIA 2018: Fevereiro 18-32
MULHERES DA BÍBLIA 2018: Março 33-45
MULHERES DA BÍBLIA 2018: Abril 46-58

Acompanhe também no Telegram meditações de segunda a sexta sobre as mulheres da Bíblia: @lisland

Abaixo vamos continuar a lista com a numeração e dados das mulheres da Bíblia.

LISTA:

59. Débora

60. Jael

61. A mãe de Sísera e suas damas

62. As esposas e concubinas de Gideão

63. “Druma”

64. Mulheres de Siquém

65. Mulheres de Tebes

66. As mulheres de Gileade

67. A filha de Jefté

68. As 30 filhas de Ibsã

69. A mãe de Sansão

70. As 3 mulheres filisteias de Sansão

FICHAS DE DADOS:

59. MULHER DA BÍBLIA: Débora

REFERÊNCIA BÍBLICA: Juízes 4:4-23, 5:1-31

SIGNIFICADO DO NOME: Em hebraico significa “Abelha”.

LOCAL: Nas Palmeiras de Débora, local que ficava entre Ramá e Betel, nas montanhas de Efraim, ao sul de Israel.

ÉPOCA: 1249 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Débora tinha um relacionamento íntimo com Deus e seguia retamente a sua lei e justiça.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • ESPOSO: Lapidote

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: Baraque, Jael, Sísera

RESUMO DA VIDA:

Champlin (2001) assinala que Débora pode ter pertencido à tribo de Efraim ou à tribo de Issacar (Jz 5.15). Ela era casada com Lapidote, habitava debaixo de palmeiras, que ficou conhecida como “As Palmeiras de Débora”, local em que o povo a encontrava para ouvir os oráculos de Deus. Débora era juíza e também profetisa. Quando os cananeus atacaram o norte de Israel, Débora recebeu a ordem de Deus para buscar Baraque, um homem da tribo de Naftali, para combater os inimigos. Baraque vai com uma condição: se Débora o acompanhasse. Apesar de saber que a honra da vitória seria de uma mulher, Baraque só vai à luta na companhia da mãe de Israel, Débora. Antes da batalha, Débora dá uma palavra de encorajamento da parte de Deus a Baraque e a guerra se inicia com favorecimento do povo de Israel, pois o terreno argiloso e molhado (margens do ribeiro de Quisom) e as fortes chuvas prejudicaram os carros de ferro dos cananeus (Jz 4:3). Sísera, o capitão do exército do rei Jabim, fugiu e refugiou-se na casa de Héber, onde estava Jael, mulher aliada ao povo de Deus. Jael tratou Sísera muito bem, esperou ele dormir e o matou. Débora canta a vitória de Jael e a forma como Deus havia trabalhado para dar vitória ao seu povo. Israel teve paz por 40 anos.

PROPÓSITO:

  • Deixar um legado como a primeira e única mulher que Deus levantou para ocupar um cargo de liderança político e religioso, salvando Israel dos ataques inimigos e reavivando a fé em Deus.

DEVO IMITAR:

  • Devo imitar a coragem, determinação e fidelidade a Deus que Débora possuía;

  • Posso ser tão ousada e tão humilde como Débora foi;

  • Preciso ser sensível à voz de Deus e obedecê-la integralmente;

  • Devo pedir a Deus sabedoria, dons e voz de autoridade para o serviço no lar e na igreja;

  • Preciso viver os princípios e caminhos de Deus para transmiti-los a outras pessoas;

  • Que as minhas palavras encorajem pessoas a agir conforme a vontade de Deus.

DESTAQUE

“[…] Débora e Jael, com o auxílio de Deus, contribuíram para que o povo de Israel se reerguesse da triste condição espiritual em que viviam e voltassem seu coração para Deus. Nós vivemos numa época de grande espiritual também. Para ser fiel testemunha, como foram aquelas mulheres, é preciso abrir a Palavra de Deus com regularidade. É isso que Ele nos pede que façamos. […]”

Áurea Soares, em “Mulheres da Bíblia: Aprendendo com elas”.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Juízes. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

SOARES, Áurea. MULHERES DA BÍBLIA: Aprendendo com elas. São Paulo: Casa Publicadora Brasileira, 2010.

60. MULHER DA BÍBLIA: Jael

REFERÊNCIA BÍBLICA: Juízes 4:9,11,17-24; 5:24-27

SIGNIFICADO DO NOME: No hebraico significa “cabra selvagem”.

LOCAL: Carvalho de Zaanaim, próximo a Quedes, na tribo de Naftali (originalmente os queneus moravam em Midiã, quando o sogro de Moisés o acompanhou na conquista da Terra, recebeu uma parte do território da tribo de Judá; Héber saiu de Judá e foi morar na tribo de Naftali – Jz 1:16).

ÉPOCA: 1249 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Jael foi uma amiga de Deus e de seu povo.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • ESPOSO: Héber

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: Sísera, Débora, Baraque, Jabim.

RESUMO DA VIDA:

Jael era casada com um estrangeiro, Héber, que tinha parentesco com os levitas (por causa de Moisés) e que também tinha boas relações com Jabim, rei inimigo de Deus e de seu povo. Ela morava numa tenda muito próxima ao local da guerra entre os cananeus e israelitas (cerca de 25 km de distância). Sísera, o capitão do exército do rei Jabim, fugindo da derrota, entrou na tenda de Jael, tomou o leite servido e dormiu na cama com coberta. Dormindo com a cabeça virada de lado, Sísera teve a têmpora esmagada pela estaca martelada por Jael, ele caiu ajoelhado e morreu aos pés dela. Ela correu a anunciar que o capitão inimigo estava morto e, então, recebeu as honras da vitória da guerra.

PROPÓSITO:

  • Agir em favor do povo de Deus, concedendo a vitória para Israel.

DEVO IMITAR:

  • Devo imitar sua determinação em servir, ajudar e cooperar com a nação de Israel;

  • Preciso ter coragem para definir minhas relações com o inimigo combatendo-o.

DESTAQUE

“[…] Podemos ter certa dificuldade de tentar assimilar o modo como Jael matou Sísera, mas todas somos chamadas para sermos decididas, quando se trata de nos opormos ao pecado. […] O pecado é a área em que Deus não tem disposição de demonstrar misericórdia.”

Dianne Neal Matthews, em “Um ano com as mulheres da Bíblia”

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Juízes. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

GEORGE, Elizabeth. MULHERES QUE AMARAM A DEUS. Tradução: Maria Emília de Oliveira. Campinas, SP: Editora United Press, 2001.

MATHEWS, Dianne Neal. UM ANO COM AS MULHERES DA BÍBLIA. Tradução por: Elisa Tisserant de Castro. Curitiba: Publicações Pão Diário, 2016.

61. MULHERES DA BÍBLIA: A mãe de Sísera e suas damas

REFERÊNCIA BÍBLICA: Juízes 5:28-30

SIGNIFICADO DO NOME: Seus nomes não são mencionados

LOCAL: Canaã

ÉPOCA: 1249 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Elas eram inimigas de Deus.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • FILHO: O capitão Sísera

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: Jael, Débora, rei Jabim, Baraque

RESUMO DA VIDA:

A mãe de Sísera havia se despedido de seu filho, o capitão do exército do rei Jabim, esperando que ele voltasse vitorioso. A ambição dos habitantes de Canaã, lugar onde eles moravam, era a de estender o reino, subjugando os povos ao redor. Mas, eles estavam lidando dessa vez com um povo que havia se arrependido de suas más obras diante do único e verdadeiro Deus. O próprio Deus de Israel havia levantado esse inimigo contra os pecados de Israel, mas depois que o povo de humilhou os inimigos de Israel se tornaram inimigos de Deus também. E Deus se levanta para destruir um povo pecador que presunçosamente colocava sua confiança em carros de ferros e na força do próprio braço. Sísera viu seu exército cair ao fio da espada e fugiu para a tenda de uma mulher e lá morreu, pelas mãos dela. Na canção de vitória de Débora, ela começa a narrar o que se passaria na casa da mãe do capitão. A mãe e suas damas estavam preocupadas com a demora do retorno de Sísera. Elas se consolavam com a ideia que a demora era porque estavam levando muito tempo para pegar as riquezas e mulheres dos israelitas. A verdade é que o que aguardavam elas eram notícias de desolamento e destruição. Cada um dos povos eram punidos pelos seus pecados, mas, Deus sempre perdoava os que se arrependiam.

PROPÓSITO:

  • A vida dessas mulheres nos mostra o fim trágico de quem não se arrepende de seus pecados.

DEVO EVITAR:

  • Não posso achar que receberei boas recompensas pela minha vida desregrada;

  • Não posso ser orgulhosa ou presunçosa, preciso me humilhar diante de Deus.

DESTAQUE

“[…] Este mesmo capítulo apresenta uma tal readiografia, de uma outra mulher, a mãe de Sísera. […] “Despojo! É mesmo! E Sísera sempre tinha bom gosto. ‘Para Sísera estofos de várias cores de bordados para o pescoço da esposa’ (Jz 5:30), para a mãe… O que será que eu vou ganhar esta vez? Ele nunca me esquece! Um novo arranjo…” Pois é, a radiografia mostrou que não havia nada de sério na cabeça dela: uma mulher oca, vaidosa, alienada, sonhando somente com cores e roupas.

A lógica da conclusão é chocante: “Assim, ó SENHOR, pereçam todos os teus inimigos! Porém os que te amam, brilham como o sol.” (Jz 5:31) Como “Assim”? Que quer dizer este versículo? “O escritor está interessado em enfatizar a intervenção do SENHOR a favor de Seu povo, sendo o corolário inevitável disto, que aqueles que se Lhe opõem devem perecer” (assim um comentário sobre o livro de Juízes). Mas, e a mãe de Sísera “se lhe opôs”? A resposta é sim. Preferir o brilho passageiro de meras cores e coisas “para o pescoço” em vez do brilho como o do próprio sol que é prometido àqueles que amam ao SENHOR, Sua causa, Seu povo, Sua justiça, Suas aldeias (ver de novo Jz 5:31, 2, 9, 11…) é se opor a Deus, é convidar e receber Sua condenação. […]”

Joyce Elizabeth W. Every-Clayton, em “Fale, Mulher! 2”

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Juízes. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

EVERY-CLAYTON, Joyce Elizabeth W. FALE, MULHER! 2. Rio de Janeiro: Rede de Mulheres de Ação Global, 2003.

62. MULHERES DA BÍBLIA: As esposas e concubinas de Gideão

REFERÊNCIA BÍBLICA: Juízes 8:29-31

SIGNIFICADO DO NOME: Seus nomes não são mencionados, Josefo (2004) cita o nome da concubina de Gideão como “Druma”

LOCAL: Cidade de Ofra, em Gileade, tribo de Manassés Leste; Siquém

ÉPOCA: 1194 – 1185 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • As mulheres de Gideão passaram se desfocaram de Deus, por causa do éfode e “sacerdócio” que ele passou a exercer.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • ESPOSO: Gideão

  • FILHOS: 70 filhos legítimos, dentre os quais são mencionados Jotão, o caçula de Gideão e Abimeleque, filho de concubinato.

RESUMO DA VIDA:

As muitas mulheres com quem Gideão casou viviam no luxo, pois, ele ficou enriquecido com os despojos dos midianitas. Segundo algumas culturas árabes, um homem que ocupava posição de liderança com grande soma de riquezas, era honroso e válido possuir várias mulheres. Essas mulheres lhe deram 70 filhos. Uma das concubinas de Gideão, gerou um filho chamado Abimeleque, que herdou da mãe o reino de Siquém. No afã de suplantar seus irmãos, Abimeleque tomou a liderança da mão deles, matando-os todos, exceto o menor, Jotão, por ter se escondido. Gideão já não era mais vivo quando isso aconteceu, e não sabemos quantas das mulheres dele o eram nem quantas ficaram desfilhadas. Abimeleque chegou a reinar por um tempo em Gileade, mas a maldição lançada pelo meio-irmão de Abimeleque, Jotão, se cumpriu: Abimeleque morreu no combate em Tebes, com uma pedra jogada por uma mulher.

PROPÓSITO:

  • O propósito dessas mulheres de conceber foi cumprido, entretanto, o distanciamento de Deus e a desobediência às ordens do SENHOR, trouxeram maldição para o lar delas.

DEVO EVITAR:

  • Não posso abandonar o Abençoador do meu lar, para que a maldição não nos sobrevenha.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Juízes. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

JOSEFO, Flávio. HISTÓRIA DOS HEBREUS: De Abraão à Queda de Jerusalém. Tradução por: Vicente Pedroso. Rio de Janeiro: Casa Publicadora das Assembleias de Deus, 2004.

63. MULHER DA BÍBLIA: “Druma”

REFERÊNCIA BÍBLICA: Juízes 8:31; 9:1, 3, 18

SIGNIFICADO DO NOME: significado desconhecido

LOCAL: Siquém

ÉPOCA: 1187 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Ela era uma cananeia que não servia Deus.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • PAIS E IRMÃOS: cananeus

  • ESPOSO: Gideão

  • FILHO: Abimeleque

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: Povo de Israel

RESUMO DA VIDA:

“Druma” foi o nome utilizado por Josefo (2004), para a concubina cananeia de Gideão, mãe de Abimeleque. Ela é chamada de “serva”, em Juízes 9.18. Champlin (2001) aponta ela como uma escrava cananeia, isso porque a cidade de Siquém era povoada por muitos cananeus. Ela não morava na mesma cidade onde Gideão habitava (Ofra), ela vivia em Siquém, e Gideão se relacionava com ela quando estava lá. Dessa relação nasceu Abimeleque, o filho bastardo de Gideão que não recebeu a herança do pai. Revoltado e cruel, Abimeleque matou seus meio-irmãos e foi proclamado rei em Siquém, pelos familiares de sua mãe. Nessa época, Gideão já não era mais vivo, e certamente Druma também não. Abimeleque morreu tragicamente e não sabemos se chegou a deixar filhos.

PROPÓSITO:

  • Se tornou escrava por fazer parte dos cananeus, o povo vencido, mas não se rendeu ao Deus de Israel, por isso, deixou uma trágica história para contar.

DEVO EVITAR:

  • O relacionamento com Deus nunca é unilateral, Ele se relaciona comigo e eu me rendo a Ele. Mesmo quando estiver em circunstâncias desfavoráveis na vida, posso alcançar a verdadeira liberdade se atender a voz de Deus e ter minha história transformada.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Juízes. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

JOSEFO, Flávio. HISTÓRIA DOS HEBREUS: De Abraão à Queda de Jerusalém. Tradução por: Vicente Pedroso. Rio de Janeiro: Casa Publicadora das Assembleias de Deus, 2004.

64. MULHERES DA BÍBLIA: Mulheres de Siquém

REFERÊNCIA BÍBLICA: Juízes 9:49

SIGNIFICADO DO NOME: Não são mencionados

LOCAL: Siquém

ÉPOCA: ~ 1162 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Não serviam a Deus.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: Gideão e os seus filhos.

RESUMO DA HISTÓRIA:

A cidade de Siquém na época dos juízes era composta, em sua maioria, pelos cananeus. O objetivo deles era de avançar e tomar Israel, mas como, mais uma vez, a nação que servia ao SENHOR dominara, eles ficaram subjugados a liderança dos israelitas. Abimeleque, que possuía nacionalidade israelita, por parte de pai (Gideão), e também cananeia, por parte de mãe (“Druma”), convenceu os habitantes de Siquém a proclamá-lo rei. Mais tarde, eles desistiram da ideia e o destronaram sem mandar recado. Abimeleque reage combatendo a Siquém e incendiando a torre onde se refugiaram os mil habitantes de Siquém, incluindo mulheres.

PROPÓSITO:

  • Mostrar o perigo de tomar decisões erradas e depois voltar atrás.

DEVO EVITAR:

  • Minhas escolhas e decisões devem ser feitas com a sabedoria e direção de Deus, para que não me arrependa depois.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Juízes. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

65. MULHERES DA BÍBLIA: Mulheres de Tebes

REFERÊNCIA BÍBLICA: Juízes 9:52-54

SIGNIFICADOS DOS NOMES: Não são mencionados

LOCAL: Tebes

ÉPOCA: ~ 1162 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Não é mencionado a qual Deus serviam, entretanto, Deus usou uma delas para aplicar a justiça para Abimeleque.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: Abimeleque, Gideão e seus 70 filhos.

RESUMO DA VIDA:

A cidade de Tebes, era uma das cidades ligadas a Siquém, que era governada por Abimeleque, o rei que da mesma forma rápida com que subiu ao trono, foi deposto. Abimeleque destruiu Siquém e estava disposto a fazer o mesmo com os habitantes de Tebes, por culpá-los de traição e sedição. As mulheres de Tebes, junto com muitos outros habitantes da cidade sitiada por Abimeleque, se esconderam numa torre. No topo da torre, uma das mulheres jogou uma mó em direção a Abimeleque que já começava a incendiar as portas da torre. A grande pedra arredondada acertou e partiu o crânio do rei, que ainda conseguiu pedir a um dos guardas para terminar de matá-lo com uma espada, para não dizerem que uma mulher o tinha matado.

PROPÓSITO:

  • Deus usou uma das mulheres de Tebes para matar e julgar a maldade de Abimeleque de matar seus 70 meio-irmãos.

DEVO IMITAR:

  • Posso ser usada por Deus para aplicar a justiça e eliminar o mal.

DEVO EVITAR:

  • Não posso ser inconstante em minhas palavras ou decisões, minha palavra deve ser “sim, sim” ou “não, não” (Mt 5:37).

DESTAQUE

“[…] Ela, obscura e desconhecida, foi o instrumento nas mãos de Deus para punir aquele homem maligno. Então, usando toda a sua força, lá do topo da torre, fez rolar uma pedra de moinho que caiu sobre a cabeça de Abimeleque, quebrando-lhe o crânio. […] O nosso Deus muitas vezes escolhe o fraco para destruir o forte. Abimeleque matou seus irmãos sobre uma pedra e foi morto por uma pedra que foi arremessada em sua cabeça por uma mulher destemida. […].”

Áurea Soares, em “Mulheres da Bíblia: Aprendendo com elas”.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Juízes. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

SOARES, Áurea. MULHERES DA BÍBLIA: Aprendendo com elas. São Paulo: Casa Publicadora Brasileira, 2010.

66. MULHERES DA BÍBLIA: As mulheres de Gileade

REFERÊNCIA BÍBLICA: Juízes 11:1-2

SIGNIFICADOS DOS NOMES: Não são mencionados

LOCAL: Manassés Oriental

ÉPOCA: ~ 1134 – 1096 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Não é mencionado

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • ESPOSO: Gileade

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: Jefté, gileaditas

RESUMO DA VIDA:

Gileade teve relações com duas mulheres, uma era prostituta, ao qual lhe deu um filho, Jefté; sua legítima esposa, lhe deu mais outros filhos. Provavelmente as duas mulheres não tiveram relações próximas, porque a prostituta não se tornou concubina de Gileade. Jefté foi expulso da comunidade por ser um bastardo, mas foi chamado de volta ao convívio familiar, porque seus irmãos precisavam de suas habilidades militares. Ele se tornou um dos juízes de Israel, mesmo sendo filho de uma prostituta.

PROPÓSITO:

  • Deus estabelece seu propósito na vida daqueles que são tementes a Ele, independente da origem.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Juízes. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

67. MULHER DA BÍBLIA: A filha de Jefté

REFERÊNCIA BÍBLICA: Juízes 11:34-40

SIGNIFICADO DO NOME: Seu nome não é mencionado

LOCAL: Gileade e Mispá

ÉPOCA: ~ 1423/1114 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Uma serva de Deus

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • PAI: Jefté

  • AVÔ: Gileade

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: amonitas; amigas da filha de Jefté

RESUMO DA VIDA:

Ela era uma moça, filha única, cujo pai, Jefté, era juiz de Israel e cheio do Espírito Santo. As histórias entre pai e filha se tornam ainda mais forte por causa do voto feito por Jefté. Ele era filho de uma prostituta, e por isso havia sido expulso da casa de seu pai. Mas, por ser um guerreiro valente, Jefté é convocado pelos seus irmãos para derrotar os amonitas. Apesar de tudo, Jefté aceita lutar em favor de seus irmãos e o Espírito Santo o enche de poder e autoridade. Jefté pronuncia um voto ao SENHOR, de que se Deus lhe concedesse de aniquilar completamente os amonitas, que ao voltar para casa, o que saísse da porta ao seu encontro, seria sacrificado ao SENHOR. Sua única filha é que sai para saudá-lo com danças e música. O coração de Jefté fica partido, pois ele sabia o que isso significava segundo Levítico 27:28: teria que oferecer sua filha ao SENHOR como oferta pelo resto de sua vida, ela ficaria sem se casar e sem gerar filhos. A música cessou, e a celebração se converteu em lamento. A filha de Jefté pediu ao pai 2 meses de licença para lamentar sua virgindade com suas amigas e depois ela voltou ao pai, que a entregou ao SENHOR. Depois disso, as israelitas instituíram 4 dias para anualmente chorarem pelos montes a vida celibatária a que a filha de Jefté foi submetida.

PROPÓSITO:

  • A tristeza demonstrada pela vida celibatária a que a filha de Jefté foi submetida mostra o valor da instituição da família.

DEVO IMITAR:

  • Devo imitar a obediência e submissão da filha de Jefté;

  • Preciso lembrar que, enquanto solteira, devo me dedicar totalmente ao SENHOR.

DEVO EVITAR:

  • Não posso fazer um voto se não pretender cumprir.

DESTAQUE

“[…] Jefté educara sua filha para amar a Deus, e tal educação lhe custou um alto preço, quando ambos honraram a Deus cumprindo o voto que ele havia feito. A filha de Jefté agiu conforme o anseio de todo pai que deseja ver seus filhos amando a Deus: não levou em consideração o preço a ser pago. Sua devoção ao Senhor custou-lhe muito caro. Às vezes, quando nossos filhos vivem para Deus, isso também tem um custo para eles. Ore para que a devoção de seus filhos a Deus aumente cada vez mais, independentemente do preço a ser pago.”

Elizabeth George, em “Mulheres que Amaram a Deus”

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Juízes. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

GEORGE, Elizabeth. MULHERES QUE AMARAM A DEUS. Tradução: Maria Emília de Oliveira. Campinas, SP: Editora United Press, 2001.

68. MULHERES DA BÍBLIA: As 30 filhas de Ibsã

REFERÊNCIA BÍBLICA: Juízes 12:8-9

SIGNIFICADOS DOS NOMES: Seus nomes não foram mencionados.

LOCAL: Belém (de Judá ou de Zebulom)

ÉPOCA: ~ 1090 – 1083 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Não é mencionado.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • PAI: Ibsã

  • IRMÃOS: 30 irmãos

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: 30 homens de fora do clã; 30 noras de fora do clã

RESUMO DA VIDA:

Ibsã foi um juiz em Israel, que teve 60 filhos, 30 filhas e 30 filhos. Pela quantidade de filhos, intuímos que ele era um homem rico que tinha muitas mulheres. Ibsã casou suas 30 filhas com 30 homens de fora de seu clã, não sabemos se esse clã de fora era fora de Israel ou somente fora de sua tribo. O casamento naquela época, era primeiro acordado entre os pais. A depender da situação financeira da família o pai concedia um dote pela sua filha, mas, caso a situação da família da moça fosse superior, o jovem, ou pais dele, apresentava um dote para encorajar o pai conceder a filha em matrimônio. No caso das 30 moças, se casaram por contrato efetuado pelo pai.

PROPÓSITO:

  • As 30 filhas de Ibsã eram a prova da bênção de Deus sobre a casa dele, seus casamentos foram providenciados para que constituíssem família.

DEVO IMITAR:

  • Ainda que hoje os pais não façam mais contratos de casamento, posso imitar a confiança dessas 30 mulheres na escolha feita pelo pai delas, pois eles sempre têm bons conselhos a dar para a vida conjugal.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Juízes. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

69. MULHER DA BÍBLIA: A mãe de Sansão

REFERÊNCIA BÍBLICA: Juízes 13:2-24; 14:1-10

SIGNIFICADO DO NOME: Seu nome não é mencionado.

LOCAL: Zorá, em Dã

ÉPOCA: ~ 1127 – 1108 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Serva de Deus.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • ESPOSO: Manoá

  • FILHO: Sansão

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: O Anjo do SENHOR, nora filisteia de Timnate

RESUMO DA VIDA:

Ela era estéril, casada com Manoá, da tribo de Dã. Um dia quando se encontrava fora de casa, um “homem de Deus, cuja aparência era semelhante a de um anjo de Deus, terribilíssima” (Jz 13:6) lhe revelou que apesar da esterilidade, ela iria conceber 1 filho, que seria um nazireu para livrar a Israel de seus inimigos. Por isso, tanto ela na gravidez, quanto ele, por toda a vida, não poderiam comer ou beber nada procedente da uva, nem cortar o cabelo, nem tocar em cadáver (conforme a lei do nazireado escrita em Números 6:1-21). Ela entrou em casa para comunicar ao esposo o ocorrido, este orou pedindo ao SENHOR para ver novamente o Anjo e pedir mais informações sobre a criação dele. O Anjo tornou a aparecer à esposa de Manoá, que estava no campo. Ela correu para informar ao esposo e ele então foi perguntar ao Anjo como criar o filho deles. O Anjo tornou a falar sobre as proibições para o nazireado. Manoá lhe ofereceu um cabrito para comer, mas o Anjo o ensinou o que fazer: oferecer em holocausto ao SENHOR. Manoá também perguntou o nome do Anjo e Ele lhe revelou que seu nome era maravilhoso. Quando Manoá ofereceu o holocausto, o Anjo subiu aos Céus com a fumaça. Foi aí que Manoá e sua esposa descobriram que era o SENHOR. Manoá ficou perturbado pensando que iria morrer, entretanto sua esposa o despertou para o cumprimento da promessa. Ela ficou grávida, e o nome do bebê foi “Sansão”, que significa “Sol Esplêndido”. Os pais de Sansão o ensinaram o que ele podia e não podia fazer. Sem os pais saberem, comeram mel retirado por Sansão de um corpo de um animal que ele havia matado, coisa que era terminantemente proibido para um nazireu. Depois do casamento intrigante de Sansão com uma filisteia, a Bíblia continua narrando a história desse juiz, que heroicamente combateu os filisteus em sua época.

PROPÓSITO:

  • Gerar e educar um dos juízes mais famosos e controverso da Bíblia.

DEVO IMITAR:

  • Devo imitar sua placidez e comunicação aberta com o homem da minha casa, quando receber uma poderosa mensagem da parte de Deus;

  • Posso manter a calma e dar palavras de consolo, se tiver plena confiança no que Deus vai fazer;

  • Preciso obedecer rigorosamente as ordens prescritas por Deus.

DESTAQUE

“Conhecida em todos os livros de referência apenas como “a mulher de Manoá”, finalmente foi acrescentada uma nova expressão para descrever essa encantadora senhora: agora ela passou a ser conhecida como “a mãe de Sansão”. Essa meiga mulher, que viveu à sombra de dois homens – seu marido, Manoá, e seu filho famoso, Sansão, o juiz do povo de Deus e homem mais forte que já existiu –, aparentemente sentiu-se feliz e realizada, mesmo sem ter sido famosa.”

Elizabeth George, em “Mulheres que Amaram a Deus”

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Juízes. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

GEORGE, Elizabeth. MULHERES QUE AMARAM A DEUS. Tradução: Maria Emília de Oliveira. Campinas, SP: Editora United Press, 2001.

70. MULHER DA BÍBLIA: As 3 mulheres filisteias de Sansão

REFERÊNCIA BÍBLICA: Juízes 14:2-20, 15:1-6

SIGNIFICADO DO NOME:

  1. A esposa de Sansão: Seu nome não foi mencionado;

  2. Uma prostituta: Seu nome não foi mencionado;

  3. Dalila: “Delicada” ou “Sensual”.

LOCAL: Timnate, Gaza e Vale de Soreque

ÉPOCA: ~ 1060 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Elas não serviam a Deus

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: Filisteus, pais de Sansão.

RESUMO DA VIDA:

  1. A esposa de Sansão: Uma mulher filisteia, por quem Sansão se apaixonou, de Timnate. Durante as comemorações de seu casamento, Sansão lançou um enigma aos 30 companheiros filisteus que lhe trouxeram e quem perdesse teria que pagar 30 lençóis e 30 peças de roupas. Os filisteus ameaçaram a mulher de Sansão de matar a ela e ao seu pai queimados se não lhes descobrisse a resposta. Ela traiu o marido, conseguindo a resposta do enigma e revelando aos seus compatriotas, os filisteus. Sansão a abandonou e depois de um tempo voltou, mas ela havia sido dada a um desses 30 companheiros. O pai da ex-esposa de Sansão ofereceu a outra filha, mas ele não aceitou a oferta, antes, se vingou do pai da moça incendiando os campos dos filisteus. Os filisteus ao saberem disso, queimaram vivos o pai e a filha. Para vingar a morte da esposa, Sansão matou muitos filisteus. Em contrapartida, os filisteus declararam guerra contra Judá. Os homens de Judá temendo os filisteus, entregaram Sansão amarrado, mas Sansão recebeu força e se soltou, com uma queixada de jumento, matou 1000 filisteus.

  2. Uma prostituta: Ela era uma filisteia, que morava em Gaza. A Bíblia só menciona que os dois passaram uma noite juntos, e que à meia-noite Sansão saiu de sua casa e como os portões estavam fechados, ele os arrancou e levou sobre os ombros até um determinado monte.

  3. Dalila: Ela foi a última mulher de Sansão, morava no Vale de Soreque. Com sua insistência, conseguiu descobrir o segredo da força de Sansão, em troca recebeu 1.100 moedas de prata de cada príncipe filisteu. Sansão foi subjugado, teve o cabelo cortado e os olhos furados, mas depois que o cabelo tornou a crescer, ele derrubou o templo de Dagom, matando mais homens e mulheres dos filisteus naquele episódio do que já havia matado anteriormente.

PROPÓSITO:

  • As mulheres filisteias com quem Sansão se relacionou, serviram para que Sansão encontrasse motivos para matar os filisteus.

DEVO EVITAR:

  • Não posso servir outro deus, senão o SENHOR;

  • Não posso trair a confiança do meu marido, mas trabalhar em plena concordância;

  • Não posso ser gananciosa, nem avarenta;

  • Não posso me relacionar com um homem se não amá-lo e respeitá-lo.

DESTAQUE

“[…] Usando táticas psicológicas e chantagens emocionais que lembram muitos filmes e novelas recentes, Dalila obriga Sansão a revelar-lhe o seu ponto mais fraco, o que para ele é fatal. Com certeza, este não é um exemplo de comportamento para o sexo feminino […]”

Eva Mündlein, em “Histórias de Mulheres da Bíblia”

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Juízes. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

MÜNDLEIN, Eva. HISTÓRIAS DE MULHERES DA BÍBLIA. Tradução: Irene Reinhold. Sociedade Bíblica do Brasil, 2010.

ESTUDO DA BÍBLIA: 1 Crônicas

ÉTIMO DO TÍTULO DO LIVRO: Em hebraico o livro intitula-se Dibre Hayamim, cujo significado é “anais” ou “história”, originalmente formando 1 único volume. A versão grega do Antigo Testamento (Septuaginta) usou o nome Paralipomena, que significa “coisas omitidas”, omitidas de 1 e 2 Samuel e de 1 e 2 Reis. Jerônimo, o famoso tradutor da Bíblia, sugeriu, no prólogo de sua tradução latina de Samuel e Reis, que no lugar do título grego Paraleipomena, poderia ser chamada de Chronikon (crônica da história sagrada). Jerônimo manteve o título grego tradicional, mas sua proposta foi usada na tradução de Lutero, cujo título em alemão, Die Chronika (A Crônica), foi usado também na tradução da Bíblia para o inglês, e em outras traduções feitas durante o período da Reforma.

AUTOR: A autoria dos livros de 1 e 2 Crônicas é atribuída a Esdras.

DATA: Período estimado entre 400 e 305 a.C., período em que Neemias e Esdras estavam reorganizando Jerusalém no retorno do exílio babilônico.

TOTAL DE CAPÍTULOS: 29

CONTEÚDO:

A) 1 Crônicas 1 – 9 → Genealogias desde Adão até o período pós-exílico.

B) 1 Crônicas 10 – 29 → Período monárquico de Davi.

B.1) 1 Crônicas 10 – 12 → Davi toma-se rei sobre todo Israel.
B.2) 1 Crônicas 13 – 16 → Davi traz a arca para Jerusalém.
B.3) 1 Crônicas 17 – 21 → A promessa de Deus a Davi e a ocupação final da terra.
B.4) 1 Crônicas 22 – 29 → Davi faz preparativos para o templo.

RESUMO:

A) 1 CRÔNICAS 1 – 9 → GENEALOGIAS DESDE ADÃO ATÉ O PERÍODO PÓS-EXÍLICO

1 Crônicas 1 → Genealogia que abrange Adão a Abraão, Isaque, Esaú e Israel, ao final do capítulo o autor expõe a genealogia de Esaú.

1 Crônicas 2:1 – 4:23 → O autor começa listando a genealogia de Israel com foco em Judá e seus descendentes. No 3º capítulo a descendência do rei Davi é detalhada.

1 Crônicas 4:24-43 → Registro da genealogia de Simeão.

1 Crônicas 5 → Registro da genealogia de Rúben.

1 Crônicas 6 → Registro da genealogia de Levi, com destaque para os territórios em que cada clã ficou. O clã sacerdotal de Arão ficou instalado nos territórios de Judá e Benjamim; os descendentes de Coate, recebeu cidades na tribo de Manassés; os descendentes de Gérson em Aser, Issacar, Naftali e Manassés; e aos descendentes de Merari coube cidades nas tribos de Rúben, Gade e Zebulom.

1 Crônicas 7 → Registro das genealogias das tribos de Issacar, Benjamim, Manassés, Efraim e Aser.

1 Crônicas 8 → Registro da genealogia da tribo de Benjamim, com destaque para a descendência de Saul.

1 Crônicas 9:1-34 → Registro dos habitantes de Jerusalém após o retorno do cativeiro babilônico. Champlin (2002), explica o objetivo dos registros das genealogias de todas as tribos de Israel e o registro dos novos moradores de Jerusalém dessa forma:

“A despeito do cativeiro assírio (722 a. C., que pôs fim às dez tribos do norte (Israel) e do cativeiro babilônico (que quase pôs fim às tribos do sul _ Judá), sobreviveu um remanescente e havia autoridades suficientes, dvis e religiosas, para reiniciar a história da nação de Israel através de uma única tribo, Judá, a qual já havia absorvido as outras. Contudo, o povo escolhido continuava sendo o povo escolhido de Yahweh. A pequena Nova Nação de Israel, pois, tinha autoridade divina para levar adiante o plano divino, apesar das grandes perdas sofridas. As genealogias falam da nação escolhida. Embora de maneira modesta, essas genealogias promoveram uma base histórica para a Nova Nação, por meio da tribo de Judá.” (CHAMPLIN, 2002).

1 Crônicas 9:35-44 → Registro da genealogia de Saul, para dar início à História dos Reis de Israel.

B) 1 CRÔNICAS 10 – 29 → PERÍODO MONÁRQUICO DE DAVI

B.1) 1 Crônicas 10 – 12 → Davi toma-se rei sobre todo Israel

1 Crônicas 10 → Descrição da derrota e morte de Saul e de seus filhos (da tribo de Benjamim), e transferência do reino para Davi (da tribo de Judá).

1 Crônicas 11:1-9 → O capítulo inicia narrando o episódio em que Davi foi ungido por todos as tribos de Israel.

1 Crônicas 11:10-47 → Registro dos valentes de Davi. Eles foram guerreiros bravos e corajosos que contemplam grupos que guerrearam no período anterior ao reinado de Davi até a formação de um exército de heróis do rei Davi. O grupo de 30 homens mais valentes tinha 3 líderes que se destacavam sobre os demais. Com as guerras havia baixas e acréscimos de guerreiros, por isso os nomes variam no decorrer do tempo.

1º grupo dos valentes (1 Cr 11:10-14) → São citados os 3 homens mais valentes dentre todos , no período em que Davi estava para se tornar rei de Israel: Jasobeão, Eleazar e Samá (somente é citado o ato deste último, ver 2 Samuel 23:11-13).

2º grupo dos valentes (1 Cr 11:15-19) → 3 valentes vão buscar água para Davi na cisterna de Belém, para tanto, irromperam o acampamento dos filisteus corajosamente e voltaram sãos e salvos com a água para Davi.

Outros valentes ilustres (1 Cr 11:20-25)→ Abisai e Benaías, são destaques dentre os 30 homens mais valentes.

30 valentes (1 Cr 11:26-47) → São listados vários nomes de guerreiros que fizeram parte dos 30 mais valentes do exército do rei Davi. Eles foram heróis, que fizeram bravuras ao matar os inimigos do povo de Deus, defendendo assim o reino, o povo e o território de Israel.

1 Crônicas 12 → Lista dos guerreiros de cada tribo de Israel que se juntaram a Davi:

TEMPO EM QUE SE UNIRAM A DAVI

TRIBOS

DETALHES

EXÉRCITOS QUE SE UNIRAM A DAVI ANTES DE SUA COROAÇÃO

BENJAMITAS

Irmãos de Saul, se uniram a Davi quando este estava em Ziclague. Depois, mais benjamitas se uniram a Davi quando ele estava no deserto num lugar forte.

GADITAS

Se uniram a Davi quando este estava no deserto num lugar forte.

JUDÁ

Se uniram a Davi quando ele estava no deserto num lugar forte.

MEIA TRIBO DE MANASSÉS DALÉM DO JORDÃO

Se uniram a Davi na peleja dos filisteus contra Saul. Depois, em Ziclague, protegiam a Davi contra qualquer ataque.

EXÉRCITOS DE CADA TRIBO QUE SE JUNTARAM A DAVI EM HEBROM PARA FAZÊ-LO O REI DE ISRAEL

JUDÁ

6.800 guerreiros se uniram a Davi com escudos e com lanças.

SIMEÃO

7.100 guerreiros valentes, preparados para a guerra, se uniram a Davi.

LEVI

4.600 guerreiros, inclusive o sacerdote Joiada, liderando 3.700 guerreiros levitas, e o futuro sacerdote Zadoque com 22 oficiais, membros de sua família.

BENJAMIM

3.000 guerreiros apoiaram Davi, o restante ainda era a favor da casa de Saul.

EFRAIM

20.800 guerreiros valentes, todos eles respeitáveis.

MEIA TRIBO DE MANASSÉS DAQUÉM DO JORDÃO

18.000 indicados por nome para apoiarem o reinado de Davi.

ISSACAR

200 chefes com seus parentes, “todos eles entendiam bem os acontecimentos daquele tempo e sabiam qual era o melhor caminho para Israel seguir.” 1 Cr 12:32

Eles levaram muitas provisões para Davi e seus exércitos se alimentarem.

ZEBULOM

50.000 guerreiros leais, treinados, bem armados e preparados para a batalha. Eles levaram muitas provisões para Davi e seus exércitos se alimentarem.

NAFTALI

1.000 oficiais e 37.000 guerreiros armados com escudos e lanças. Eles levaram muitas provisões para Davi e seus exércitos se alimentarem.

28.600 guerreiros preparados para a batalha.

ASER

40.000 guerreiros treinados e preparados para a batalha.

RÚBEN

120.000 soldados equipados com todos os tipos de armas.

GADE

MEIA TRIBO DE MANASSÉS DALÉM DO JORDÃO

B.2) 1 Crônicas 13 – 16 → Davi traz a arca para Jerusalém

A ARCA DA ALIANÇA

1 Crônicas 13 e 15 → Davi busca conselho com os líderes das tribos de Israel, incluindo a tribo de Levi, para trazer a Arca da Aliança de Quiriate-Jearim, onde esteve por mais de 100 anos, e tenta levar a arca em carro guiado por bois. Quando Uzá morre por tocar na Arca, é que Davi descobre que havia uma ordem de Deus, para os coatitas, da tribo de Levi, carregarem a Arca nos ombros (Nm 4:15, 7:9, 10:33). A Arca da Aliança ficou 3 meses na casa de Obede-Edom (numa cidade dos levitas), e quando essa casa passou a ser abençoada, Davi se anima a levar a arca até Jerusalém. Ele prepara uma grande festa com sacrifícios e muitos louvores. Em 2 Samuel 6:13 está registrado que a cada 6 passos sacrificavam bois e carneiros cevados e, depois, em 1 Crônicas 15:26, os levitas tendo finalizado de depositar a Arca na Tenda com sucesso, sacrificaram 7 novilhos e 7 carneiros em gratidão.

1 Crônicas 14 → Davi entende que o reino estava confirmado em suas mãos com as vitórias na guerra, com a aliança feita com o rei Hirão e com a ampliação do seu reino.

1 Crônicas 15 → Davi constitui levitas cantores, músicos, porteiros da Arca,

1 Crônicas 16:8-36 → Os 21 primeiros versos do Salmo contido em 1 Crônicas 16:8-36 é semelhante aos 15 primeiros versos do Salmo 105. Um Salmo de gratidão a Deus, oferecido como primícia ao SENHOR no dia em que a Arca da Aliança foi depositada em Jerusalém.

1 Crônicas 16 → Ministros levitas separados para louvar diante do SENHOR.

MINISTROS DE LOUVOR

INSTRUMENTO

COMPONENTES

Asafe

Címbalos

Obede-Edom, Hosa, 68 levitas como guardas

Zacarias

Harpas e liras

Jeiel, Semiramote, Jeiel, Matitias, Eliabe, Benaia, Obede-Edom e Jeiel

Benaia e Jaaziel

Trombetas

Hemã

Trombetas e címbalos

Hemã e seus filhos;

Jedutum e seus filhos eram guardas das portas

B.3) 1 Crônicas 17 – 21 → A promessa de Deus a Davi e a ocupação final da terra

UM PEDIDO OUSADO – O Templo
1 Crônicas 17 → Davi expressa ao profeta de Deus, Natã, o desejo de construir um grande templo para o SENHOR. Natã, impressionado com a ideia, consente e aprova a ideia. Entretanto, à noite o SENHOR revela sua vontade ao profeta e também traz um panorama maravilhoso sobre o futuro de Davi e sua descendência. Davi, muito feliz, faz uma oração de gratidão no Santuário.

DIVERSAS VITÓRIAS DE DAVI
1 Crônicas 18 – 19 → O rei Davi obteve vitória e domínio sobre todas as nações inimigas ao redor, e também conquistou a amizade de outras. Dentre as nações subjugadas estão: filisteus, edomitas, moabitas, amonitas, amalequitas, sírios e rei e habitantes de Zobá. Os reinos amigáveis foram Hamate, cujo rei era Toú, e Tiro, cujo rei construiu o palácio de Davi.

UMA COROA PARA O REI
1 Crônicas 20:1-3 → Joabe destruiu a cidade dos amonitas, Rabá, e Davi ficou com a coroa deste. A coroa de ouro e pedras preciosas pesava cerca de 35 quilos!

MAIS 3 GIGANTES FILISTEUS SÃO DERROTADOS
1 Crônicas 20:4-8 → 1 gigante de Gezer e outros 2 de Gate são mortos pelo exército de Davi. Os soldados de Davi imitavam a coragem e força de seu líder.

GIGANTE FILISTEU

ISRAELITA QUE O DERROTOU

DETALHES

Sipai

Sibecai

Os filhos dos gigantes eram filhos de Rafa, ou descendentes dos refains.

Lami

Elanã

O gigante, Lami, era irmão de Golias. Ele era geteu e carregava uma lança da grossura do eixo de tecelão.

Um gigante refaim

Jônatas

Um refaim, com 24 dedos, de grande estatura, injuriou Israel e foi derrotado.

O CENSO PROIBIDO
1 Crônicas 21; 27:23-24 → Satanás incita Davi a fazer um censo. Os censos eram proibidos pelo SENHOR (Êxodo 30:12), o único caso em que podiam ser feitos era na expiação do pecado dos homens de 20 anos para cima, sendo necessário ofertar meio siclo para não haver culpa diante do SENHOR pelo próprio censo (Êx 38:26; 30:15). Joabe tentou impedir Davi de pecar, mas a palavra do rei prevaleceu. O SENHOR deu 3 opções de castigo, Davi se arrependeu e escolheu ser castigado pelo SENHOR e não pelos homens. 70 mil homens morreram de praga desde Dã a Berseba, locais onde havia sido feito o recenseamento. Davi foi orientado pelo profeta Gade a erguer um altar ao SENHOR para fazer a praga cessar. Então, Davi comprou a eira onde o anjo que feria o povo estava (local próximo a Jerusalém), dizendo: “Não oferecerei ao SENHOR meu Deus holocaustos que não me custem nada” (v. 24). A praga cessou, depois de Davi oferecer holocausto e ofertas pacíficas.

B.4) 1 Crônicas 22 – 29 → Davi faz preparativos para o templo

MATERIAIS SEPARADOS PARA O TEMPLO
1 Crônicas 22; 28:14-18; 29 → Ouro, prata, cobre, pedras preciosas, pedras lavradas, ferro, pregos, madeira de cedro, tudo em abundância e transfere a incumbência do reino e da construção a Salomão, segundo a palavra de Deus.

ORGANIZAÇÃO DOS LEVITAS
1 Crônicas 23 – 26 → Davi reorganiza as funções dos levitas e levanta um culto intermitente ao SENHOR. 38 mil levitas se dividem em 4 funções: 24 mil promotores da obra do SENHOR, 6 mil oficiais e juízes, 4 mil porteiros – formados por guerreiros valentes e por tesoureiros da casa do SENHOR, 4 mil músicos, divididos em 24 turnos para servir ao SENHOR. Uma nova função foi dada aos levitas que antes carregavam o Tabernáculo (1 Cr 23:26-32), eles se tornaram cooperadores dos sacerdotes e responsáveis pelo louvor pela manhã e pela tarde.

ESCOLA DE MÚSICA SACRA:
1 Crônicas 25:7 → “O número deles, juntamente com seus irmãos instruídos no canto do SENHOR, todos eles mestres, era de duzentos e oitenta e oito. (ARA – grifo nosso)

ORGANIZAÇÃO DO REINO
1 Crônicas 27 → A organização do reino de Davi consistia na escolha dos melhores homens em suas respectivas áreas: 12 turmas de exército formados por 24 mil guerreiros, cada turma servindo 1 vez por mês ao rei; chefe de todos os exércitos; tesoureiros; agricultores; pecuaristas; conselheiro e escriba.

ANÚNCIO E ÚLTIMAS PALAVRAS DE DAVI
1 Crônicas 28 – 29 → Davi convoca todos os homens de Israel para falar sobre a construção do templo e entregar a responsabilidade para o novo rei Salomão. Todos os materiais, registros e planta do templo foram entregues a Salomão diante de todos. Davi oferece grandes sacrifícios e ofertas ao SENHOR, se alegra muito com todo o povo e Salomão é ungido rei novamente e Zadoque é ungido sacerdote. Davi reinou por 40 anos e morreu em boa velhice.

REFERÊNCIAS:

BÍBLIA SAGRADA: Anote: Revista e Corrigida na Grafia Simplificada. 1ª ed. Editora Central Gospel: Santo André, São Paulo, 2009.

 

BÍBLIA SAGRADA: Nova Versão Transformadora. 1. ed. São Paulo: Mundo Cristão, 2016.

 

CHAMPLIN, Russell Norman. O Antigo Testamento Interpretado: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: 2 Samuel. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

 

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Dicionário A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7

 

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: 1 Crônicas. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 3.

PASSO A PASSO: Como fazer o Estudo das mulheres da Bíblia

Dediquei o ano de 2018 para um estudo das mulheres da Bíblia. E quero compartilhar o passo a passo de como faço esse estudo. É muito simples e envolve 3 passos básicos:

1) LEITURA

  • PLANO ANUAL DE LEITURA DA BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Escolhi um plano anual em ordem cronológica porque dessa forma acompanhamos as mulheres da Bíblia conforme a época aproximada em que viveram. Faça o download AQUI.

  • ORAÇÃO: É muito importante pedirmos ao SENHOR para nos ajudar a entender o texto enquanto lemos a Bíblia. Certa vez, li uma frase que dizia: “A Bíblia é o único livro que você lê na companhia do autor.” E é verdade!

  • LEITURA: Sempre leio 2 vezes o texto, a 1ª leitura é rápida e a 2ª é mais lenta, vou marcando as menções às mulheres de rosa e fazendo anotações num caderno.

  • MARCADOR COR-DE-ROSA: A escritora Elizabeth George certa vez fez um estudo semelhante catalogando as mulheres da Bíblia, e enquanto fazia a leitura destacava de rosa toda a menção feita às mulheres. Nomes de mulheres, falas e atos das mulheres, temas femininos, palavras e ordens de Deus às mulheres, tudo o que estivesse relacionado a mulher era marcado de rosa. Então, faço o mesmo, porque com o texto em destaque já facilita o estudo. Eu gostei muito de usar marcadores em gel rosa, porque não mancham o verso das páginas da Bíblia. Aqui no Brasil temos as opções da Faber Castell: Marca Texto Super Gel Faber Castell Rosa e da Staedtler: Marca Texto Gel Texturfer Staedtler.

  • LISTA DAS MULHERES DA BÍBLIA: Deixo cada versículo que contém menção às mulheres no documento online: Lista da Mulheres da Bíblia. É muito útil para pesquisa e para fazer as anotações do estudo.

2) ESTUDO DAS MULHERES DA BÍBLIA

  • ANOTAÇÕES: Ao fazer a 2ª leitura do texto sagrado, vou anotando o SENHOR vai me esclarecendo, anoto também minhas dúvidas e impressões. Faço perguntas do tipo: “O que essa mulher tem para me ensinar?”; “Porque ela agiu assim?”; “O que eu faria no lugar dela?”; “Que costume ou cultura era a que ela viveu?”; “Qual o sentimento ou emoção que ela sentiu?”…

  • FICHA DE DADOS: Montei uma Ficha de Dados, com informações importantes que desejo descobrir sobre cada mulher. Para preencher cada item, preciso pesquisar.

  • PESQUISA: Para a pesquisa utilizo:

Retiro as informações mais importantes e escrevo com minhas próprias palavras o que entendi sobre o assunto. Nesse momento, peço ao Espírito Santo me orientar sobre como escrever. Quando quero citar ipsis litteris uso aspas e cito a fonte.

3) PUBLICAÇÃO ONLINE

  1. Estudo das Mulheres da Bíblia 2018 – JANEIRO
  2. Estudo das Mulheres da Bíblia 2018 – FEVEREIRO
  3. Estudo das Mulheres da Bíblia 2018 – MARÇO
  4. Estudo das Mulheres da Bíblia 2018 – ABRIL
  5. Estudo das Mulheres da Bíblia 2018 – MAIO
  6. Estudo das Mulheres da Bíblia 2018 – JUNHO (em breve)
  7. Estudo das Mulheres da Bíblia 2018 – JULHO (em breve)
  8. Estudo das Mulheres da Bíblia 2018 – AGOSTO (em breve)
  9. Estudo das Mulheres da Bíblia 2018 – SETEMBRO (em breve)
  10. Estudo das Mulheres da Bíblia 2018 – OUTUBRO (em breve)
  11. Estudo das Mulheres da Bíblia 2018 – NOVEMBRO (em breve)
  12. Estudo das Mulheres da Bíblia 2018 – DEZEMBRO (em breve)
  • TELEGRAM LisLand: De segunda a sexta, transmito uma meditação sobre a mulher que pesquisei. A mensagem é um resumo da história dela, com um ensino prático que ela nos deixou. Você pode acompanhar diariamente pelo TELEGRAM, ou no PDF publicado a cada final de mês.