PASSO A PASSO: Como fazer o Estudo das mulheres da Bíblia

Dediquei o ano de 2018 para um estudo das mulheres da Bíblia. E quero compartilhar o passo a passo de como faço esse estudo. É muito simples e envolve 3 passos básicos:

1) LEITURA

  • PLANO ANUAL DE LEITURA DA BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Escolhi um plano anual em ordem cronológica porque dessa forma acompanhamos as mulheres da Bíblia conforme a época aproximada em que viveram. Faça o download AQUI.

  • ORAÇÃO: É muito importante pedirmos ao SENHOR para nos ajudar a entender o texto enquanto lemos a Bíblia. Certa vez, li uma frase que dizia: “A Bíblia é o único livro que você lê na companhia do autor.” E é verdade!

  • LEITURA: Sempre leio 2 vezes o texto, a 1ª leitura é rápida e a 2ª é mais lenta, vou marcando as menções às mulheres de rosa e fazendo anotações num caderno.

  • MARCADOR COR-DE-ROSA: A escritora Elizabeth George certa vez fez um estudo semelhante catalogando as mulheres da Bíblia, e enquanto fazia a leitura destacava de rosa toda a menção feita às mulheres. Nomes de mulheres, falas e atos das mulheres, temas femininos, palavras e ordens de Deus às mulheres, tudo o que estivesse relacionado a mulher era marcado de rosa. Então, faço o mesmo, porque com o texto em destaque já facilita o estudo. Eu gostei muito de usar marcadores em gel rosa, porque não mancham o verso das páginas da Bíblia. Aqui no Brasil temos as opções da Faber Castell: Marca Texto Super Gel Faber Castell Rosa e da Staedtler: Marca Texto Gel Texturfer Staedtler.

  • LISTA DAS MULHERES DA BÍBLIA: Deixo cada versículo que contém menção às mulheres no documento online: Lista da Mulheres da Bíblia. É muito útil para pesquisa e para fazer as anotações do estudo.

2) ESTUDO DAS MULHERES DA BÍBLIA

  • ANOTAÇÕES: Ao fazer a 2ª leitura do texto sagrado, vou anotando o SENHOR vai me esclarecendo, anoto também minhas dúvidas e impressões. Faço perguntas do tipo: “O que essa mulher tem para me ensinar?”; “Porque ela agiu assim?”; “O que eu faria no lugar dela?”; “Que costume ou cultura era a que ela viveu?”; “Qual o sentimento ou emoção que ela sentiu?”…

  • FICHA DE DADOS: Montei uma Ficha de Dados, com informações importantes que desejo descobrir sobre cada mulher. Para preencher cada item, preciso pesquisar.

  • PESQUISA: Para a pesquisa utilizo:

Retiro as informações mais importantes e escrevo com minhas próprias palavras o que entendi sobre o assunto. Nesse momento, peço ao Espírito Santo me orientar sobre como escrever. Quando quero citar ipsis litteris uso aspas e cito a fonte.

3) PUBLICAÇÃO ONLINE

  1. Estudo das Mulheres da Bíblia 2018 – JANEIRO
  2. Estudo das Mulheres da Bíblia 2018 – FEVEREIRO
  3. Estudo das Mulheres da Bíblia 2018 – MARÇO
  4. Estudo das Mulheres da Bíblia 2018 – ABRIL
  5. Estudo das Mulheres da Bíblia 2018 – MAIO (em breve)
  6. Estudo das Mulheres da Bíblia 2018 – JUNHO (em breve)
  7. Estudo das Mulheres da Bíblia 2018 – JULHO (em breve)
  8. Estudo das Mulheres da Bíblia 2018 – AGOSTO (em breve)
  9. Estudo das Mulheres da Bíblia 2018 – SETEMBRO (em breve)
  10. Estudo das Mulheres da Bíblia 2018 – OUTUBRO (em breve)
  11. Estudo das Mulheres da Bíblia 2018 – NOVEMBRO (em breve)
  12. Estudo das Mulheres da Bíblia 2018 – DEZEMBRO (em breve)
  • TELEGRAM LisLand: De segunda a sexta, transmito uma meditação sobre a mulher que pesquisei. A mensagem é um resumo da história dela, com um ensino prático que ela nos deixou. Você pode acompanhar diariamente pelo TELEGRAM, ou no PDF publicado a cada final de mês.

Anúncios

MULHERES DA BÍBLIA 2018: Abril

Continuamos os estudos sobre as mulheres da Bíblia durante o mês de abril.

Para saber como funciona o estudo, para acompanhar o plano bíblico em ordem cronológica, para acessar a lista de livros das mulheres da Bíblia, clica nesse outro link: MULHERES DA BÍBLIA 2018

Se você ainda não viu a postagem do mês de janeiro e de fevereiro, que somam 45 fichas de mulheres da Bíblia clica nesses links:
MULHERES DA BÍBLIA 2018: Janeiro 1-17
MULHERES DA BÍBLIA 2018: Fevereiro 18-32
MULHERES DA BÍBLIA 2018: Março 33-45

Acompanhe também no Telegram meditações de segunda a sexta sobre as mulheres da Bíblia: @lisland

Abaixo vamos continuar a lista com a numeração e dados das mulheres da Bíblia.

LISTA:

46. A mulher cuxita

47. As esposas de Corá, Datã e Abirão

48. Cosbi e as mulheres de Peor

49. Maalá, Noa, Hogla, Milca e Tirza

50. Mulheres israelitas das terras daquém do Jordão

TOTAIS EM NÚMEROS

51. As mulheres amorreias

DIREITOS E DEVERES DAS MULHERES EM DEUTERONÔMIO

52. Raabe

FICHAS DE DADOS:

46. MULHER DA BÍBLIA: A mulher cuxita

REFERÊNCIA BÍBLICA: Números 12:1-16

SIGNIFICADO DO NOME: Seu nome não é mencionado.

LOCAL: Etiópia e deserto

ÉPOCA: ~ 1461 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • A Bíblia não relata seu relacionamento com Deus.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • ESPOSO: Moisés

  • CUNHADOS: Miriã e Arão

RESUMO DA VIDA:

Natural de Cuxe, ou Etiópia, uma região que ficava ao sul do rio Nilo, se tornou a segunda esposa de Moisés (provavelmente após a morte de Zípora). Champlin (2002), acredita que ela era de origem semita, mas de descendência árabe. Foi mencionada na Bíblia pelo descontentamento que a união causou aos irmãos de Moisés, pois segundo o Pacto Abraâmico (Gn 15:19-21) os povos listados seriam expulsos da terra e a nação santa não podia contrair matrimônio com eles. Nesse ponto, Miriã e Arão estavam corretos em se queixarem, entretanto, essa era uma pequena parte do problema. Eles se rebelaram contra a autoridade e liderança de Moisés, que havia sido outorgadas por Deus, utilizando a cuxita como desculpa. Moisés continuou casado com a cuxita, continuou sendo o líder e Miriã e Arão foram severamente repreendidos por Deus.

PROPÓSITO:

  • A união da cuxita com Moisés, pôs à prova as intenções ruins de Miriã e Arão.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Jó. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 3.

47. MULHERES DA BÍBLIA: As esposas de Corá, Datã e Abirão

REFERÊNCIA BÍBLICA: Números 16:27

SIGNIFICADO DO NOME: Seus nomes não são mencionados

LOCAL: Deserto

ÉPOCA: 1461 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Junto com seus maridos se rebelaram contra Deus

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • Corá, Datã, Abirão, Moisés e Arão

RESUMO DA VIDA:

Corá, um levita descendente de Coate, mas não de Anrão – a linhagem separada para o sacerdócio, junto a Datã e Abirão, da tribo de Rúben, conseguiram persuadir mais 250 príncipes e líderes com suas esposas, contra a liderança de Moisés e Arão. Eles se rebelaram contra uma ordem de Deus e presunçosamente acharam que podiam instituir uma nova ordem política e religiosa e ainda contar com a presença de Deus. As esposas desses homens aprovaram e apoiaram essa ideia. Quando o SENHOR entrou com o julgamento, Corá, Datã, Abirão e suas respectivas esposas foram engolidos vivos pela terra.

PROPÓSITO:

  • Serviram de exemplo para mostrar ao povo de Israel que os rebeldes não subsistem no meio do povo de Deus.

DEVO EVITAR:

  • Não posso apoiar ideias opostas às de Deus, mesmo que elas sejam apregoadas por meu marido.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Números. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 1.

48. MULHERES DA BÍBLIA: Cosbi e as mulheres de Peor

REFERÊNCIA BÍBLICA: Números 25

SIGNIFICADO DO NOME: Cosbi, princesa midianita, a única das mulheres de Peor citada por nome. Seu nome significa “Volúpia”.

LOCAL: Campinas de Moabe

ÉPOCA: 1423 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Inimigas de Deus, viviam uma vida imoral e idólatra.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • Cosbi, filha do líder midianita, Zur, se relacionou sexualmente com o príncipe simeonita, Zimri

  • As moabitas e as midianitas envolveram os israelitas em suas práticas religiosas e imorais.

RESUMO DA VIDA:

Moabe, filho de Ló com sua filha mais velha (Gn 19:30-18), e Midiã, filho de Abraão com Quetura (Gn 25:1-2), se tornaram inimigos de Deus e do povo ao qual tinham parentesco. Eles tinham seus próprios deuses, eram imorais e totalmente contrários a Deus. Quando o rei de Moabe, Balaque, viu o grande povo de Israel se aproximar de seu território, aliou-se aos líderes midianitas (Nm 22:4) para procurarem uma forma de derrotá-los. Balaão foi chamado para amaldiçoar o povo, como não conseguiu proferir palavras de maldição, conseguiu amaldiçoar o povo por meio da festa pagã concedida aos israelitas. Nessa festa, os moabitas e midianitas introduziram suas práticas religiosas e imorais. Baal-Peor foi o deus ao qual os israelitas adoraram, por isso esse acontecimento é chamado na Bíblia de o “Negócio de Peor” (Nm 25:18). Vinte e quatro mil israelitas morreram pela praga que o SENHOR enviou e muitos príncipes e pessoas que não morreram da praga foram mortos enforcados e a fio da espada. Mesmo vendo todo o mal que o povo havia praticado, Zimri, príncipe simeonita, acedeu aos seus desejos carnais e trouxe à sua tenda a princesa midianita, Cosbi, para abertamente assumirem seus pecados. O sacerdote Finéias, entrou na tenda onde eles estavam praticando o ato sexual e os transpassou na barriga com uma lança. Somente após a morte de Zimri e Cosbi que a praga cessou. Deus prometeu bênçãos para Finéias e sua descendência devido ao ato zeloso. O SENHOR proibiu que moabitas participassem das assembleias santas até a 3ª geração (Dt 23:3-4), e ordenou o extermínio dos midianitas (Nm 25:16-18).

PROPÓSITO:

  • O propósito original desse povo era de serem preservados, pois Deus havia dito que as terras deles eram intocáveis e Israel receberia a sua própria herança. Mas, como os moabitas e midianitas tentaram e fizeram cair o povo de Deus, foram punidos tal como as outras nações que o SENHOR já havia prometido expulsar de suas terras. O episódio de Peor foi uma mostra do quanto somos fracos e facilmente caímos em tentação se concordarmos com as práticas de quem não serve a Deus.

DEVO EVITAR:

  • Não posso ser pedra de tropeço para um homem de Deus, vivendo em lascívia, sensualidade e imoralidade;

  • Não posso influenciar pessoas a praticarem algo contra a vontade de Deus. O pecado traz a morte.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Números. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 1.

49. MULHERES DA BÍBLIA: As 5 filhas de Zelofeade: Maalá, Noa, Hogla, Milca e Tirza

REFERÊNCIA BÍBLICA: Números 26:33; Números 27:1-11; Números 36:2,6,10-12

SIGNIFICADO DO NOME:

Maalá (ou Macla): “Enfermidade”

Noa: “Descanso”

Hogla: “Uma perdiz”

Milca: “Rainha” ou “Conselho”

Tirza: “Prazer”

LOCAL: Deserto e Canaã

ÉPOCA: 1423 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Eram mulheres tementes a Deus.

  • Deus as ouviu e concedeu o pedido delas.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • PAI: Zelofeade

  • ESPOSOS: Primos manassitas

  • Pessoas envolvidas: Moisés, Josué, príncipes de Manassés

RESUMO DA VIDA:

Maalá, Noa, Hogla, Milca e Tirza eram filhas de um príncipe da tribo de Manassés, portanto eram princesas. Por serem mulheres, eram princesas sem herança. Quando o pai delas morreu, elas ainda estavam solteiras. Crendo que Deus lhes daria a terra prometida, elas se colocaram diante de Moisés e líderes de Israel, para fazer um sábio e importante pedido: elas queriam receber a herança que seria destinada ao seu pai se estivesse vivo ou se tivesse um filho, para que seu pai tivesse um memorial em Israel. Moisés considerou a questão diante do SENHOR e obteve a resposta: elas mereciam receber a herança. Com essa resposta, os príncipes de Manassés se atentaram ao fato de que se elas se casassem com homens de outra tribo, a herança passaria para outra tribo e o território de Manassés seria diminuído. Novamente, Moisés apresenta a questão ao SENHOR e recebeu a resposta: elas podiam receber a herança com a condição de se casarem com homens de seu próprio clã (primos da tribo de Manassés). Elas obedeceram a condição e anos mais tarde, no momento da partilha das heranças, elas se colocaram novamente diante dos líderes de Israel (dessa vez, diante de Josué, pois Moisés já tinha falecido) para requisitar seus direitos. Maalá, Noa, Hogla, Milca e Tirza viram todas as promessas de Deus se cumprirem, elas receberam sua porção na sonhada Canaã.

PROPÓSITO:

  • O propósito da atitude dessas 5 mulheres foi a de implementar uma lei em Israel favorável à memória do pai que só tivesse filhas, preservando sua herança.

DEVO IMITAR:

  • Devo imitar a coragem dessas mulheres, levando minhas causas ao meu líder espiritual;

  • Devo ter sabedoria quando tiver de fazer um pedido muito importante para mim;

  • Devo imitar a visão e esperança dessas 5 mulheres, em acreditar que a situação podia mudar favoravelmente para elas;

  • Devo imitar o zelo pela memória e herança da família, obedecendo todas as condições impostas pela lei.

DESTAQUE

“[…] As filhas de Zelofeade tem muito a nos dizer – porém, não na área de direitos da mulher, como a expressão é entendida popularmente! Há outros textos do Antigo Testamento que seriam mais apropriados, caso quiséssemos algo nessa área. Elas não estavam tão interessadas em direitos como tais; estavam interessadas na bênção que são as promessas de Deus concretizadas em suas vidas. E essa me parece ser a opção verdadeira para a mulher de hoje também. […]”

Joyce Elizabeth W. Every-Clayton, em “Fale, Mulher”

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Números. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 1.

EVERY-CLAYTON, Joyce Elizabeth W. FALE, MULHER. Brasília: Rede de Mobilização de Mulheres, 1998.

50. MULHERES DA BÍBLIA: Mulheres israelitas das terras daquém do Jordão

REFERÊNCIA BÍBLICA: Números 32:17, 24, 26

SIGNIFICADO DO NOME: Seus nomes não são citados.

LOCAL: Campos de Jazer e Gileade

ÉPOCA: 1430 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Mulheres tementes a Deus.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • Mulheres das tribos de Gade, Rúben e metade de Manassés

RESUMO DA HISTÓRIA:

Os chefes das tribos de Gade, Rúben e metade de Manassés acharam por bem ficar nos campos de Gileade, por verem que era o lugar ideal para a criação do gado. Eles prometeram a Moisés e a Josué de se juntarem aos seus irmãos e conquistar a Terra Prometida e só voltar para suas mulheres e filhos quando todos estivessem em seus territórios (a lei do SENHOR proibia de mulheres irem à guerra, por isso elas deviam ficar em casa protegidas). Essas mulheres concordaram em se estabelecer no local que seus maridos escolheram e acreditaram que seriam muito prósperas ali. Enquanto os homens guerreavam, elas certamente permaneciam vigilantes até a completa vitória.

PROPÓSITO:

  • Elas foram fiéis a Deus e aos seus maridos enquanto esperavam a volta triunfal deles para casa.

DEVO IMITAR:

  • Devo imitar a paciência e confiança dessas mulheres na espera.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Números. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 1.

TOTAIS EM NÚMEROS

NOMES

MULHERES ANÔNIMAS

TEMAS FEMININOS

  1. Cosbi

  2. Hogla

  3. Joquebede

  4. Macla

  5. Milca

  6. Miriã

  7. Noa

  8. Sera

  9. Tirza

  1. A esposa cuxita de Moisés

  2. A esposa de Abirão

  3. A esposa de Corá

  4. A esposa de Datã

  5. Moabitas e midianitas do negócio de Peor

  6. Mulheres das tribos de Rúben, Gade e metade de Manassés

  1. A mulher como despojo de guerra

  2. A mulher e o nazireado

  3. A mulher e o voto

  4. A mulher suspeita de adultério

  5. Ama

  6. Filhas de sacerdotes

  7. Mulheres impuras

  8. Mulheres que prejudicaram alguém

51. MULHERES DA BÍBLIA: Mulheres amorreias

REFERÊNCIA BÍBLICA: Deuteronômio 2:34; Deuteronômio 3:6

SIGNIFICADO DO NOME: Amorreus significa “povos das montanhas”.

LOCAL: Hesbom e Basã

ÉPOCA: 1423 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Elas eram inimigas de Deus.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • Os amorreus, anteriormente, haviam vencido os moabitas e tomado suas terras.

RESUMO DA VIDA:

Essas mulheres faziam parte do povo amorreu, um povo cruel e transgressor aos princípios de Deus. Eles receberam avisos e um longo tempo para se arrependerem

PROPÓSITO:

  • Elas não viveram os propósitos de Deus para elas. Morreram pelos seus pecados.

DEVO EVITAR:

  • Não posso concordar nem praticar os erros de minha família ou círculo de amigos, para também não receber a punição no coletivo.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Deuteronômio. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

MCNAIR, S. E. PEQUENO DICIONÁRIO BÍBLICO. Tradução: Degmar Ribas. CPAD: Rio de Janeiro, 2012.

TEMA FEMININO EM DEUTERONÔMIO: Direitos e Deveres das Mulheres

DIREITOS

DEVERES

PROIBIÇÕES

Dt 3:19 Mulheres e crianças dispensadas da guerra

Dt 5:14 Filha ou serva devem guardar o sábado

Dt 4:16 Proibido ídolos à semelhança do homem ou mulher

Dt 14:29 Viúvas recebem alimento dos dízimos das colheitas armazenadas no 3º ano

Dt 5:16 Honrar a mãe

Dt 5:21 proibido cobiçar a mulher ou serva do próximo

Dt 15:12 Mulher vendida como serva recebe a liberdade no 7º ano

Dt 12:12 e 18 Filhas e servas celebram diante do SENHOR no Tabernáculo

Dt 7:3 Filhas israelitas não podem se casar com os filhos das nações, nem os filhos israelitas com as filhas das nações

Dt 16:11 e 14 Filhas, servas e viúvas têm o direito de celebrar as Festas das Semanas e a das Cabanas

Dt 15:17 A escrava que não quiser deixar seu senhor, furará a orelha e será escrava para o resto da vida

Dt 12:31 proibido queimar filhas em sacrifícios a deuses

Dt 20:7 Direitos da recém-casada

Dt 21:18-21 O pai e a mãe do filho rebelde

Dt 13:6 Proibido uma filha ou esposa instigar adoração a outro deus (pena de morte)

Dt 21:10-14 Direitos das mulheres cativas (Dt 20:14)

Dt 22:13-30 Deveres das mulheres no casamento (virgem, jovem prometida em casamento, mulher do pai)

Dt 23:17-18 proibido a prostituição cultual

Dt 21:15-17 Direito das esposas de um mesmo homem

Dt 27:15-26 Maldições para quem cometesse as coisas proibidas

Dt 22:13-30 Direitos das mulheres no casamento (virgem, jovem prometida em casamento, mulher do pai)

Dt28:30, 32, 41, 53, 56, 57; Dt 32:19,25 Maldição para as mulheres quando o povo desobedecesse

Dt 24:1-4 Direitos da mulher divorciada

Dt 24:17-22, 26:12-13 Direitos das viúvas

25:5-10 Direito da viúva sem filhos de se casar com o cunhado

52. MULHER DA BÍBLIA: Raabe

REFERÊNCIA BÍBLICA: Josué 2:1-21; Josué 6:17, 22, 23, 25

SIGNIFICADO DO NOME: Os significados no hebraico variam entre “Tempestade”, “Ferocidade”, “Arrogância”. Em grego a palavra que descreve Raabe é porne, que significa “meretriz”.

LOCAL: Jericó e Israel

ÉPOCA: 1422 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Raabe ao ouvir falar sobre os feitos do Deus de Israel, creu nEle e foi por Ele galardoada.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • ESPOSO: Salmon

  • FILHO: Boaz

  • BISNETO: Davi

  • Pessoas envolvidas: Os pais e irmãos de Raabe não tem seus nomes registrados; Josué; 2 espias, soldados do rei de Jericó.

RESUMO DA VIDA:

Raabe foi uma prostituta cananeia, que ao ouvir sobre os grandes feitos do Deus de Israel se converteu a Ele em seu coração. Providencialmente, os dois espias enviados secretamente por Josué, chegou à sua casa. Ela os protegeu, ajudou e firmou uma aliança com o povo de quem seu povo era inimigo. A aliança consistia em que Raabe não delatasse os espias, que trouxesse toda sua família à sua casa e que estendesse o cordão escarlate como sinal da casa que não deveria ser tocada pela espada. Deus milagrosamente salvou a Raabe e toda sua família. Todo o muro caiu, somente a casa com o cordão escarlate ficou de pé. Raabe foi integrada à nação israelita de uma forma maravilhosa, ela de casou com o príncipe da tribo de Judá, concebeu Boaz, foi a bisavó do rei Davi, e por fim, foi ascendente de Jesus.

PROPÓSITO:

  • O propósito da vida de Raabe foi cumprido a partir do momento em que ela creu no Deus Jeová. A história dela foi mudada, sua coragem e fé foram recompensadas com a salvação de toda sua família e com o futuro de honra de sua nova casa.

DEVO IMITAR:

  • Devo imitar a fé e temor de Raabe ao único Deus Salvador e galardoador;

  • Devo me aliar ao lado certo, mesmo quando todos estiverem na oposição;

  • Posso usar minha criatividade e eficiência para resolver situações em tempos de crise;

  • Preciso acreditar que Deus perdoa o pior dos meus pecados por Sua graça.

DESTAQUE

“[…] “Os sãos não precisam de médico, e sim os doentes; não vim chamar os justos, e sim pecadores” (Mc 2.17). Raabe é a própria encarnação dessa verdade. É por essa razão que, repetidas vezes, o Novo Testamento a menciona como exemplo de vida do fruto da fé salvadora. Ela é um lembrete vivo de que até mesmo os piores pecadores podem ser redimidos pela graça divina por meio da fé. […] Raabe não foi redimida por qualquer obra meritória que tenha praticado. Ela não obteve o favor de Deus pelas suas boas obras. […] Raabe não é uma lição sobre como melhorar a nós mesmos pela autoajuda. Ela é um lembrete de que Deus, por sua graça, pode redimir até a vida mais horrível. […] O fato perturbador sobre o que outrora ela havia sido simplesmente aumenta a glória da graça divina, que foi o que a transformou nessa mulher notável que ela foi. Essa é, afinal, a lição de toda a sua vida.”

John MacArthur, em “Doze Mulheres Notáveis”

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Josué. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

MACARTHUR, John. DOZE MULHERES NOTÁVEIS: Como Deus Formou Mulheres da Bíblia e o que Ele quer Fazer com Você. Traduzido por Elizabeth Stowell Charles Gomes. 2. Ed. São Paulo: Cultura Cristã, 2014.

MULHERES COMO EU: Sara

Como Sarai, sou escolhida por Deus para o Seu Reino.
Deus é o Rei de toda a terra.

Como Sara, aparento e me comporto como uma princesa.
Deus me deu do seu doce Espírito Santo para me reeducar.

Como Sarai, não preciso sair por aí me elogiando, porque é a Palavra de Deus que diz que sou linda (por dentro e por fora).
Deus se agrada com a beleza de meu espírito calmo e tranquilo.

Como Sarai, devo me casar com meu irmão em Cristo.
Deus só me dá bênção, sem dores.

Como Sarai, sou obediente e submissa ao meu esposo.
Deus me recompensa com a paz por fazer esse bem.

Como Sarai, sou peregrina no mundo aqui e não reclamo durante o caminho.
Deus me prometeu a Canaã Celestial.

Como Sarai, só preciso esperar para conseguir tudo o que preciso.
Deus realiza o possível e o impossível só para me ver sorrir.

Como Sarai passou a se chamar Sara, também vou receber um novo nome que somente eu conhecerei.
Deus me surpreende.

Como Sara, vejo Deus cumprir suas promessas em minha vida.
Deus é fiel!

Como Sara, creio até o fim no Salvador do mundo.
Deus me fará reinar com Seu Filho.

Sou definitivamente princesa do Reino e herdei a beleza e graça de minha mãe da fé, Sara.

📖 Versículos selecionados:

📖 GÊNESIS 11:29-31; GÊNESIS 12:5-17; GÊNESIS 16:1-8; GÊNESIS 17:15-21; GÊNESIS 18; GÊNESIS 20:2-18; GÊNESIS 21:1-12; GÊNESIS 23:1-19; GÊNESIS 24:36, 37; GÊNESIS 25:10, 12; GÊNESIS 49:31

Os versículos selecionados em Gênesis narram a história de Sara que está resumida abaixo:

Sarai nasceu em Ur, a grande cidade na baixa Mesopotâmia. Dez anos antes, havia nascido seu irmão por parte de pai, Abrão, seu futuro esposo. No início da vida na terra, era normal parentes próximos casarem entre si. Após o casamento, Sarai descobriu que “era estéril, não tinha filhos” (Gn 11:29-30).

Sarai partiu de Ur, acompanhando o chamado de Deus a Abrão recebeu a ordem, eles foram morar numa outra terra que seria dada a ele e à descendência. Junto com eles também foram o pai-sogro de Sarai, Terá, e o sobrinho de Abrão, Ló. Ficaram morando por algum tempo em Harã.

Após a morte de Terá, Abrão e Sarai, na companhia de Ló, partiram de Harã para Canaã, eles foram conhecendo toda a extensão da terra que seus descendentes iriam morar. A fome na terra em que estavam os levou ao Egito, e lá Sarai foi requisitada pelo faraó, tamanha era sua beleza. Isso ocorreu porque Abrão e Sarai tinham combinado de falarem que eram irmãos, omitindo a parte de que eram casados (para Abrão, Sarai estaria provando sua lealdade a ele, porque ele temia por sua vida). Quando faraó descobriu a verdade, deu tudo que era necessário para eles partirem dali. Provavelmente, foi nessa época que Abrão e Sara adquiriram a serva egípcia, Hagar.

Depois de tantos anos, Sarai continuava bela, mas não tinha filhos. Eles voltaram à Canaã e Sarai, então, entrega sua serva, Hagar, para engravidar de Abrão. Com todos os percalços, Ismael nasce, mas Sarai não o torna seu filho como havia pensado.

Numa primavera, o SENHOR visitou Abrão e este lhe preparou um banquete, coma a ajuda de Sarai – que ficou responsável de fazer pães, usando a melhor farinha e sem fermento, para a visita mais ilustre que eles já tinham recebido. Deus mudou o nome de Abrão para Abraão e o de Sarai para Sara, explicando que a promessa de uma descendência numerosa também se estendia a ela. Ao ouvir o que o SENHOR dizia, por trás da tenda, Sara riu para si mesma, achando engraçado o fato de impossível ser mãe na velhice. O SENHOR a repreendeu e afirmou que o nome do filho deles seria “Isaque”, que significa “Riso”, e que ela engravidaria dali a 1 ano.

Sara, mesmo na velhice, tornou a ser cobiçada por outro rei, Abimeleque. Como combinado eles disseram que eram irmãos, e todas as mulheres da casa de Abimeleque ficaram estéreis, só depois que Sara foi dispensada que elas tornaram a engravidar. Deus não permitiu que outro homem, senão Abraão, seu marido, a tocasse.

Sara, enfim, engravidou aos 90 anos de idade e deu à luz a um lindo menino com o nome escolhido por Deus: Isaque. Sara riu de felicidade e também por achar engraçado amamentar na velhice.

A bênção de Deus trouxe à terra uma novidade milagrosa: uma anciã tornou-se mãe de primeira viagem, provando que para Deus nada é impossível. Isaque foi desmamado, e Ismael ria dele. Sara falou com Abraão para despedir Hagar e Ismael – segundo a própria Palavra de Deus, Ismael não herdaria com Isaque.

Sara morreu, aos 127 anos de idade, e Abraão realizou um grande sepultamento, com direito a um cemitério especial no campo de Macpela, comprado por 400 peças de prata, que correspondia cerca de 4,8 kg de prata. Isaque ficou profundamente triste com a morte de sua mãe e só foi consolado por Rebeca alguns anos depois.

📖 ISAÍAS 51:2

“Olhem para Abraão, seu pai, e para Sara, que lhes deu à luz.
Quando eu o chamei, ele era apenas um, e eu o abençoei e o tornei muitos.”

O capítulo 51 de Isaías é uma profecia escatológica que fala a respeito da salvação do remanescente de Israel. Neste versículo, Sara é citada como a que deu à luz aos israelitas, a matriarca da grande nação de Israel. O profeta explica o fato que Israel é uma nação que sempre esteve sob os cuidados divinos desde o início. Assim como Deus interveio para que filho de Abraão e Sara nascesse, dando início à descendência numerosa que a nação de Israel se tornou, assim também Deus faria com que os poucos remanescentes fossem restaurados à grande nação que fora um dia. Os israelitas que ouviam a profecia, deveriam crer, tal como Sara creu, que Deus estava no controle da situação e do tempo.

📖 ROMANOS 4:18-21

“Abraão, contra toda esperança, em esperança creu, tornando-se assim pai de muitas nações, como foi dito a seu respeito: “Assim será a sua descendência”. Sem se enfraquecer na fé, reconheceu que o seu corpo já estava sem vitalidade, pois já contava cerca de cem anos de idade, e que também o ventre de Sara já estava sem vitalidade. Mesmo assim não duvidou nem foi incrédulo em relação à promessa de Deus, mas foi fortalecido em sua fé e deu glória a Deus, estando plenamente convencido de que ele era poderoso para cumprir o que havia prometido.”

🛡 Abraão e Sara sabiam que pelas condições física e natural não poderiam mais gerar filhos. Entretanto, há uma grande diferença na atitude de Abraão e na de Sara quando ouviram a promessa que os dois teriam filho naquelas condições. Abraão não duvidou em seu coração, antes, Deus fortaleceu sua fé (Gn 17:17). Já Sara riu incrédula e foi repreendida por Deus (Gn 18:12). Quando Sara concebeu seu filho ela riu pela alegria e pela forma sobrenatural e atípica que o SENHOR planejara as coisas para eles.

📖 ROMANOS 9:9

“Não pensemos que a palavra de Deus falhou. Pois nem todos os descendentes de Israel são Israel.” Nem por serem descendentes de Abraão passaram todos a ser filhos de Abraão. Pelo contrário: “Por meio de Isaque a sua descendência será considerada”. Noutras palavras, não são os filhos naturais que são filhos de Deus, mas os filhos da promessa é que são considerados descendência de Abraão. Pois foi assim que a promessa foi feita: “No tempo devido virei novamente, e Sara terá um filho”.”

Matthew Henry, afirmou que da mesma forma que o filho de Sara, Isaque, nasceu no tempo de Deus, foi gerado pelo poder e vontade de Deus, assim, os verdadeiros crentes também não nascem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas da vontade de Deus (Jo 1:13). Assim como houve uma profecia e promessa cumpridas a respeito do nascimento de Isaque, também se cumprem a profecia e promessa do novo nascimento do homem espiritual (Jo 3:3). Portanto, todo aquele que crê e obedece a voz de Deus, como Abraão e Sara o fizeram, se torna filho de Abraão, pela fé, e filhos de Deus por adoção (Gl 4:5). Os filhos de Deus são movidos pelo sobrenatural. Em todas as áreas da vida precisam da fé para permitir Deus operar e esperar o tempo dELe executar seus planos da forma dEle.

📖 GÁLATAS 4:21-31

“Digam-me vocês, os que querem estar debaixo da lei: Acaso vocês não ouvem a lei? Pois está escrito que Abraão teve dois filhos, um da escrava e outro da livre. O filho da escrava nasceu de modo natural, mas o filho da livre nasceu mediante promessa. Isso é usado aqui como uma ilustração; estas mulheres representam duas alianças. Uma aliança procede do monte Sinai e gera filhos para a escravidão: esta é Hagar. Hagar representa o monte Sinai, na Arábia, e corresponde à atual cidade de Jerusalém, que está escravizada com os seus filhos. Mas a Jerusalém do alto é livre, e essa é a nossa mãe. Pois está escrito: “Regozije-se, ó estéril, você que nunca teve um filho; grite de alegria, você que nunca esteve em trabalho de parto; porque mais são os filhos da mulher abandonada do que os daquela que tem marido”. Vocês, irmãos, são filhos da promessa, como Isaque. Naquele tempo, o filho nascido de modo natural perseguia o filho nascido segundo o Espírito. O mesmo acontece agora. Mas o que diz a Escritura? “Mande embora a escrava e o seu filho, porque o filho da escrava jamais será herdeiro com o filho da livre”. Portanto, irmãos, não somos filhos da escrava, mas da livre.”

Nesses versículos, Sara é colocada como uma metáfora da que concebeu a nova aliança, feita pela graça do SENHOR Jesus. Em contraponto Hagar, a serva egípcia, é usada como metáfora da velha aliança, feita pela lei, imperfeita e natural. Sara representa a benção da liberdade que o homem espiritual experimenta ao aceitar a Jesus e seu sacrifício único e completo. E assim como Isaque foi concebido depois de Ismael, a lei veio primeiro que a graça.

Sara não aceitou de forma alguma conviver com o herdeiro da escrava, porque toda herança pertenceria a Isaque. Apesar de muitas pessoas acusarem a dureza no tratamento de Sara para com Hagar, o sábio Salomão escreveu sobre o absurdo de uma serva dominar sua senhora: “Não fica bem o tolo viver no luxo; quanto pior é o servo dominar príncipes!” (Pv 19:10).

Os cristãos em Gálatas estavam com dificuldade de aceitar a graça, e se mantinham presos à lei mosaica mesmo tendo aceitado a Jesus. Paulo tenta explicar a recente liberdade que eles agora possuíam em Cristo, e para tanto, utiliza-se do propósito dos nascimentos de Ismael e Isaque, o filho da escrava, que é a lei é inferior e imperfeito, e o outro, o filho da promessa, gerado de forma sobrenatural e pela fé é superior, eterno e celestial.

📖 HEBREUS 11:11

“Pela fé, Abraão – e também a própria Sara, apesar de estéril e avançada em idade – recebeu poder para gerar um filho, porque considerou fiel aquele que lhe havia feito a promessa.”

👑 Sara é uma das poucas mulheres de fé que foram citadas na lista dos Heróis da Fé. Sara é a mãe da fé. Ela não tinha filhos e esperou até o ciclo reprodutivo terminar. Em seu parecer a promessa dizia respeito a Abraão, seu esposo, e não a ela, por isso achou que podia usar sua serva como barriga de aluguel. Quando soube que a promessa de Deus era para Abraão e ela, e que Deus não considerava a Ismael como o primogênito de Abraão, de início ela duvidou, mas depois da repreensão do SENHOR ela temeu, creu e continuou a esperar o tempo se cumprir. Ao engravidar, ela sabia que era um milagre poderoso feito por Deus, ao conceber ela se alegrou e contagiou a todos em redor com sua felicidade – “Deus me encheu de riso, e todos os que souberem disso rirão comigo” (Gn 21:6).

📖 1 PEDRO 3:3-6

“A beleza de vocês não deve estar nos enfeites exteriores, como cabelos trançados e joias de ouro ou roupas finas.

Pelo contrário, esteja no ser interior, que não perece, beleza demonstrada num espírito dócil e tranquilo, o que é de grande valor para Deus.

Pois era assim que também costumavam adornar-se as santas mulheres do passado, que colocavam a sua esperança em Deus. Elas se sujeitavam a seus maridos, como Sara, que obedecia a Abraão e lhe chamava senhor.

Dela vocês serão filhas, se praticarem o bem e não derem lugar ao medo.”

Essa passagem bíblica é um alerta para as mulheres não ficarem presas a superficialidade dos adornos. Pedro destaca algumas belas características de Sara com o objetivo de que as mulheres tementes a Deus usem:

✨ A docilidade e tranquilidade de espírito;

✨ Esperanças postas em Deus;

✨ Sujeição e obediência ao marido;

✨ Prática do bem e coragem.

📝 Respostas do Questionário

1. História de Sara:

1957 a.C. → Nascimento

1927 a.C. → Casamento com Abraão

1907 a.C. → Partida de Ur para Harã

1892 a.C. → Partida de Harã e peregrinação em Canaã

1891 a.C. → Partida de Canaã para o Egito; aquisição da serva egípcia, Hagar. Retorno do Egito para Canaã.

1882 a.C. → Hagar engravida de Abrão.

1868 a.C. → Promessa de Deus diretamente à Sara

1867 a.C. →Sara engravida e dá à luz a Isaque, que significa “Riso”.

1864 a.C. → Isaque é desmamado, Sara fala com Abraão para despedir Hagar e Ismael.

1834 a.C. → O sacrifício de Isaque

1830 a.C. → Morte de Sara, aos 127 anos de idade.

2. Locais em que Sara morou na época e os países na atualidade:

🌏 Sara nasceu em Ur dos Caldeus, que ficava na baixa Mesopotâmia. Champlin (2001), afirma que “Ur é Xamerina (a cidade da lua), que alguns chamaram de Urie. Arqueólogos encontraram inscrições em vários locais na cidade que diziam U-ri. O nome moderno desse local é Tell el-Muqayyar, no Sul do Iraque, cerca de 10 km ao sudeste de Nasiriyah, no rio Eufrates.”.

🌎 Sara passou uma temporada em Padã-Harã, no hebraico significa “planície de Arã”. Essas palavras apontam para a área da alta Mesopotâmia, local próximo aos rios Eufrates e Harbur (Gn 25:20; 28:8; 31:18), ao sul da Turquia. As tribos que lá moravam eram conhecidas como arameus, um povo nômade que mais tarde imigrou para Alepo. Essa região é uma extensa planície, que o profeta Oséias chama de “terra da Síria” (Os 12:12).

Ruínas de Harã, ao sul da Turquia

🌍 Abraão e Sara percorreram toda faixa de Canaã, lugar que Deus prometeu dar à sua descendência, fazendo algumas paradas em determinados pontos, como Siquém, Betel e Ai. Todas essas cidades e mais outras faixas foram conquistadas pelos descendentes de Abraão e Sara, no período do rei Davi a extensão territorial aumentou. Hoje essa região é conhecida como Palestina e somente parte do território é reconhecido como da Nação de Israel.

🌍 Sara passou um período no Egito, mas depois que Faraó descobriu que Abraão e Sara haviam mentido para ele, foram expulsos de lá.

Rio Nilo, Egito

3. Significado do nome de Sara:

Fiz um estudo especial sobre o significado do nome de Sara em “Mulheres da Bíblia 2018: Janeiro” que desejo reproduzir aqui:

Os nomes Sarai e Sara costumam ser definidos como “Princesa”. Mas, devemos estudar os significados desses nomes, comparando com o de Abrão/Abraão no original, em hebraico. Observe os nomes no hebraico antes e depois da mudança:

Uma mesma letra hebraica foi adicionada em ambos os nomes: Hey [ ה ]. Segundo Parsons (2018), Hey [ ה ] é a junção de 2 letras: o Dalet [ ד ], essa letra carrega o significado da quebra do relacionamento do homem com Deus, e o Yod [ י ], essa letra representa a figura de uma mão e compunha o nome de Sarai. A junção das duas letras formou então a letra Hey [ ה ] que significa o homem resgatado por Deus e Deus morando no homem.

Abraão teve acrescentado essa letra em seu nome e Sara teve o Yod [ י ] trocado por essa letra, Hey [ ה ], ampliando assim o seu significado. A letra Hey [ ה ] está em posição diferente nos nomes de Sara e Abraão, porque essa letra no final, torna um substantivo feminino (lembre que as palavras em hebraico são lidas de trás para frente).

Os nomes de Abraão e Sara receberam uma mesma letra em seus nomes, tal como um casal recebe o mesmo sobrenome ao se casar. Além disso, o significado de seus novos nomes foi definido pelo próprio Deus: Abraão, “Pai de Nações”, e Sara, “Mãe de Nações”, deles foi escolhida uma nação feita por Deus e para Deus.

A tradução “Princesa”, também pode ser interpretada pelo seu campo semântico, que abrange “Senhora”, “rainha”, em outras palavras, uma mulher de posição elevada, do mesmo nível de Abraão, o Amigo de Deus, Pai da Fé e Pai de Uma Grande Nação.

Pouco percebemos essas mudanças na tradução para o português. Perderam-se o significado e uma letra, o “i” [SARAI → SARA; Abrão → Abraão], quando, originalmente, a letra foi trocada por outra que ampliou seu significado. Na tradução para o inglês, a letra “i” foi trocada por “h” a letra mais próxima à Hey [ ה ] [SARAI → SARAH; Abram → Abraham]. Toda vez que Deus falava de Sua promessa a Abraão, ele a ampliava.

4. Vida cotidiana:

  • Papel nas Escrituras: O papel de Sara foi a de se tornar a matriarca da nação de Israel e a mãe da fé das mulheres que temem a Deus.

  • Posição Social: Sara era uma princesa, honrada como senhora, administradora do lar, mãe e mulher.

  • Tarefas Diárias: A Bíblia nos dá alguns detalhes de sua tarefa diária, ela obedecia e era submissa ao seu senhor Abraão (1 Pe 3:6), ela cozinhava pão (Gn 18:6), ela tinha servas que ficavam sob suas ordens (Gn 16:5-6) e cuidou de seu filho Isaque com muito amor (Gn 24:67).

5. Relacionamentos de Sara:

  • PAI e SOGRO: Terá, o mesmo pai de Abraão. O casal, Abraão e Sara, ficaram sob a liderança de Terá até sua morte.

  • ESPOSO: Abrão/Abraão, a Bíblia diz que o tratamento de Sara ao seu esposo era de obediência e submissão, ela o chamava de “senhor”, ela o respeitava, amava e era amada por ele.

  • FILHO: Isaque, o filho prometido e tão desejado, foi criado com todo amor até os 37 anos de vida dele.

  • MEIOS-IRMÃOS: Abrão/Abraão, Naor e Harã, eles tinham um elo muito forte e esporadicamente recebiam notícias uns dos outros.

  • SOBRINHO: Ló, acompanhou o casal em parte das peregrinações e recebia ajuda sempre que precisava.

  • PESSOAS ENVOLVIDAS:

– o Anjo do SENHOR: Sara teve um contato íntimo quando o SENHOR lhe fez a promessa de um filho.

– Hagar e Ismael: Conforme o costume da época, Sara ofereceu sua escrava para ter um filho por meio dela. Entretanto, seu plano não era perfeito como o que o SENHOR já tinha planejado. Sara, justamente, puniu a serva exaltada e mais tarde agiu conforme a Palavra do SENHOR, expulsando Hagar e Ismael para que não recebesse a herança que pertencia por direito à Isaque.

– Reis do Egito e Gerar: Esses reis ficaram encantados com a extrema beleza de Sara, mesmo sendo ela avançada em idade! Sara entrou no harém desses dois reis, mas foi preservada pelo SENHOR, eles não a tocaram.

6. Testemunho de Sara para mim:

Sara me ensina a me enxergar do ponto de vista de Deus, onde tudo é possível no tempo dEle. Ela estava com idade avançada, mas inacreditavelmente sua beleza se conservou. Então quando ela se olhava no espelho, ela sabia que o tempo havia passado para ela, mas ela só conseguia enxergar sua beleza ainda mais ressaltada. Como Sara aprendo a esperar o tempo de Deus com esperança e fé, desejo conservar minha beleza e graça para o meu marido e aumento a minha fé de que Deus é quem executa a obra dEle em mim.

7. Virtudes de Sara:

🚺 Bela

🚺 Mulher de fé

🚺 Administradora do lar

🚺 Boa esposa

🚺 Boa mãe

🚺 Obediente

🚺 Submissa

🚺 Espírito dócil e tranquilo

🚺 Esperançosa

🚺 Benigna

🚺 Corajosa

🌹 A poesia abaixo me trouxe à memória o sentimento que Sara sentia enquanto o tempo passava e seu ciclo reprodutivo começava a cessar, mas, ainda assim, ela carregava uma pontinha de esperança em Deus:

4º Motivo da Rosa, por Cecília Meireles

Não te aflija com a pétala que voa:
também é ser deixar de ser assim.

Rosas verás, só de cinza franzida,
mortas intactas pelo teu jardim.

Eu deixo aroma até nos meus espinhos,
ao longe, o vento vai falando por mim.

E por perder-me é que me vão lembrando,
por desfolhar-me é que não tenho fim.

🌵

Referências Bibliográficas

A Bíblia em Ordem Cronológica: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

CHAMPLIN, Russell Norman. O Antigo Testamento Interpretado: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Dicionário A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7

CHAMPLIN, Russell Norman. O Antigo Testamento Interpretado: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Gênesis. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 1

CHAMPLIN, Russell Norman. O Novo Testamento Interpretado: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Romanos. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 3

ESTUDO DA BÍBLIA: 2 Reis

ÉTIMO DO TÍTULO DO LIVRO: Alguns estudiosos acreditam que o 2º livro de Reis foi um material suplementar escrito 50 anos depois de 1 Reis. Na Bíblia Hebraica, 1 Reis e 2 Reis formam um único rolo. Quando a Bíblia foi traduzida para o grego, Septuaginta, os tradutores preferiram dividir em 2 devido ao grande volume. Recebeu o título de 2 Reis, pois a primeira palavra em hebraico em 1 Reis é “E o rei…” [wehammelek], a característica principal de ambos livros é descrever a história dos reis de Israel e de Judá.

AUTOR: Desconhecido, alguns acreditam ter sido escrito por Jeremias.

DATA: 970 – 853 a.C.

TOTAL DE CAPÍTULOS: 25

CONTEÚDO:

A) 2 Reis 1:1-18 – 2:1-11 → O final do ministério de Elias

B) 2 Reis 2:12-25 – 8:1-6 → Os milagres de Eliseu

C) 2 Reis 8:7-29 – 2 Reis 25 → Reis de Israel e Judá

COMENTÁRIO

A) 2 Reis 1:1-18 – 2:1-11 → O final do ministério de Elias

ÚLTIMOS FEITOS DE ELIAS NA TERRA

2 Reis 1→ Elias profetiza a morte de Acazias, rei de Israel. Ousadamente Acazias envia 2 pelotões com 50 homens que morreram com o fogo de Deus que desceu do céu. O capitão do 3º pelotão se humilhou diante de Elias e o SENHOR permitiu que Elias fosse com ele. Elias transmite a mesma sentença de morte ao rei, que morre conforme as palavras do profeta.

2 Reis 2:2-11 → Elias deixa Eliseu em seu lugar e é arrebatado aos céus numa carruagem de fogo.

B) 2 Reis 2:12-25 – 8:1-6 → Os milagres de Eliseu

2 Reis 2:12-15 → O rio Jordão se abre quando Eliseu estende a capa de Elias.

2 Reis 2:19-21 → Eliseu joga sal nas águas, que se tornam boa para uso e consumo.

2 Reis 2:23-25 → Uma ursa devora os rapazezinhos que zombavam do profeta.

2 Reis 3 → O rei de Israel, Jorão, junta seus guerreiros para pelejar contra os moabitas, faltou água e coragem, então o profeta Eliseu foi chamado. As águas surgiram águas pelo caminho de Edom, sem vento e sem chuva. Os moabitas acharam que era o sangue dos israelitas, ao enfrentar Israel perdeu a batalha.

2 Reis 4:1-7 → O azeite da viúva é multiplicado, ela paga as dívidas e vive com o que sobrou.

2 Reis 4:8-37 e 8:1-6 → A sunamita hospeda o profeta e recebe a promessa de um filho. O filho nasce, mas ainda na infância morre. Eliseu foi chamado e o menino ressuscitou. Tempos mais tarde, Eliseu avisa à sunamita que haveria fome na terra por 7 anos, sob a orientação do profeta ela se refugia num local próspero, mas quando retorno encontra suas terras tomadas. Geazi que havia acabado de falar sobre ela perante o rei, aponta a mulher cujo filho ressuscitara. O rei devolve as terras da mulher.

2 Reis 4:38-44 → O veneno da comida foi retirado milagrosamente depois que Eliseu mandou jogar farinha na panela.

2 Reis 4:42-44 → 20 pães satisfazem 100 homens

2 Reis 5 → Naamã é curado da lepra e Geazi é amaldiçoado com a lepra de Naamã devido o pecado da cobiça e usura.

2 Reis 6:1-7 → O ferro do machado flutua, depois que Eliseu corta e lança um pau no rio.

2 Reis 6:8-33 – 7:1-20 → Eliseu delata todos os planos de Ben-Hadade, rei da Síria, para o rei de Israel, e é perseguido. Um exército siro cerca Dotã para capturar Eliseu. O profeta pede a Deus para cegar todos aqueles homens e guia o exército para as mãos do rei de Israel, que os poupa. A perseguição continua, Samaria é cercada e a fome aperta. Mas, Deus envia Sua Palavra de livramento pelo profeta Eliseu e os siros evadem do acampamento deixando muito despojo para trás.

C) 2 Reis 8:7-29 – 2 Reis 25→ Reis de Israel e Judá

HAZAEL

2 Reis 8:7-15 → Hazael, servo de Ben-Hadade, torna-se rei da Síria, conforme Deus havia revelado a Elias (1 Rs 19:15) e a Eliseu. Ele assassinou o rei da Síria e fez crueldade com os israelitas.

2 Reis 8 – 25

REIS DE ISRAEL

REIS DE JUDÁ

PROFETAS

ACAZIAS – filho de Acabe, reinou 2 anos

JOSAFÁ – reinou 25 anos

Elias (Israel)

JORÃO – filho de Acabe, reinou 12 anos

Eliseu (Israel)

JORÃO – filho de Josafá, reinou 8 anos

ACAZIAS – filho de Jorão, reinou 1 ano

JEÚ – usurpa o trono por ordem divina, mata toda a família de Acabe e destrói os altares e seguidores de Baal. Jeú reinou por anos, e seus filhos sucederam ao trono até a 4ª geração.

ATALIA – filha de Acabe e Jezabel, esposa de Jorão e mãe de Acazias, matou os sucessores ao trono e proclamou-se rainha. Reinou por 8 anos.

JEOACAZ – filho de Jeú, reinou 17 anos

JOÁS – filho de Acazias, salvo pela tia, Jeoseba, das mãos da avó, Atalia, e tutelado pelo sacerdote Joiada, começou a reinar aos 7 anos de idade e reinou até os 47 anos. Foi assassinado pelos seus servos.

JEOÁS – filho de Jeoacaz, reinou 16 anos.

JEROBOÃO – filho de Jeoás, reinou 41 anos.

AMAZIAS – filho de Joás, reinou 25 anos. Se vingou dos assassinos de seu pai.

JONAS (Israel)

AZARIAS – filho de Amazias, reinou 52 anos. Deus o feriu com lepra.

AMÓS E OSÉIAS (Israel); ISAÍAS (Judá)

ZACARIAS – filho de Jeroboão, reinou por 6 meses.

SALUM – filho de Jabez, assassinou o rei Zacarias e usurpou o trono. Reinou 1 mês.

MENAÉM – filho de Gadi, reinou 10 anos.

PECAÍAS – filho de Menaém, reinou por 2 anos.

PECA – filho de Remalias, capitão do rei Pecaías, conspirou contra o rei e tomou o trono. Reinou por 20 anos.

JOTÃO – filho de Uzias, reinou 16 anos.

OSÉIAS – filho de Elá, reinou 9 anos e Israel foi levado para o cativeiro assírio.

ACAZ – filho de Jotão, reinou 16 anos. Misturou religiões e removeu o altar de bronze do templo.

Ø

EZEQUIAS – filho de Acaz, reinou 25 anos. Foi um rei que combateu a idolatria e serviu ao SENHOR; recebeu livramento do SENHOR contra Senaqueribe e sua afronta; recebeu mais 15 anos de vida, como prova disso viu o relógio de Acaz recuar 10º; recebeu uma repreensão do SENHOR por se abrir aos babilônios; montou um sistema de saneamento básico grandioso.

MANASSÉS – filho de Ezequias (nascido durante os 15 anos a mais de vida que o rei Ezequias recebeu de Deus), reinou 55 anos, seu reinado foi marcado pela idolatria e pecados.

MIQUÉIAS e ISAÍAS (Judá)

AMOM – filho de Manassés, reinou 2 anos,

NAUM (Judá)

JOSIAS – filho de Amom, reinou 32 anos, foi um rei convertido ao SENHOR e obediente ao livro da lei, que foi achado na casa do SENHOR.

SOFONIAS, HULDA, JEREMIAS (Judá)

JEOACAZ – filho de Josias, reinou 3 meses

JEREMIAS (Judá)

ELIAQUIM/JEOAQUIM – filho de Josias, reinou 11 anos. Nabucodonozor, rei da Babilônia, se levanta contra Judá.

JEREMIAS, HABACUQUE (Judá)

JOAQUIM – filho de Jeoaquim, reinou 3 meses. Nabucodonozor leva cativo toda Jerusalém, somente os pobres da terra ficam.

JEREMIAS, HABACUQUE, OBADIAS (Judá)

MATANIAS/ZEDEQUIAS – tio de Joaquim, irmão do falecido rei Jeoacaz, intituído rei por Nabucodonozor, reinou por 11 anos. No 9º ano de Zedequias, este se revolta contra Nabucodonozor, que guerreia por 2 anos contra Jerusalém e a cidade é destruída. Nebuzaradã, capitão da guarda de Nabucodonozor, queimou o templo e o palácio em Judá. Zedequias teve os olhos furados e foi levado algemado para a Babilônia.

JEREMIAS E OBADIAS (Judá)

PERÍODO DE CATIVEIRO

Nabucodonozor coloca Gedalias como maioral em Judá, mas Gedalias foi assassinado por Ismael, do sangue real de Judá (Israel do cativeiro Assírio, foi dominado pelos babilônios).

O povo fugiu para o Egito.

O rei Joaquim foi honrado pelo rei da Babilônia, Evil-Merodaque.

O RELÓGIO DE SOL DE ACAZ

2 Reis 20:11 → O relógio pode ter sido uma escada, construída por Acaz, para marcar o tempo conforme a inclinação do sol. CHAMPLIN, assinala que cada grau desse relógio corresponde a 2 horas.

IMPÉRIO BABILÔNICO

BIBLIOGRAFIA CONSULTADA:

BÍBLIA DE ESTUDO APLICAÇÃO PESSOAL. Versão Almeida Revista e Corrigida. Ed. 1995. São Paulo: CPAD, 2010.

BÍBLIA SAGRADA: Anote: Revista e Corrigida na Grafia Simplificada. 1ª ed. Editora Central Gospel: Santo André, São Paulo, 2009.

BÍBLIA SAGRADA: Nova Versão Transformadora. 1. ed. São Paulo: Mundo Cristão, 2016.

CHAMPLIN, Russell Norman. O Antigo Testamento Interpretado: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: 2 Samuel. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Dicionário A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: 2 Reis. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 3.