ESTUDO DA BÍBLIA: 2 Crônicas

ÉTIMO DO TÍTULO DO LIVRO: Em hebraico o livro intitula-se Dibre Hayamim, cujo significado é “anais” ou “história”, originalmente formando 1 único volume. A divisão em 2 livros se deve à praticidade devido ao seu extenso volume. A versão grega do Antigo Testamento (Septuaginta) usou o nome Paralipomena, que significa “coisas omitidas”, omitidas de 1 e 2 Samuel e de 1 e 2 Reis. Jerônimo, o famoso tradutor da Bíblia, sugeriu, no prólogo de sua tradução latina de Samuel e Reis, que no lugar do título grego Paraleipomena, poderia ser chamada de Chronikon (crônica da história sagrada). Jerônimo manteve o título grego tradicional, mas sua proposta foi usada na tradução de Lutero, cujo título em alemão, Die Chronika (A Crônica), foi usado também na tradução da Bíblia para o inglês, e em outras traduções feitas durante o período da Reforma.

AUTOR: A autoria dos livros de 1 e 2 Crônicas é atribuída a Esdras.

DATA: Período estimado entre 400 e 305 a.C., período em que Neemias e Esdras estavam reorganizando Jerusalém no retorno do exílio babilônico.

TOTAL DE CAPÍTULOS: 36

CONTEÚDO: O conteúdo dos livros de Crônicas “abarca toda a história israelita, desde a criação (1 Cr 1.1) até perto da época do próprio autor (1 Cr 9.2-34)” (SELMAN, 2006), o livro de 2 Crônicas é a continuação da história dos reis de Judá até o cativeiro. Champlin (2001) acrescenta uma informação interessante: “Em 2 Crônicas 18.28 chegamos à marca da metade do Antigo Testamento. Ou seja, de Gênesis 1.1 a 2 Crônicas 18.28, há 11.574 versículos, sendo essa a metade do total de 23.148 versículos no Antigo Testamento.”.

O conteúdo basicamente se divide em 2:

2 Crônicas 1 – 9 → O reinado de Salomão

2 Crônicas 10 – 36 → A monarquia dividida, Reinos do Sul

RESUMO:

REIS DE JUDÁ

👑 SALOMÃO
2 Crônicas 1 → Salomão inicia seu reinado pedindo a Deus sabedoria e recebe a resposta positiva de Deus na mesma noite.
2 Crônicas 2:1 – 5:1 → Salomão inicia a construção do templo:
Início da construção: “segundo mês, no dia segundo, no quarto ano do seu reinado.” (2 Cr 3:2)
Inauguração do templo: “no sétimo mês” (2 Cr 5:3), 8 dias de festa (1 Rs 8:66; 2 Cr 7:8-10), do 11º ano do reinado de Salomão (2 Cr 3:2; 1 Rs 6:38)
Local: Em Jerusalém, no Monte Moriá (2 Cr 3:1; Gn 22:2;
Mão de Obra:
80 mil homens para cortar pedras nas montanhas (2 Cr 2:17);
70 mil homens para transportar as pedras (2 Cr 2:17);
3.700 supervisores (2 Cr 2:2,17);
O rei Hirão providencia madeiras e envia Hirão Abiú para executar artes em metal, em troca, Salomão providencia alimento para todo o palácio de Hirão (2 Cr 2:3-16).

O Templo:
Feito de pedra, forrado com madeira e coberto de ouro (2 Cr 3:5);
2 querubins no Santo dos Santos, 4x maior que os primeiros (Êx 37:6-8; 2 Cr 3:10-17);
Altar e mar de bronze (2 Cr 4:1-5);
10 Pias, 10 castiçais de ouro, 10 mesas (2 Cr 4:6-8);
Caldeiras, pás, bacias, vasos, acendedores de ouro finíssimo, garfos, taças, incensários (2 Cr 4:11,19-22);
2 colunas (2 Cr 4:12-13)
2 Crônicas 5 → A arca é levada de Sião para o Templo. Na arca só havia as 2 tábuas dos 10 mandamentos.

OS 4 PEDIDOS DA ORAÇÃO DE SALOMÃO

AS 4 RESPOSTAS DO SENHOR A ESSES PEDIDOS

2 Crônicas 6:

  1. A confirmação do trono para a descendência de Davi

  2. A aprovação do local de oração e adoração

  3. As bênçãos e o perdão para o povo de Israel e para estrangeiros

  4. “Ouve-nos!” (2 Cr 6:19)

2 Crônicas 7:

  1. Trono confirmado se permanecer fiel a Deus

  2. Aprovado o local de oração e adoração

  3. Bênçãos e perdão se houver arrependimento e busca ao SENHOR

  4. “Ouvi tua oração!” (2 Cr 7:12)

COMPARAÇÃO ENTRE VERSÍCULOS

2 CRÔNICAS 7

ARC

NVT

8 E, assim, naquele tempo, celebrou Salomão a festa sete dias, e todo o Israel com ele, uma muito grande congregação, desde a entrada de Hamate até ao rio do Egito.

9 E, ao dia oitavo, celebraram o dia da restrição, porque sete dias celebraram a consagração do altar e sete dias, a festa.

10 E, no dia vigésimo terceiro do sétimo mês, o rei deixou ir o povo para as suas tendas, alegres e de bom ânimo, pelo bem que o Senhor tinha feito a Davi, e a Salomão, e a seu povo de Israel.

8 Durante os sete dias seguintes, Salomão e todo o Israel celebraram a Festa das Cabanas. Uma grande multidão havia se reunido, de lugares distantes como Lebo-Hamate, ao norte, e o ribeiro do Egito, ao sul.

9 No oitavo dia, foi realizada uma cerimônia de encerramento, pois haviam comemorado a dedicação do altar por sete dias e a Festa das Cabanas por mais sete dias.

10 Terminada a festa, Salomão mandou o povo para casa. Foram embora alegres e exultantes, pois o Senhor tinha mostrado toda a sua bondade a Davi, a Salomão e a seu povo, Israel.

RIQUEZAS, MAGNIFICÊNCIAS E FEITOS DE SALOMÃO
2 Crônicas 8 – 9 → Salomão edificou o Templo, seu palácio em 20 anos; conquistou e edificou cidades; fez dos povos que não eram de Israel tributários; cumpriu as leis e as festas instituídas por Deus; acumulou muito ouro de Ofir, prata, marfim, madeira, pedras, macacos, pavões; recebeu visitas de reis e rainhas (a rainha de Sabá) para ouvirem sua sabedoria e também dominava sobre reis vizinhos; mandou produzir 200 grandes escudos de ouro batido, 300 escudos menores de ouro batido, um grande trono de marfim e ouro puro, com 2 leões de cada lado, com 6 degraus e sobre os degraus 12 leões… “excedeu o rei Salomão todos os reis da terra, em riqueza e sabedoria.” (2 Cr 9:22).

👑 ROBOÃO
2 Crônicas 10 – 12 → Roboão perde 10 tribos de Israel para Jeroboão, porque “… esta mudança vinha de Deus…” (2 Cr 10:15). Roboão reinou sobre Judá e Benjamim, e algumas mudanças aconteceram: os levitas espalhados pelas 10 tribos foram expulsos por Jeroboão, eles passaram a morar em Judá e Jerusalém; as pessoas tementes ao SENHOR das 10 tribos continuaram a ir a Jerusalém para servirem ao SENHOR, depois de 3 anos se afastaram de Deus. Roboão realizou os seguintes feitos: casou com 18 mulheres, tomou 60 concubinas, gerou 28 filhos e 60 filhas; edificou cidades em Judá e em Benjamim para se tornarem fortalezas, armou essas cidades, fez armazéns para estocar alimentos; quando se afastou do SENHOR egípcios, líbios, suquitas e etíopes tomaram as cidades fortes em Judá, depois da palavra do profeta Semaías, ele e o povo se humilharam, então o SENHOR prometeu não destruí-los. Roboão reinou por 17 anos, mas não foi fiel ao SENHOR.

👑 ABIAS
2 Crônicas 13 → Abias começou a reinar no 18º ano de reinado de Jeroboão, 4 anos depois, Jeroboão foi ferido por Deus e morreu. Houve uma guerra entre Abias e Jeroboão, nessa guerra Judá saiu com 400 mil guerreiros escolhidos, e Israel com 800 mil guerreiros escolhidos, Israel atacou Judá por frente e por trás, mas os sacerdotes tocaram as buzinas e os guerreiros clamaram ao SENHOR. Deus ouviu o clamor de Judá, então 500 mil dos guerreiros escolhidos de Israel foram mortos. Abias teve 14 mulheres e gerou 22 filhos e 16 filhas.

👑 ASA
2 Crônicas 14 – 16 → Asa foi um bom rei que serviu a Deus, combateu a idolatria e convocou o povo a servir ao SENHOR. Ele até depôs sua mãe do trono e destruiu o deus dela. Pessoas das tribos de Efraim, Manassés e Simeão, passaram a morar entre eles. No tempo de paz que Deus concedeu ao seu reinado, Asa aproveitou para fortificar e armar as cidades. Duas guerras são registradas no tempo de Asa: a primeira, contra Zerá, o etíope – Asa fez uma bela oração suplicando ajuda do SENHOR, registrada em 2 Crônicas 14:11, e Deus derrotou os etíopes; a segunda, contra Baasa, rei de Israel, ele confiou nos sírios – Deus o repreendeu, mas ele não deu ouvidos, ficou doente dos pés e não buscou a cura de Deus, mas sim dos médicos. Asa reinou por 41 anos.

👑 JOSAFÁ
2 Crônicas 17 – 20 → Josafá andou nos mandamentos de Deus (2 Cr 17:4); montou uma Escola Bíblica liderada por príncipes e levitas que ensinavam a Lei do SENHOR (2 Cr 17:7-9); edificou fortalezas e cidades de munições em Judá (2 Cr 17:12); realizou muitas obras bélicas e possuía 1.160.000 soldados a seu serviço (2 Cr 17:13-19); estabeleceu juízes e levitas para julgar retamente (2 Cr 19:5-11); se aliou com Acabe (2 Cr 18) e com o filho de Acabe, Acazias (2 Cr 20:35-37) e foi repreendido por Deus (2 Cr 19:1-3; 20:35-37); venceu com o louvor uma guerra contra o exército reunido de moabitas, amonitas e sírios (2 Cr 20:1-30).

👑 JEORÃO
2 Crônicas 21 → Jeorão, filho primogênito de Josafá, casado com a filha de Acabe, matou todos os seus irmãos e alguns príncipes de Israel. Enfrentou 2 revoltas, a dos edomitas e de Libna. Corrompeu o povo, e por isso, o profeta Elias lhe enviou por escrito a Palavra de Deus, na qual dizia que as mulheres e os filhos de Jeorão morreriam e ele morreria de uma má enfermidade. Na batalha contra filisteus e arábios, a profecia se cumpriu, somente o filho caçula do rei sobreviveu, Jeoacaz, e o SENHOR feriu Jeorão com a enfermidade de que morreu. A Bíblia registra que ele reinou por 8 anos e morreu sem deixar saudades (ele não foi sepultado no sepulcro dos reis).

👑 ACAZIAS
2 Crônicas 22:1-9 → Em 2 Cr 22:2, o texto traz 42 anos de idade do início de reinado de Acazias, entretanto, em 2 Reis 8:26 traz 22 anos, a idade correta – visto que, o pai de Acazias morreu aos 40 anos (2 Cr 21:20). Acazias reinou 1 ano em Judá e tinha como conselheira a sua mãe, Atalia, filha de Acabe. Se aliou ao filho de Acabe, Jorão, e foi ferido na guerra contra a Síria. Numa visita a Jorão, Jeú, que havia recebido ordem divina para destruir a casa de Acabe, também matou a Acazias e seus sobrinhos.

👑 ATALIA
2 Crônicas 22:10-12; 23:12-15 → Atalia matou toda a linhagem de sucessão ao trono, exceto a Joás, que foi escondido por sua tia Joesabeate (ou Jeoseba – irmã de Acazias e esposa do sacerdote Joiada). Ela reinou por 7 anos. Mas, quando Joás foi revelado, ela foi morta a espada.

👑 JOÁS
2 Crônicas 23 – 24 → Joás era um bebê quando foi escondido no templo para não ser morto por sua própria avó, Atalia. Ficou morando no Templo aos cuidados de Joiada. Aos 7 anos foi ungido rei e reinou por 40 anos. Joás reformou o templo, conseguiu arrecadar dinheiro em abundância que deu para fazer toda a obra e ainda sobrou. Enquanto o sacerdote Joiada era vivo, serviu ao SENHOR, mas depois que o sacerdote morreu (com 130 anos) o rei e o povo se afastaram de Deus. Quando o filho de Joiada, o sacerdote Zacarias, foi usado pelo Espírito de Deus para repreendê-los, eles o apedrejaram entre o Templo e o altar. Em Lucas 11:51, Jesus alerta sobre a justiça divina pelas mortes dos inocentes Abel e Zacarias. Deus levantou a Síria para executar juízos contra Joás, que ficou enfermo e 2 conspiradores o mataram no leito de enfermidade, Zabade e Jozadabe.

👑 AMAZIAS
2 Crônicas 25 → Começou a reinar aos 25 anos de idade, no início foi fiel ao SENHOR. Ele matou os conspiradores e assassinos de seu pai, Zabade e Jozabade. Na guerra contra Seir, Amazias juntou 300 mil escolhidos de Judá e Benjamim, contratou 100 mil varões valentes de Israel (da tribo de Efraim) por 100 talentos de prata para cada, mas Deus enviou um profeta com a mensagem de dispensar os efraimitas. Dispensados, os efraimitas se enfureceram contra Judá, atacou algumas cidades, matou 3 mil pessoas e levou grande despojo. Na volta vitoriosa de Amazias, ele trouxe os deuses de Seir e passou a adorá-los. O profeta tornou a ele, mas dessa vez ele não deu ouvidos. Amazias provocou a Joás, rei de Israel, foi preso e 15 anos mais tarde foi assassinado.

👑 UZIAS
2 Crônicas 26 → Começou a reinar aos 16 anos, no início do reinado foi fiel ao SENHOR, mas depois de se fortalecer no trono se exaltou e se corrompeu. Uzias venceu os filisteus, arábios, meunitas, amonitas; edificou e fortificou Jerusalém e cidades de Judá; ampliou a agricultura do reino; formou um exército forte; construiu catapultas, armas, escudos, capacetes para seu exército; sua fama alcançou lugares remotos. Exaltado, Uzias entrou no templo para queimar incenso, sendo esta uma tarefa exclusiva dos sacerdotes levitas. Por causa disto, na mesma hora, Uzias ficou leproso, foi obrigado a abdicar do trono, passou a morar numa casa separada e seu filho, Jotão, passou a reinar.

👑 JOTÃO
2 Crônicas 27 → Jotão foi um bom rei, pois obedeceu a Deus. Começou a reinar aos 25 anos e morreu aos 41, reinou 16 anos em Judá. Seu reinado foi marcado por várias edificações, desde o templo do SENHOR até castelos e torres nos bosques. Os amonitas o serviu por 3 anos, e Jotão se fortaleceu no reino.

👑 ACAZ
2 Crônicas 28 → Acaz começou a reinar aos 20 anos e morreu aos 36 anos, reinou por 16 anos. Acaz fez imagens a Baalins, queimou incenso a outro deus no vale do filho de Hinom (em hebraico – Geena – “lago de fogo”), queimou seus filhos no fogo em sacrifício, fez sacrifícios e queimou incenso em altos e outeiros. Os siros, e mais tarde Israel, guerrearam contra Judá e os derrotaram. [O exército de Israel levava vários judeus cativos e grande despojo, quando Deus enviou um profeta para dissuadi-los. Eles obedeceram, vestiram os presos e devolveram o despojo, deixando-os voltar para casa.] Acaz serviu os deuses de Damasco e pediu ajuda da Assíria contra os edomitas e filisteus, mas sofreu grande derrota, muitas pessoas foram levadas cativas. Acaz era politeísta, mas não servia a Deus, ele fechou as portas do Templo do SENHOR e quebrou todos os vasos consagrados. Ao morrer, ele não foi sepultado na sepultura dos reis.

👑 EZEQUIAS
2 Crônicas 29 – 32 → Ezequias começou a reinar aos 25 anos, reinou por 29 anos em Judá e morreu aos 54 anos de idade. Um dos feitos de Ezequias que foi destacado em 2 Crônicas foi a reabertura do templo. O templo, os levitas e o povo foram limpos, santificados e consagrados a Deus. Os levitas cantores e músicos, que foram levantados por Deus no tempo de Davi, voltaram a louvar ao SENHOR. O rei Ezequias na abertura do templo, sacrificou ao SENHOR e marcou o dia 14 do 2º mês para a comemoração da Páscoa (a data correta era no primeiro mês, mas, porque os levitas não estavam consagrados a data foi alterada). Para esta comemoração, o rei Ezequias convocou todo o reino de Judá e de Israel. Das 12 tribos somente as tribos de Judá e Benjamim compareceram em peso, e alguns das tribos de Aser, Manassés, Zebulom, Efraim e Issacar. Deus ouviu as orações intercessória e de benção do rei Ezequias e dos sacerdotes, e curou o povo. Após a festa, o povo destruiu estátuas, bosques, altos e altares a outros deuses em Judá, Benjamim, Efraim e Manassés. O povo foi alertado sobre a ajuda financeira aos levitas, por 4 meses o povo levou ofertas, dízimos, primícias em abundância aos levitas, que foi preciso fazer câmaras para guardar tudo. O rei da Assíria, Senaqueribe, se levantou contra Judá, para tomar suas cidades, blasfemou contra Deus e tentou intimidar o povo. Entretanto, o rei Ezequias e o profeta Isaías oraram ao SENHOR, e Deus ouviu e enviou um anjo que destruiu todo o exército de Senaqueribe. Este, voltou para a casa de seu deus envergonhado e os seus filhos o mataram ali mesmo. Ezequias teve riquezas e glória, construiu grandes armazéns para alimentos, muitas estrebarias para os muitos animais, edificou muitas cidades, teve muita fazenda e gado, escondeu as preciosas águas de Giom num túnel subterrâneo. Mas, seu coração se exaltou, por isso Deus enviou os príncipes da Babilônia para descobrir seu coração orgulhoso. Como ele se arrependeu, o SENHOR não trouxe a punição em seus dias. Ezequias foi sepultado na melhor sepultura dos filhos do rei Davi.

👑 MANASSÉS
2 Crônicas 33:1-20 → Manassés começou a reinar aos 12 anos de idade, reinou por 55 anos. Ele foi um grande idólatra, tornou a edificar altos, levantar altares, fazer bosques e se prostrar a vários outros deuses. Colocou altares estranhos no templo como também uma imagem esculpida, um ídolo, lá dentro. Ele consultou a adivinhadores, agoureiros, feiticeiros, encantadores e passou seus filhos pelo fogo. Deus falou com ele e com o povo, mas não foi ouvido. Somente quando ele foi levado cativo pelos babilônios, que ele clamou e se humilhou perante Deus. Deus o trouxe de volta a Jerusalém, e Manassés conheceu que o SENHOR era Deus. Manassés retirou os altares estranhos e a imagem de dentro do templo, reparou o altar do SENHOR e passou a adorá-lo. Manassés também edificou os muros de Jerusalém e fortaleceu seu exército com homens valentes.

👑 AMOM
2 Crônicas 33:21-25 →Amom, começou a reinar aos 22 anos, reinou por 2 anos e morreu aos 24 anos. Ele adorou às imagens que seu pai, Manassés, havia feito e não se humilhou a Deus. Os seus servos conspiraram contra ele e o mataram. O povo matou os conspiradores e fizeram Josias, seu filho reinar.

👑 JOSIAS
2 Crônicas 34 – 35 → Os feitos de Josias são registrados pelos seus anos de reinado, de forma que é possível fazer uma biografia por sua idade:
8 anos → Josias começa a reinar;
16 anos → Josias começa a buscar a Deus;
20 anos → Josias purifica Judá, Manassés, Efraim, Simeão, Naftali dos deuses, imagens, altos e bosques;
26 anos → Josias repara a Casa de Deus; o Livro da Lei é encontrado pelos levitas; a profetisa Hulda é consultada e o SENHOR promete enviar a punição pelos pecados de Israel depois da morte de Josias; os levitas são organizados segundo suas funções; a Páscoa e os pães asmos foram comemorados de uma forma que desde Samuel não havia sido comemorados;
39 anos → Josias enfrenta Faraó Neco, quando este saía para guerrear contra Carquemis (povos assírios), e morre depois de ser atingido por uma flecha. Josias reinou por 31 anos, o profeta Jeremias fez uma lamentação sobre a morte do rei e as lamentações sobre ele se tornaram um estatuto em Israel.

👑 JOACAZ
2 Crônicas 36:1-4 → Começou a reinar aos 23 anos e reinou somente 3 meses. Faraó o depôs e o levou para o Egito.

👑 ELIAQUIM/JEOAQUIM
2 Crônicas 36:5-10 → Começou a reinar aos 25 anos e reinou por 11 anos. O rei Nabucodonozor o levou cativo, inicia aqui o domínio do Império Babilônico sobre Judá.

👑 JOAQUIM
2 Crônicas 36:8-10 → Começou a reinar aos 8 anos de idade e reinou apenas 3 meses e 10 dias. Nabucodonozor tornou a levá-lo cativo.

👑 ZEDEQUIAS
2 Crônicas 36:11-23 → Começou a reinar aos 25 anos e reinou por 11 anos. Por causa das más obras de Ezequias contra Deus, o rei da Babilônia dominou sobre Judá, os fez cativos, destruiu o templo, palácios a fogo e derrubou os muros. Segundo a palavra do profeta Jeremias, somente quando o reino persa se levantou e Ciro reedificou o tempo em Jerusalém (70 anos depois, contados a partir do 4º ano do rei Eliaquim/Jeoaquim, quando a profecia foi dita pela primeira vez (Jr. 25:1-12), até o 1º ano do rei da Pérsia, Ciro).

REFERÊNCIAS:

BÍBLIA SAGRADA: Anote: Revista e Corrigida na Grafia Simplificada. 1ª ed. Editora Central Gospel: Santo André, São Paulo, 2009.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: 2 Crônicas. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 3.

Anúncios

MULHERES DA BÍBLIA 2018: Junho

Continuamos os estudos sobre as mulheres da Bíblia durante o mês de junho.

Para saber como funciona o estudo CLICA AQUI, para acompanhar o plano bíblico em ordem cronológica CLICA AQUI, para acessar a lista de livros das mulheres da Bíblia, clica nesse outro link: MULHERES DA BÍBLIA 2018

Se você ainda não viu a postagem do mês de janeiro a maio, que somam 75 fichas de mulheres da Bíblia, clica nesses links:
MULHERES DA BÍBLIA 2018: Janeiro 1-17
MULHERES DA BÍBLIA 2018: Fevereiro 18-32
MULHERES DA BÍBLIA 2018: Março 33-45
MULHERES DA BÍBLIA 2018: Abril 46-58
MULHERES DA BÍBLIA 2018: Maio 59-75

Acompanhe também no Telegram meditações de segunda a sexta sobre as mulheres da Bíblia: @lisland

Abaixo vamos continuar a lista com a numeração e dados das mulheres da Bíblia.

LISTA:

76. Orfa

77. As belemitas

78. As servas de Boaz

79. As moabitas

80. A mãe de Rute

81. Ana, a mãe de Samuel

82. Penina

83. As filhas de Ana e Penina

84. Mulheres que serviam à porta do Tabernáculo

85. A esposa de Finéias

86. Jovens a buscar água

FICHAS DE DADOS:

76. MULHER DA BÍBLIA: Orfa

REFERÊNCIA BÍBLICA: Rute 1:4,6-15

SIGNIFICADO DO NOME: De significado incerto, pode ser “pescoço”, “gazela” e “frescor juvenil”.

LOCAL: Moabe

ÉPOCA: 1268 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Ela voltou para os seus deuses moabitas.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • SOGRA: Noemi

  • ESPOSO: Malom

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: Rute

RESUMO DA VIDA:

Orfa foi uma moabita que se casou com o filho de Noemi, Malom. Ela ficou viúva e resolveu acompanhar a sua sogra para outra terra. Ela amava a Noemi, mas quando ouviu a recomendação desesperançosa de sua sogra lhe pedindo para voltar, ela muito triste, beijou a sua sogra e voltou. Não sabemos o final da história de Orfa.

PROPÓSITO:

  • Mostrar que as nossas expectativas na vida podem nos tirar do verdadeiro foco que é Deus.

DEVO EVITAR:

  • Não posso recuar diante das vicissitudes da vida, devo confiar no futuro preparado por Deus.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

77. MULHER DA BÍBLIA: As belemitas

REFERÊNCIA BÍBLICA: Rute 1:19, 4:14,17

SIGNIFICADOS DOS NOMES: Os nomes delas não foram registrados

LOCAL: Belém de Judá

ÉPOCA: 1268 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Mulheres tementes a Deus

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: Noemi, Elimeleque, Boaz

RESUMO DA VIDA:

PROPÓSITO:

  • Auxiliar a Noemi.

DEVO IMITAR:

  • Como as belemitas, devo apoiar e animar alguém necessitado em minha comunidade.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

78. MULHERES DA BÍBLIA: As servas de Boaz

REFERÊNCIA BÍBLICA: Rute 2:8, 13, 22, 23

SIGNIFICADOS DOS NOMES: Seus nomes não são mencionados

LOCAL: Belém de Judá

ÉPOCA: 1268 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Mulheres amparadas por Deus

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: Boaz, Rute

RESUMO DA VIDA:

As servas de Boaz eram mulheres contratadas por Boaz, para tarefas de cooperação junto aos ceifeiros. Elas saíam cedo de suas casas, na cidade de Belém, se reuniam e caminhavam juntas aos campos. Entre as mulheres contratadas, também se juntavam as respigadeiras, que, conforme a “Lei da Respiga” (Dt 24:19-22; 23:24-25), mulheres pobres, viúvas, estrangeiras e órfãs podiam catar espigas com a mão, não podiam usar foice nem guardar em sacos, catavam apenas o que os ceifeiros deixavam para trás, com o objetivo de juntar uma quantidade suficiente de grãos para matar a fome. Depois da chegada de Noemi, Rute se juntou a elas.

PROPÓSITO:

  • Elas auxiliaram Rute, participando assim do grande projeto que Deus tinha para ela.

DEVO IMITAR:

  • Preciso ter a força de vontade e atitude que as servas e respigadeiras de Boaz tiveram, para se manter, quando as circunstâncias não estavam favoráveis.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

79. MULHERES DA BÍBLIA: As moabitas

REFERÊNCIA BÍBLICA: Rute 1:4

SIGNIFICADOS DOS NOMES: Seus nomes não são mencionados

LOCAL: Moabe

ÉPOCA: 1268 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Não serviam a Deus.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: Orfa, Rute, Noemi, Malom, Quiliom.

RESUMO DA VIDA:

As moabitas eram descendentes do filho de Ló com sua filha. Os moabitas passaram a viver longe de Deus, adoravam deuses, dentre os quais Quemós, era o deus a quem os moabitas sacrificavam pessoas em rituais canibalistas (Sl 106:28). Próximo à conquista da Terra Prometida, o povo de Israel foi seduzido pelos deuses e se prostituíram (Nm 25). Deus já havia ordenado ao povo que não podiam se misturar com as nações vizinhas, justamente por causa desse motivo (Dt 7:3), e depois do desastre de Baal-Peor, os moabitas também ficaram proibidos de entrarem na congregação do SENHOR até uma determinada geração (Dt 23:3). As moabitas, apesar de serem semitas (descentes de Sem, a descendência abençoada por Noé), se tornaram iguais aos povos amaldiçoados, com práticas errôneas e sem arrepender-se delas.

PROPÓSITO:

  • Mostrar que alguém destinada à benção pode se tornar amaldiçoada por causa da desobediência a Deus e quando uma pessoa sob maldição obedece e teme a Deus recebe da parte dEle a benção.

DEVO EVITAR:

  • Não posso desobedecer a Deus, senão fico sob maldição.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

80. MULHER DA BÍBLIA: A mãe de Rute

REFERÊNCIA BÍBLICA: Rute 2:11

SIGNIFICADO DO NOME: Seu nome não é citado

LOCAL: Moabe

ÉPOCA: 1268 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Não era serva de Deus

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • FILHA: Rute

RESUMO DA VIDA:

Nada é citado sobre a mãe de Rute, senão que ela deixou sua mãe em Moabe. Ela provavelmente era uma mulher idólatra e deveria receber Rute em casa, após esta ter ficado viúva. Com a decisão de Rute de ir para outra nação, ela nunca mais tornou a ver a filha.

PROPÓSITO:

  • Mostrar que apesar de Rute ter uma mãe, houve uma mãe espiritual que cuidou da alma dela.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

81. MULHER DA BÍBLIA: Ana, a mãe de Samuel

REFERÊNCIA BÍBLICA: 1 Samuel 1:2, 5-28; 2:2-10, 19-21

SIGNIFICADO DO NOME: “Graça”, “graciosa”

LOCAL: Ramataim-Zofim, da montanha de Efraim; Siló

ÉPOCA: 1115 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Foi uma serva fiel de Deus

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • ESPOSO: Elcana, da tribo de Levi

  • FILHOS: Samuel, mais 3 filhos e 2 filhas

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: Penina, Eli

RESUMO DA VIDA:

Ana era a primeira esposa de Elcana, muito amada por ele, apesar de ser estéril. Penina, a rival de Ana, a perturbava todos os anos que estavam adorando a Deus em Siló porque ela era estéril. Ana ficava tão triste que não conseguia comer a porção excelente que seu marido separava para ela. Entretanto, ela tomou uma decisão firme no coração de pedir ao SENHOR 1 filho e entregá-lo ao serviço integral a Deus. Essa decisão foi apoiada pelo esposo. O sacerdote Eli dispensou uma palavra de benção a Ana e ela confiando na Palavra voltou a comer alegre. Cerca de 3 anos depois, Ana e Elcana voltam ao templo com o pequeno Samuel, para entregá-lo para sempre a Deus. Ana entoou uma linda oração em gratidão a Deus, o sacerdote Eli abençoou o casal com uma palavra de benção para terem mais filhos e o SENHOR concedeu mais 5 filhos a Ana.

PROPÓSITO:

  • A esterilidade de Ana desenvolveu nela uma fé que culminou na existência de um dos maiores juízes de Israel, o profeta Samuel.

DEVO IMITAR:

  • Devo imitar a fé, perseverança, confiança e fidelidade de Ana;

  • Como Ana posso colocar diante do SENHOR meus desejos e ansiedades.

DESTAQUE:

“[…] Após Ana ter cumprido sua promessa de dedicar Samuel ao serviço de Deus, o Senhor a abençoou com mais filhos. Ela havia implorado a Deus que lhe desse um filho; Ele lhe deu mais três meninos e duas meninas. Os anos de anseio por um filho enquanto suportava os escárnios da outra esposa de Elcana desapareceram de sua memória enquanto mais filhos nasceram. Com visitas ao Tabernáculo para tomar conta das necessidades e Samuel além do cuidado de outros cinco filhos, Ana desfrutava de uma vida plena. A dor que ela havia sofrido em renunciar o seu primogênito, após apenas alguns anos com ele, foi atenuada conforme desfrutava das bençãos que Deus enviou para recompensar sua fidelidade a Ele.

O Senhor se deleita em recompensar Seus filhos fiéis. Jesus prometeu que qualquer um que abrir mão de algo por Deus desfrutará da vida eterna e será ricamente abençoado nesta vida. […].”

Dianne Neal Matthews, em “Um ano com as mulheres da Bíblia”

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

MATHEWS, Dianne Neal. UM ANO COM AS MULHERES DA BÍBLIA. Tradução por: Elisa Tisserant de Castro. Curitiba: Publicações Pão Diário, 2016.

82. MULHER DA BÍBLIA: Penina

REFERÊNCIA BÍBLICA: 1 Samuel 1:2, 4, 6, 7

SIGNIFICADO DO NOME: “Coral”

LOCAL: Ramataim-Zofim, da montanha de Efraim; Siló

ÉPOCA: 1115 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • A Bíblia não menciona seu relacionamento com Deus.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • ESPOSO: Elcana, da tribo de Levi

  • FILHOS: Filhos e filhas

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: Ana

RESUMO DA VIDA:

Penina era a segunda esposa de Elcana, foi abençoada por Deus com filhos e filhas. Tal como Léia, seu esposo amava mais a outra que não tinha filhos. Penina, no entanto, provocou ao extremo sua rival, Ana, porque ela tinha o que Ana não tinha: filhos.

PROPÓSITO:

  • Como segunda esposa, Penina é mais um exemplo de que o matrimônio deve ser monogâmico.

DEVO EVITAR:

  • Quando estiver numa situação ruim, não posso desdenhar da desgraça alheia.

DESTAQUE

“[…] Penina, chamada de “rival de Ana” (v.6), a provocava, debochando do fato de que o Senhor não lhe dera filhos.

Elcana preferia Ana, a quem amava profundamente, mas isso só aumentava a amarga rivalidade entre as duas mulheres. Essa rivalidade era um efeito inevitável da bigamia de Elcana. É claro que uma das razões pelas quais Deus projetou o casamento como relação monogâmica era evitar essa espécie de briga dentro das famílias. […]”

John MacArthur, em “Doze Mulheres Notáveis”

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

MACARTHUR, John. DOZE MULHERES NOTÁVEIS: Como Deus Formou Mulheres da Bíblia e o que Ele quer Fazer com Você. Traduzido por Elizabeth Stowell Charles Gomes. 2. Ed. São Paulo: Cultura Cristã, 2014.

83. MULHERES DA BÍBLIA: As filhas de Ana e Penina

REFERÊNCIA BÍBLICA: 1 Samuel 1:4; 2:21

SIGNIFICADOS DOS NOMES: Seus nomes não são mencionados

LOCAL: Ramataim-Zofim, da montanha de Efraim; Siló

ÉPOCA: ~ 1115 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • A Bíblia não menciona seu relacionamento com Deus.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • PAI: Elcana, da tribo de Levi

  • FILHAS DE PENINA: Filhas (quantidade não mencionada)

  • FILHAS DE ANA: 2 filhas

RESUMO DA VIDA:

As filhas de Elcana com Penina nasceram primeiro que as duas filhas de Elcana com Ana. Não sabemos o total de filhas de Elcana, nem temos mais informações a respeito delas. Mas, certamente elas trouxeram muita alegria à Elcana.

PROPÓSITO:

  • Mulheres que deram prosseguimento a descendência de Elcana.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

MACARTHUR, John. DOZE MULHERES NOTÁVEIS: Como Deus Formou Mulheres da Bíblia e o que Ele quer Fazer com Você. Traduzido por Elizabeth Stowell Charles Gomes. 2. Ed. São Paulo: Cultura Cristã, 2014.

84. MULHERES DA BÍBLIA: Mulheres que serviam à porta do Tabernáculo

REFERÊNCIA BÍBLICA: 1 Samuel 2:22

SIGNIFICADOS DOS NOMES: Seus nomes não foram mencionados

LOCAL: Siló e todo o Israel

ÉPOCA: ~ 1105 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Mulheres que buscavam a Deus

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: Sacerdotes Hofni e Finéias

RESUMO DA VIDA:

Várias mulheres de Israel se juntavam numa tenda à porta do Tabernáculo, para servir a Deus com ofertas, entregar seus sacrifícios, limparem a área, orar, jejuar, adorar ao SENHOR. Entretanto, os sacerdotes Hofni e Finéias, filhos do sumo sacerdote Eli, se deitavam com elas. Eles tinham suas esposas, mesmo assim achavam que estavam acima da lei de Deus. CHAMPLIN (VT, 2001) afirma que eles forçavam essas mulheres a praticarem atos sexuais com eles. A má fama e o escândalo correu por todo o Israel até chegar aos ouvidos de Eli, que os repreendeu, mas nada mudou. O SENHOR não os deixou sem punição e proferiu uma maldição para toda a descendência de Eli (1 Sm 3:11-14).

PROPÓSITO:

  • Mostrar a decadência espiritual em que o povo de Israel se encontrava, apesar de haver desejo de buscar ao SENHOR.

DEVO IMITAR:

  • Devo me comprometer no verdadeiro serviço ao SENHOR.

DEVO EVITAR

  • Devo ter todo o cuidado para não ser vítima de práticas contrárias ao verdadeiro serviço a Deus.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

85. MULHER DA BÍBLIA: A esposa de Finéias

REFERÊNCIA BÍBLICA: 1 Samuel 4:19-22

SIGNIFICADO DO NOME: Seu nome não foi mencionado

LOCAL: Siló

ÉPOCA: ~ 1094 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Ela era uma mulher de fé em Deus

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • ESPOSO: Finéias

  • SOGRO: Eli

  • FILHO: Icabode

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: Mulheres parteiras

RESUMO DA VIDA:

Ela era a esposa de um sacerdote promíscuo e ímpio, entretanto era uma mulher fiel a Deus. Seu marido foi à guerra transportando a Arca da Aliança. No estágio delicado que é a gravidez, recebeu a notícia de que havia ficado viúva, que seu sogro também havia falecido e de que a Arca havia sido levada pelos filisteus. Na mesma hora, as contrações vieram e ela deu à luz, ao mesmo tempo que ia morrendo. As parteiras tentaram animá-la com a notícia da chegada de um filho homem. Entretanto, ela não reagiu, antes deu um nome icônico para o bebê “Icabode”, que significa “foi-se a glória de Israel”, porque a Arca da Aliança, que simboliza a presença de Deus havia sido levada de Israel.

PROPÓSITO:

  • Mostrar que o espiritual é mais importante que qualquer outra coisa na vida.

DEVO IMITAR:

  • Devo imitar a fidelidade desta mulher a Deus, ainda que seu esposo e sua nação não vivessem para Deus.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

86. MULHERES DA BÍBLIA: Jovens a buscar água

REFERÊNCIA BÍBLICA: 1 Samuel 9:11-12

SIGNIFICADO DO NOME: Seus nomes não foram mencionados

LOCAL: Ramá

ÉPOCA: ~ 1072 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Não é mencionado

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: Saul e seu servo, Samuel

RESUMO DA VIDA:

As jovens de Ramá, desempenhavam uma atividade comum às mulheres solteiras: buscar água antes do anoitecer para as necessidades básicas durante a noite, horário que ninguém podia sair devido à falta de iluminação. Geralmente havia um poço fora da cidade que era de uso para toda a comunidade. As moças se reuniam e saíam juntas. Saul, quando procurava suas jumentas, resolveu entrar na cidade para buscar a revelação do profeta Samuel, quando encontrou as jovens que saíam a buscar água. Elas passaram toda a informação que ele necessitava.

PROPÓSITO:

  • Mostrar que as jovens serviam em casa e as pessoas de boa vontade.

DEVO IMITAR:

  • Devo imitar a disposição e boa vontade dessas jovens.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: 1 Samuel. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

MULHERES COMO EU: Joquebede

O Estudo “Mulheres como eu” foi desenvolvido pelo Ministério Cafezinho da Tarde. Confira as instruções de como realizar esse precioso estudo no site → https://cafezinhodatarde.com/estudos/mulheres-como-eu/

Confira ao estudo sobre Joquebede:

📖 Versículos selecionados:

📖 ÊXODO 2:1-10

Um homem da tribo de Levi casou-se com uma mulher da mesma tribo, e ela engravidou e deu à luz um filho. Vendo que era bonito, ela o escondeu por três meses. Quando já não podia mais escondê-lo, pegou um cesto feito de junco e o vedou com piche e betume. Colocou nele o menino e deixou o cesto entre os juncos, à margem do Nilo.

A irmã do menino ficou observando de longe para ver o que lhe aconteceria.

A filha do faraó descera ao Nilo para tomar banho. Enquanto isso as suas servas andavam pela margem do rio. Nisso viu o cesto entre os juncos e mandou sua criada apanhá-lo. Ao abri-lo viu um bebê chorando. Ficou com pena dele e disse:

— Este menino é dos hebreus.

Então a irmã do menino aproximou-se e perguntou à filha do faraó:

— A senhora quer que eu vá chamar uma mulher dos hebreus para amamentar e criar o menino?

— Quero, respondeu ela.

E a moça foi chamar a mãe do menino.

Então a filha do faraó disse à mulher:

— Leve este menino e amamente-o para mim, e eu lhe pagarei por isso.

A mulher levou o menino e o amamentou.

Tendo o menino crescido, ela o levou à filha do faraó, que o adotou e lhe deu o nome de Moisés, dizendo:

— Porque eu o tirei das águas.

A história de Joquebede inicia sem a citação de seu nome, que só é mencionado em Êxodo 6:20. O relato começa narrando o conflito espiritual entre faraó e Deus. Faraó, amedrontado pelo crescimento rápido do povo hebreu, ordenou um controle de natalidade que consistia em matar todos os bebês do sexo masculino. Ele fez 3 tentativas, a primeira ordem foi para oprimir os hebreus com o trabalho escravo, mas quanto mais aumentava a opressão, mais os hebreus se multiplicavam; a segunda tentativa foi uma ordem dada às parteiras egípcias, para matarem os meninos hebreus ao nascerem (Êx 1:15-20), como as parteiras temeram a Deus e não mataram, faraó ordenou que todo o seu povo lançasse os bebês hebreus no rio Nilo (Êx 1:22).

Joquebede engravida em meio toda essa tensão, ao ter o bebê ela consegue mantê-lo escondido em casa por 3 meses. Quando não podia mais escondê-lo, ela, em obediência a ordem de faraó deixa seu filhinho no rio Nilo. Mas, ela não entrega o bebê aos egípcios, antes, faz um cesto com juncos (gramínea que depois de seca serve para tecer cestos e esteiras), veda o cesto com betume e o impermeabiliza com piche, e coloca seu bebê dentro. Chegando ao rio Nilo, ela toma o cuidado de escolher o local e não deixar o cesto ser carregado pela correnteza, ela deixa o cesto preso entre os papiros que cresciam à margem do rio. Apesar de ser muito difícil para Joquebede fazer isso, ela vinha da tribo que perseverou em buscar e temer ao SENHOR. Por isso, imaginamos que durante todo o processo ela fez orando e confiando que Deus faria um milagre de livrar seu filho da morte.

A filha mais velha de Joquebede, Miriã, fica vigiando o cesto do lugar de onde deu para ver a filha de faraó se aproximar do cesto e perceber a sua reação de compaixão ao ver o bebê. Segundo Josefo (2004), a princesa se chamava Thermuthis, ela identifica o bebê como um hebreu. Rapidamente, Miriã se aproximou dela e fez sua oferta: de a própria mãe do bebê se tornar a ama do pequeno. A oferta foi aceita pela princesa e ela ainda ofereceu um salário à ama. Joquebede foi trazida por Miriã e apresentada à princesa. Foi Thermuthis quem deu o nome à criança – Moisés – porque ela o havia retirado das águas, ela o adotou oficialmente após o período que Moisés foi desmamado (provavelmente na de idade de 7 anos). É interessante ressaltar, que o faraó que havia ordenado a morte dos meninos hebreus, criou o libertador de Israel em seu próprio lar. Moisés sabia a qual povo pertencia e escolheu temer e servir a Deus, isso nos induz a pensar, que antes da formação egípcia, Joquebede o ensinou a temer a Deus.

📖 ÊXODO 6:20

“Anrão tomou por mulher sua tia Joquebede, que lhe deu à luz Arão e Moisés. Anrão viveu cento e trinta e sete anos.”

Após o relato da história de Joquebede, somente neste versículo é que nos é apresentado o nome dela e de seu esposo, que também era seu sobrinho. A ordem de Deus proibindo casamento entre parentes próximos só ocorreu mais tarde (Lv 18:12).

📖 NÚMEROS 26:59

“O nome da mulher de Anrão era Joquebede, descendente de Levi, que nasceu no Egito. Ela lhe deu à luz Arão, Moisés e Miriã, irmã deles.”

Anrão nasceu no Egito, mas, é interessante ressaltar, que o local de nascimento dos hebreus, não alterava sua origem hebreia. Anrão é, portanto, um israelita. Joquebede e Anrão eram da mesma tribo, descendentes de Coate – filho de Levi, o casal gerou a 3 filhos. A mais velha era Miriã, mas somente homem era considerado na primogenitura, portanto o escritor em Números lista os 3 filhos deles, não em ordem de nascença, mas sim de primogenitura: Arão era o primogênito – mais tarde se tornou o sumo sacerdote de Israel, e Moisés o libertador e líder religioso, por meio do qual o SENHOR deu a Sua lei.

📖 HEBREUS 11:23

“Pela fé Moisés, recém-nascido, foi escondido durante três meses por seus pais, pois estes viram que ele não era uma criança comum, e não temeram o decreto do rei.”

Joquebede entra na lista de heroínas da fé. Ainda que nomes não sejam citados, sabemos pelas referências anteriores, que Joquebede o escondeu Moisés com o aval de seu esposo. Este versículo nos mostra o que os fizera praticar tal ato: a fé e a coragem. É importante salientar também, a visão que Joquebede e Anrão tinham, ao identificar pela fisionomia do recém-nascido, que havia ali algo grande de Deus.

Questionário

1. História de Joquebede

Nascida no Egito, Joquebede cresceu temente ao SENHOR e se casou com seu sobrinho, Anrão. Joquebede teve 3 filhos: Miriã, Arão e Moisés. Sua fé foi colocada em ação quando concebeu um menino e sem temer a ordem do Faraó, não permitiu que o seu filho fosse morto. Deus a recompensou fazendo com que se tornasse protegida da filha de Faraó, criando seu filho com salário e em liberdade até incutir nele o temor ao único Deus.

2. Local em que Joquebede morou na época e o país na atualidade

Egito – Um dos países mais antigos do mundo, o Egito ainda hoje subsiste, no nordeste da África, e parte do Oriente Médio e Ásia. O Egito se tornou uma figura do lugar mundano da qual a pessoa que deseja seguir Deus deve sair. Essa nação foi um forte opositor de Israel e hoje mantém relações amigáveis, mas frágil, com Israel, isso porque o Egito também apoia o Hamas, uma organização terrorista palestina que tem Israel como inimigo.

3. Significado do nome de Joquebede

No hebraico, o nome de Joquebede significa “glorificada por Deus” ou “Yahweh é a glória”.

4. Vida cotidiana de Joquebede

• Papel nas Escrituras: Gerar e salvar Moisés, o libertador de Israel da escravidão do Egito, da morte.

• Posição Social:

• Tarefas Diárias: Esposa e mãe, Joquebede demonstra, no relato:

  • Habilidade fenomenal no cuidado do terceiro filho, de forma a suprir todas as suas necessidades e não ser denunciado. O amor, zelo e fé a capacitou a isso;

  • Conhecimento de manufatura com palha de junco para fazer o cesto, inteligência na escolha do produto para vedar e impermeabilizar o cesto que seria colocado no rio. Dentre outras atividades realizadas pelas mulheres dessa época, estão também a arte de tratar lã, fazer tecidos e coser roupas;

  • Uma esposa dedicada e submissa, era proativa e inteligente.

5. Relacionamentos de Joquebede

DEUS: EU Sou o que Sou – Yahweh

PAI: Levi.

IRMÃOS: Gérson, Coate e Merari.

ESPOSO: Anrão, filho de Coate.

FILHOS: Miriã, Arão e Moisés.

NORAS: A esposa de Arão (cujo nome não foi mencionado), Zípora e a cuxita – esposas de Moisés

NETOS: Nadabe, Abiú, Eleazar e Itamar (filhos de Arão); Gérson e Eliézer (filhos de Moisés).

PESSOAS ENVOLVIDAS: Faraó, Thermuthis.

6. Testemunho de Joquebede para mim

Joquebede me ensina que se a minha fé estiver firme em Deus não preciso temer leis contra a vida, porque Deus, o Dono da Vida, é quem controla todas as coisas.

7. Virtudes de Joquebede:

  • Mulher de fé
  • Corajosa
  • Habilidosa
  • Inteligente

REFERÊNCIAS

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Êxodo. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 1.

GOWER, Ralph. NOVO MANUAL DE USOS E COSTUMES DOS TEMPOS BÍBLICOS. Rio de Janeiro: Casa Publicadora das Assembleias de Deus, 2002.

MULHERES COMO EU: Rebeca

O Estudo “Mulheres como eu” foi desenvolvido pelo Ministério Cafezinho da Tarde. Confira as instruções de como realizar esse precioso estudo no site → https://cafezinhodatarde.com/estudos/mulheres-como-eu/

Como Rebeca Deus me inspira a fazer tudo com amor.
Como Rebeca meu estômago se enche de borboletas quando preciso sair de mudança, mas me tranquilizo quando ouço a voz do SENHOR dizendo que está comigo onde quer que eu for.
Como Rebeca me cubro, para que a beleza do meu coração venha antes da beleza física.
Como Rebeca usufruo da benção sem dores concedida por Deus.
Como Rebeca me dirijo ao SENHOR toda vez que estou confusa, e Ele me responde.
Como Rebeca guardo fielmente as palavras do SENHOR no meu coração, mas crendo que Ele vela para cumprir.
Como Rebeca me precipito e quero resolver as coisas à minha maneira, sou perdoada, mas sofro as consequências.
Como Rebeca posso ser uma mulher vibrante e cheia de fé..

📖 Versículos selecionados:

📖 GÊNESIS 22:23

“Betuel, pai de Rebeca. Estes foram os oito filhos que Milca deu a Naor, irmão de Abraão.”

Esta é a apresentação de Rebeca aos leitores da Sagrada Escritura. Desde o versículo 20, a intenção se mostra clara quando o escritor nos apresenta a família e parentesco de Abraão com Rebeca, sua sobrinha e futura nora. As jovens solteiras eram honradas pelo parentesco de seus pais, mulheres casadas, pelo cônjuge.

📖 GÊNESIS 24:15-67

Esses versículos relatam a linda história de amor de Rebeca e Isaque. A história inicia com a apresentação da família de Rebeca. O servo de Abraão, Eliezer, mal havia acabado de orar para encontrar a esposa certa para Isaque, quando Rebeca chega ao poço onde ele se encontrava. A Bíblia destaca as qualidades de Rebeca como uma jovem linda moça, virgem e disposta para o trabalho. Ela não se chegou ao homem, ele se aproxima dela e pede água, Rebeca, muito perspicaz, percebeu que ele estava com uma caravana e oferece água a todos eles com rapidez e eficiência. Como recompensa pelo ato de bondade Rebeca recebeu uma argola e pulseiras de ouro. Eliezer pergunta sobre o parentesco de Rebeca e se em sua casa teria lugar para passarem a noite, ela revela que era da mesma família de Abraão, muito hospitaleira oferece dormida e sem saber a razão de Eliezer estar ali corre para a casa de sua mãe e relata todo os últimos acontecimentos. O irmão de Rebeca, Labão, volta ao poço para levar Eliezer e sua comitiva consigo. Os camelos se alimentaram e os pés dos viajantes foram lavados, antes de jantarem, Eliezer revela o motivo de estar ali: arranjar uma esposa para o filho de seu senhor Abraão. Rebeca era a resposta à oração dele. Rebeca aceita ir com Eliezer, se despede da família e leva sua ama, Débora e suas servas consigo para o novo lar. Depois de algum tempo de viagem, Rebeca contempla Isaque no campo, se cobre com o véu e é levada até ele. Rebeca passou a morar na tenda que era de Sara. A Bíblia diz que Isaque a amou e foi consolado da morte de sua mãe, Sara.

📖 GÊNESIS 25:21-26

Esses versículos nos contam que após 20 anos de casada, Rebeca não havia engravidado. Então, Isaque orou insistentemente até Rebeca engravidar. Rebeca sentiu um movimento anormal em seu ventre, foi até Deus perguntar o que era aquilo. Deus lhe revelou que eram gêmeos e que o caçula seria maior que o nascesse primeiro. Um menino peludo e ruivo nasce primeiro, Esaú, e Jacó nasce segurando o calcanhar do irmãozinho.

📖 GÊNESIS 26:6-11

Uma outra característica de Rebeca nos é revelada: sua beleza. Rebeca era tão bonita que Isaque temeu que o rei Abimeleque o matasse para ficar com ela, por isso, informou que era sua irmã. Um dia o rei os flagrou em carícias maritais, expôs a ambos e declarou que não tinha intenção de tocar neles.

📖 GÊNESIS 27:1-17, 46

Rebeca intervém na benção entregue ao filho primogênito, por causa da resposta de Deus em Gênesis 26:23, no qual Deus havia lhe revelado que o maior serviria o menor. Estratégica e rapidamente, ela bola um plano e consegue fazer com que Jacó, seu filho preferido, recebesse a benção da primogenitura. Essa atitude dela causou um grande conflito na família e lhe trouxe muitas dores de cabeça (Gn 27:46), pois Esaú se vingou de seus pais se casando com mulheres fora do parentesco, se misturando com mulheres ímpias.

📖 GÊNESIS 28:5

Rebeca faz um pedido a Isaque que visava preservar a vida de Jacó e de não deixá-lo se casar com uma cananeia: enviar Jacó para sua terra, em Padã-Harã.

📖 GÊNESIS 49:31

O falecimento de Rebeca não foi registrado na Bíblia. Não sabemos se ela faleceu antes ou depois de Isaque, estudiosos apontam que sua morte ocorreu na amargura com as noras ímpias, antes da volta do seu filho querido. No versículo no tópico, em particular, ficamos sabendo que ela foi sepultada no mesmo lugar que Sara.

Questionário

1. História de Rebeca

Segundo os estudos realizados por Reese (2003), quando Rebeca nasceu, Isaque tinha 20 anos. Sua família, natural de Ur dos Caldeus, agora estava em Harã. Rebeca era neta de Milca e Naor, o irmão de Abraão. Eles eram servos de Deus que viviam em meio a uma sociedade pagã da época. Betuel e sua esposa tiveram um casal de filhos: Labão e Rebeca. Rebeca era uma linda jovem, virgem, rica, tinha uma ama, chamada Débora, e várias servas. Quando encontrou o servo de Abraão, Eliezer, no poço, tinha seus 20 anos, e tinha o costume de carregar água à tarde junto a outras jovens. Ao ser interpelada por Eliezer, ela muito ativa e hospitaleira oferece água para ele e todos os animais sedentos, sem saber que este era o sinal entre Deus e Eliezer da esposa escolhida para Isaque. Muito cuidadosa, ela vai anunciar tudo o que Eliezer lhe falara para sua família. Seu irmão toma a dianteira da situação e trata diretamente com Eliezer. Conversando sobre a partida de Rebeca, ela é chamada para tomar a própria decisão. Rebeca vai com Eliezer, acompanhada de sua ama, Débora e suas servas. Chegando ao destino, em seu coração identifica Isaque e se cobre com o véu. Rebeca fez Isaque tão feliz que ele ficou consolado da morte da mãe, Sara. Rebeca era tão bonita que Isaque agiu semelhante ao seu pai, no mesmo local, Gerar, falou para Abimeleque que Rebeca era sua irmã, mas o rei os flagrou em carícias maritais. Tal como a sogra, Rebeca era estéril, somente 20 anos depois de casados, Isaque contava com seus 60 anos e Rebeca 40 anos, que o SENHOR ouviu a oração de Isaque e ela engravidou de gêmeos. A Bíblia relata que havia muito movimento no ventre, Rebeca, então, consultou ao SENHOR, para saber o que estava havendo. O SENHOR revelou que havia duas nações e que o primogênito seria servo do caçula. No nascimento dos gêmeos bivitelinos, o bebê que nasceu por último, Jacó, estava com a mãozinha agarrada ao calcanhar de seu irmãozinho ruivo e peludo, Esaú, essa foi mais uma prova do que o SENHOR havia revelado. Rebeca guardou fielmente as palavras do SENHOR e não permitiu que Isaque concedesse a benção da primogenitura a Esaú. Então, executou um plano para conseguir que Jacó fosse abençoado em lugar de Esaú. Rebeca conseguiu que Isaque enviasse Jacó a Harã, livrando seu filho de ser morto por Esaú e de que ele se casasse com uma cananeia. Isaque morreu aos 180 anos, mas a Bíblia não revela quando Rebeca faleceu. Flávio Josefo (2004), acredita que Rebeca morreu antes do retorno de Jacó à Canaã. Conforme Gênesis 49:31, Rebeca foi sepultada em Macpela, a sepultura da família de Isaque.

2. Local em que Rebeca morou na época e o país na atualidade

Padã-Harã, lugar de origem de Rebeca, ficava ao noroeste da Mesopotâmia, atual região da Turquia. Ela se dirigiu ao sul de Canaã, para se casar com Isaque, e passou por três das cidades nas jornadas de Isaque: Hebrom, Gerar e Berseba.

Hebrom, foi, posteriormente, conquistada por Calebe, da tribo de Judá, e hoje esse lugar ainda subsiste e é uma cidade do território do Estado de Israel.

Gerar tem sido identificada como Tell Abu Hureyra, e atualmente fica ao norte da Síria.

Berseba, fica ao sul de Israel e é uma das maiores cidades desse Estado.

3. Significado do nome de Rebeca

Do hebraico, seu nome significa “Donzela cuja beleza prende os homens”, “Corda com laço”, “Aquela que une”.

4. Vida cotidiana de Rebeca
  • Papel nas Escrituras: Rebeca foi a 2ª matriarca da nação de Israel. Para tanto, ela desempenhou o papel de esposa, mãe e serva de Deus.

  • Posição Social: Para a sociedade da época, Rebeca era uma princesa peregrina. Isaque era um homem muito rico e ambos receberam a proteção de reis.

  • Tarefas Diárias: Na vida de solteira, Rebeca cumpria tarefas como todas as outras jovens da sua idade, a tarefa destacada nas Escrituras é a de tirar água no poço da cidade no início ou ao final do dia, em um vaso de cerâmica grande, carregado no ombro ou apoiado no quadril. Outras tarefas realizadas pelas mulheres da época era a de ir ao mercado local, limpeza e organização da casa, tratar, fiar e tecer roupas, aprender as tarefas domésticas como preparatório para o casamento. As mulheres casadas cuidavam de seus maridos (higiene, alimentação e deveres conjugais) e quando os filhos chegavam, educava os filhos ensinando tarefas relacionadas a boa convivência no lar.

5. Relacionamentos de Rebeca

DEUS: Jeová

PAI: Betuel

IRMÃO: Labão

AMA: Débora

ESPOSO: Isaque

FILHOS GÊMEOS: Esaú e Jacó

NORAS: Basemate, Ada, Oolibama, Léa e Raquel

PESSOAS ENVOLVIDAS: Naor e Milca eram avós de Rebeca, e Abraão era seu tio-avô.

O relacionamento de Rebeca com Deus é revelado quando ela se apresenta diante de Deus para perguntar sobre sua gravidez e ao guardar firmemente as palavras de Deus.

O relacionamento de Rebeca com a sua família era de submissão e clareza. Ela ajudava nos trabalhos de casa e estava sempre pronta a servir, apesar de ser a única filha moça e muito rica. Rebeca chegou a conhecer seu tio Abraão.

O relacionamento de Rebeca com seu esposo prova que foi uma união feita por Deus. Os dois se completavam. Rebeca era enérgica, enquanto Isaque era plácido. Os dois se amaram durante toda a vida e usufruíram juntos de seu tempo com muitas carícias.

O relacionamento de Rebeca com seus filhos era díspar, ela gostava mais de Jacó que Esaú, porque ele era mais caseiro. Ela favoreceu a Jacó e Esaú se vingou dela lhe dando noras ímpias.

O relacionamento de Rebeca com as noras era muito conflituoso.

6. Testemunho de Rebeca para mim

Rebeca me ensina a ser proativa e a ter energia, amor e boa vontade em qualquer atividade que realizar. Rebeca era uma filha obediente e uma esposa amável, que supria a falta de uma mulher como Sara. Rebeca também me mostra que devo me dirigir a Deus quando não estiver entendendo o que está acontecendo em minha vida, o SENHOR me livra de toda confusão e traz respostas claras para hoje e para meu futuro. Rebeca também me alerta sobre o cuidado a não agir pela minha própria sabedoria ou força, para realizar uma profecia divina, porque Ele mesmo se encarregará de cumpri-la.

7. Virtudes de Rebeca
  • Quando solteira: virgem, disposta, eficiente, bela, hospitaleira, firme, de atitude e corajosa.

  • Quando casada: bela, esposa amável, boa mãe, mulher inteligente, estratégica e astuciosa.

REFERÊNCIAS

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Gênesis. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 1.

GOWER, Ralph. NOVO MANUAL DE USOS E COSTUMES DOS TEMPOS BÍBLICOS. Rio de Janeiro: Casa Publicadora das Assembleias de Deus, 2002.

MULHERES DA BÍBLIA 2018: Maio

Continuamos os estudos sobre as mulheres da Bíblia durante o mês de maio.

Para saber como funciona o estudo CLICA AQUI, para acompanhar o plano bíblico em ordem cronológica CLICA AQUI, para acessar a lista de livros das mulheres da Bíblia, clica nesse outro link: MULHERES DA BÍBLIA 2018

Se você ainda não viu a postagem do mês de janeiro a abril, que somam 58 fichas de mulheres da Bíblia, clica nesses links:
MULHERES DA BÍBLIA 2018: Janeiro 1-17
MULHERES DA BÍBLIA 2018: Fevereiro 18-32
MULHERES DA BÍBLIA 2018: Março 33-45
MULHERES DA BÍBLIA 2018: Abril 46-58

Acompanhe também no Telegram meditações de segunda a sexta sobre as mulheres da Bíblia: @lisland

Abaixo vamos continuar a lista com a numeração e dados das mulheres da Bíblia.

LISTA:

59. Débora

60. Jael

61. A mãe de Sísera e suas damas

62. As esposas e concubinas de Gideão

63. “Druma”

64. Mulheres de Siquém

65. Mulheres de Tebes

66. As mulheres de Gileade

67. A filha de Jefté

68. As 30 filhas de Ibsã

69. A mãe de Sansão

70. As 3 mulheres filisteias de Sansão

71. A mãe de Mica

72. A concubina do levita

73. Mulheres de Jabes-Gileade e de Sião

MULHERES EM JUÍZES

74. Noemi

75. Rute

FICHAS DE DADOS:

59. MULHER DA BÍBLIA: Débora

REFERÊNCIA BÍBLICA: Juízes 4:4-23, 5:1-31

SIGNIFICADO DO NOME: Em hebraico significa “Abelha”.

LOCAL: Nas Palmeiras de Débora, local que ficava entre Ramá e Betel, nas montanhas de Efraim, ao sul de Israel.

ÉPOCA: 1249 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Débora tinha um relacionamento íntimo com Deus e seguia retamente a sua lei e justiça.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • ESPOSO: Lapidote

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: Baraque, Jael, Sísera

RESUMO DA VIDA:

Champlin (2001) assinala que Débora pode ter pertencido à tribo de Efraim ou à tribo de Issacar (Jz 5.15). Ela era casada com Lapidote, habitava debaixo de palmeiras, que ficou conhecida como “As Palmeiras de Débora”, local em que o povo a encontrava para ouvir os oráculos de Deus. Débora era juíza e também profetisa. Quando os cananeus atacaram o norte de Israel, Débora recebeu a ordem de Deus para buscar Baraque, um homem da tribo de Naftali, para combater os inimigos. Baraque vai com uma condição: se Débora o acompanhasse. Apesar de saber que a honra da vitória seria de uma mulher, Baraque só vai à luta na companhia da mãe de Israel, Débora. Antes da batalha, Débora dá uma palavra de encorajamento da parte de Deus a Baraque e a guerra se inicia com favorecimento do povo de Israel, pois o terreno argiloso e molhado (margens do ribeiro de Quisom) e as fortes chuvas prejudicaram os carros de ferro dos cananeus (Jz 4:3). Sísera, o capitão do exército do rei Jabim, fugiu e refugiou-se na casa de Héber, onde estava Jael, mulher aliada ao povo de Deus. Jael tratou Sísera muito bem, esperou ele dormir e o matou. Débora canta a vitória de Jael e a forma como Deus havia trabalhado para dar vitória ao seu povo. Israel teve paz por 40 anos.

PROPÓSITO:

  • Deixar um legado como a primeira e única mulher que Deus levantou para ocupar um cargo de liderança político e religioso, salvando Israel dos ataques inimigos e reavivando a fé em Deus.

DEVO IMITAR:

  • Devo imitar a coragem, determinação e fidelidade a Deus que Débora possuía;

  • Posso ser tão ousada e tão humilde como Débora foi;

  • Preciso ser sensível à voz de Deus e obedecê-la integralmente;

  • Devo pedir a Deus sabedoria, dons e voz de autoridade para o serviço no lar e na igreja;

  • Preciso viver os princípios e caminhos de Deus para transmiti-los a outras pessoas;

  • Que as minhas palavras encorajem pessoas a agir conforme a vontade de Deus.

DESTAQUE

“[…] Débora e Jael, com o auxílio de Deus, contribuíram para que o povo de Israel se reerguesse da triste condição espiritual em que viviam e voltassem seu coração para Deus. Nós vivemos numa época de grande espiritual também. Para ser fiel testemunha, como foram aquelas mulheres, é preciso abrir a Palavra de Deus com regularidade. É isso que Ele nos pede que façamos. […]”

Áurea Soares, em “Mulheres da Bíblia: Aprendendo com elas”.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Juízes. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

SOARES, Áurea. MULHERES DA BÍBLIA: Aprendendo com elas. São Paulo: Casa Publicadora Brasileira, 2010.

60. MULHER DA BÍBLIA: Jael

REFERÊNCIA BÍBLICA: Juízes 4:9,11,17-24; 5:24-27

SIGNIFICADO DO NOME: No hebraico significa “cabra selvagem”.

LOCAL: Carvalho de Zaanaim, próximo a Quedes, na tribo de Naftali (originalmente os queneus moravam em Midiã, quando o sogro de Moisés o acompanhou na conquista da Terra, recebeu uma parte do território da tribo de Judá; Héber saiu de Judá e foi morar na tribo de Naftali – Jz 1:16).

ÉPOCA: 1249 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Jael foi uma amiga de Deus e de seu povo.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • ESPOSO: Héber

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: Sísera, Débora, Baraque, Jabim.

RESUMO DA VIDA:

Jael era casada com um estrangeiro, Héber, que tinha parentesco com os levitas (por causa de Moisés) e que também tinha boas relações com Jabim, rei inimigo de Deus e de seu povo. Ela morava numa tenda muito próxima ao local da guerra entre os cananeus e israelitas (cerca de 25 km de distância). Sísera, o capitão do exército do rei Jabim, fugindo da derrota, entrou na tenda de Jael, tomou o leite servido e dormiu na cama com coberta. Dormindo com a cabeça virada de lado, Sísera teve a têmpora esmagada pela estaca martelada por Jael, ele caiu ajoelhado e morreu aos pés dela. Ela correu a anunciar que o capitão inimigo estava morto e, então, recebeu as honras da vitória da guerra.

PROPÓSITO:

  • Agir em favor do povo de Deus, concedendo a vitória para Israel.

DEVO IMITAR:

  • Devo imitar sua determinação em servir, ajudar e cooperar com a nação de Israel;

  • Preciso ter coragem para definir minhas relações com o inimigo combatendo-o.

DESTAQUE

“[…] Podemos ter certa dificuldade de tentar assimilar o modo como Jael matou Sísera, mas todas somos chamadas para sermos decididas, quando se trata de nos opormos ao pecado. […] O pecado é a área em que Deus não tem disposição de demonstrar misericórdia.”

Dianne Neal Matthews, em “Um ano com as mulheres da Bíblia”

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Juízes. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

GEORGE, Elizabeth. MULHERES QUE AMARAM A DEUS. Tradução: Maria Emília de Oliveira. Campinas, SP: Editora United Press, 2001.

MATHEWS, Dianne Neal. UM ANO COM AS MULHERES DA BÍBLIA. Tradução por: Elisa Tisserant de Castro. Curitiba: Publicações Pão Diário, 2016.

61. MULHERES DA BÍBLIA: A mãe de Sísera e suas damas

REFERÊNCIA BÍBLICA: Juízes 5:28-30

SIGNIFICADO DO NOME: Seus nomes não são mencionados

LOCAL: Canaã

ÉPOCA: 1249 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Elas eram inimigas de Deus.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • FILHO: O capitão Sísera

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: Jael, Débora, rei Jabim, Baraque

RESUMO DA VIDA:

A mãe de Sísera havia se despedido de seu filho, o capitão do exército do rei Jabim, esperando que ele voltasse vitorioso. A ambição dos habitantes de Canaã, lugar onde eles moravam, era a de estender o reino, subjugando os povos ao redor. Mas, eles estavam lidando dessa vez com um povo que havia se arrependido de suas más obras diante do único e verdadeiro Deus. O próprio Deus de Israel havia levantado esse inimigo contra os pecados de Israel, mas depois que o povo de humilhou os inimigos de Israel se tornaram inimigos de Deus também. E Deus se levanta para destruir um povo pecador que presunçosamente colocava sua confiança em carros de ferros e na força do próprio braço. Sísera viu seu exército cair ao fio da espada e fugiu para a tenda de uma mulher e lá morreu, pelas mãos dela. Na canção de vitória de Débora, ela começa a narrar o que se passaria na casa da mãe do capitão. A mãe e suas damas estavam preocupadas com a demora do retorno de Sísera. Elas se consolavam com a ideia que a demora era porque estavam levando muito tempo para pegar as riquezas e mulheres dos israelitas. A verdade é que o que aguardavam elas eram notícias de desolamento e destruição. Cada um dos povos eram punidos pelos seus pecados, mas, Deus sempre perdoava os que se arrependiam.

PROPÓSITO:

  • A vida dessas mulheres nos mostra o fim trágico de quem não se arrepende de seus pecados.

DEVO EVITAR:

  • Não posso achar que receberei boas recompensas pela minha vida desregrada;

  • Não posso ser orgulhosa ou presunçosa, preciso me humilhar diante de Deus.

DESTAQUE

“[…] Este mesmo capítulo apresenta uma tal readiografia, de uma outra mulher, a mãe de Sísera. […] “Despojo! É mesmo! E Sísera sempre tinha bom gosto. ‘Para Sísera estofos de várias cores de bordados para o pescoço da esposa’ (Jz 5:30), para a mãe… O que será que eu vou ganhar esta vez? Ele nunca me esquece! Um novo arranjo…” Pois é, a radiografia mostrou que não havia nada de sério na cabeça dela: uma mulher oca, vaidosa, alienada, sonhando somente com cores e roupas.

A lógica da conclusão é chocante: “Assim, ó SENHOR, pereçam todos os teus inimigos! Porém os que te amam, brilham como o sol.” (Jz 5:31) Como “Assim”? Que quer dizer este versículo? “O escritor está interessado em enfatizar a intervenção do SENHOR a favor de Seu povo, sendo o corolário inevitável disto, que aqueles que se Lhe opõem devem perecer” (assim um comentário sobre o livro de Juízes). Mas, e a mãe de Sísera “se lhe opôs”? A resposta é sim. Preferir o brilho passageiro de meras cores e coisas “para o pescoço” em vez do brilho como o do próprio sol que é prometido àqueles que amam ao SENHOR, Sua causa, Seu povo, Sua justiça, Suas aldeias (ver de novo Jz 5:31, 2, 9, 11…) é se opor a Deus, é convidar e receber Sua condenação. […]”

Joyce Elizabeth W. Every-Clayton, em “Fale, Mulher! 2”

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Juízes. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

EVERY-CLAYTON, Joyce Elizabeth W. FALE, MULHER! 2. Rio de Janeiro: Rede de Mulheres de Ação Global, 2003.

62. MULHERES DA BÍBLIA: As esposas e concubinas de Gideão

REFERÊNCIA BÍBLICA: Juízes 8:29-31

SIGNIFICADO DO NOME: Seus nomes não são mencionados, Josefo (2004) cita o nome da concubina de Gideão como “Druma”

LOCAL: Cidade de Ofra, em Gileade, tribo de Manassés Leste; Siquém

ÉPOCA: 1194 – 1185 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • As mulheres de Gideão passaram se desfocaram de Deus, por causa do éfode e “sacerdócio” que ele passou a exercer.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • ESPOSO: Gideão

  • FILHOS: 70 filhos legítimos, dentre os quais são mencionados Jotão, o caçula de Gideão e Abimeleque, filho de concubinato.

RESUMO DA VIDA:

As muitas mulheres com quem Gideão casou viviam no luxo, pois, ele ficou enriquecido com os despojos dos midianitas. Segundo algumas culturas árabes, um homem que ocupava posição de liderança com grande soma de riquezas, era honroso e válido possuir várias mulheres. Essas mulheres lhe deram 70 filhos. Uma das concubinas de Gideão, gerou um filho chamado Abimeleque, que herdou da mãe o reino de Siquém. No afã de suplantar seus irmãos, Abimeleque tomou a liderança da mão deles, matando-os todos, exceto o menor, Jotão, por ter se escondido. Gideão já não era mais vivo quando isso aconteceu, e não sabemos quantas das mulheres dele o eram nem quantas ficaram desfilhadas. Abimeleque chegou a reinar por um tempo em Gileade, mas a maldição lançada pelo meio-irmão de Abimeleque, Jotão, se cumpriu: Abimeleque morreu no combate em Tebes, com uma pedra jogada por uma mulher.

PROPÓSITO:

  • O propósito dessas mulheres de conceber foi cumprido, entretanto, o distanciamento de Deus e a desobediência às ordens do SENHOR, trouxeram maldição para o lar delas.

DEVO EVITAR:

  • Não posso abandonar o Abençoador do meu lar, para que a maldição não nos sobrevenha.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Juízes. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

JOSEFO, Flávio. HISTÓRIA DOS HEBREUS: De Abraão à Queda de Jerusalém. Tradução por: Vicente Pedroso. Rio de Janeiro: Casa Publicadora das Assembleias de Deus, 2004.

63. MULHER DA BÍBLIA: “Druma”

REFERÊNCIA BÍBLICA: Juízes 8:31; 9:1, 3, 18

SIGNIFICADO DO NOME: significado desconhecido

LOCAL: Siquém

ÉPOCA: 1187 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Ela era uma cananeia que não servia Deus.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • PAIS E IRMÃOS: cananeus

  • ESPOSO: Gideão

  • FILHO: Abimeleque

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: Povo de Israel

RESUMO DA VIDA:

“Druma” foi o nome utilizado por Josefo (2004), para a concubina cananeia de Gideão, mãe de Abimeleque. Ela é chamada de “serva”, em Juízes 9.18. Champlin (2001) aponta ela como uma escrava cananeia, isso porque a cidade de Siquém era povoada por muitos cananeus. Ela não morava na mesma cidade onde Gideão habitava (Ofra), ela vivia em Siquém, e Gideão se relacionava com ela quando estava lá. Dessa relação nasceu Abimeleque, o filho bastardo de Gideão que não recebeu a herança do pai. Revoltado e cruel, Abimeleque matou seus meio-irmãos e foi proclamado rei em Siquém, pelos familiares de sua mãe. Nessa época, Gideão já não era mais vivo, e certamente Druma também não. Abimeleque morreu tragicamente e não sabemos se chegou a deixar filhos.

PROPÓSITO:

  • Se tornou escrava por fazer parte dos cananeus, o povo vencido, mas não se rendeu ao Deus de Israel, por isso, deixou uma trágica história para contar.

DEVO EVITAR:

  • O relacionamento com Deus nunca é unilateral, Ele se relaciona comigo e eu me rendo a Ele. Mesmo quando estiver em circunstâncias desfavoráveis na vida, posso alcançar a verdadeira liberdade se atender a voz de Deus e ter minha história transformada.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Juízes. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

JOSEFO, Flávio. HISTÓRIA DOS HEBREUS: De Abraão à Queda de Jerusalém. Tradução por: Vicente Pedroso. Rio de Janeiro: Casa Publicadora das Assembleias de Deus, 2004.

64. MULHERES DA BÍBLIA: Mulheres de Siquém

REFERÊNCIA BÍBLICA: Juízes 9:49

SIGNIFICADO DO NOME: Não são mencionados

LOCAL: Siquém

ÉPOCA: ~ 1162 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Não serviam a Deus.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: Gideão e os seus filhos.

RESUMO DA HISTÓRIA:

A cidade de Siquém na época dos juízes era composta, em sua maioria, pelos cananeus. O objetivo deles era de avançar e tomar Israel, mas como, mais uma vez, a nação que servia ao SENHOR dominara, eles ficaram subjugados a liderança dos israelitas. Abimeleque, que possuía nacionalidade israelita, por parte de pai (Gideão), e também cananeia, por parte de mãe (“Druma”), convenceu os habitantes de Siquém a proclamá-lo rei. Mais tarde, eles desistiram da ideia e o destronaram sem mandar recado. Abimeleque reage combatendo a Siquém e incendiando a torre onde se refugiaram os mil habitantes de Siquém, incluindo mulheres.

PROPÓSITO:

  • Mostrar o perigo de tomar decisões erradas e depois voltar atrás.

DEVO EVITAR:

  • Minhas escolhas e decisões devem ser feitas com a sabedoria e direção de Deus, para que não me arrependa depois.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Juízes. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

65. MULHERES DA BÍBLIA: Mulheres de Tebes

REFERÊNCIA BÍBLICA: Juízes 9:52-54

SIGNIFICADOS DOS NOMES: Não são mencionados

LOCAL: Tebes

ÉPOCA: ~ 1162 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Não é mencionado a qual Deus serviam, entretanto, Deus usou uma delas para aplicar a justiça para Abimeleque.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: Abimeleque, Gideão e seus 70 filhos.

RESUMO DA VIDA:

A cidade de Tebes, era uma das cidades ligadas a Siquém, que era governada por Abimeleque, o rei que da mesma forma rápida com que subiu ao trono, foi deposto. Abimeleque destruiu Siquém e estava disposto a fazer o mesmo com os habitantes de Tebes, por culpá-los de traição e sedição. As mulheres de Tebes, junto com muitos outros habitantes da cidade sitiada por Abimeleque, se esconderam numa torre. No topo da torre, uma das mulheres jogou uma mó em direção a Abimeleque que já começava a incendiar as portas da torre. A grande pedra arredondada acertou e partiu o crânio do rei, que ainda conseguiu pedir a um dos guardas para terminar de matá-lo com uma espada, para não dizerem que uma mulher o tinha matado.

PROPÓSITO:

  • Deus usou uma das mulheres de Tebes para matar e julgar a maldade de Abimeleque de matar seus 70 meio-irmãos.

DEVO IMITAR:

  • Posso ser usada por Deus para aplicar a justiça e eliminar o mal.

DEVO EVITAR:

  • Não posso ser inconstante em minhas palavras ou decisões, minha palavra deve ser “sim, sim” ou “não, não” (Mt 5:37).

DESTAQUE

“[…] Ela, obscura e desconhecida, foi o instrumento nas mãos de Deus para punir aquele homem maligno. Então, usando toda a sua força, lá do topo da torre, fez rolar uma pedra de moinho que caiu sobre a cabeça de Abimeleque, quebrando-lhe o crânio. […] O nosso Deus muitas vezes escolhe o fraco para destruir o forte. Abimeleque matou seus irmãos sobre uma pedra e foi morto por uma pedra que foi arremessada em sua cabeça por uma mulher destemida. […].”

Áurea Soares, em “Mulheres da Bíblia: Aprendendo com elas”.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Juízes. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

SOARES, Áurea. MULHERES DA BÍBLIA: Aprendendo com elas. São Paulo: Casa Publicadora Brasileira, 2010.

66. MULHERES DA BÍBLIA: As mulheres de Gileade

REFERÊNCIA BÍBLICA: Juízes 11:1-2

SIGNIFICADOS DOS NOMES: Não são mencionados

LOCAL: Manassés Oriental

ÉPOCA: ~ 1134 – 1096 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Não é mencionado

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • ESPOSO: Gileade

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: Jefté, gileaditas

RESUMO DA VIDA:

Gileade teve relações com duas mulheres, uma era prostituta, ao qual lhe deu um filho, Jefté; sua legítima esposa, lhe deu mais outros filhos. Provavelmente as duas mulheres não tiveram relações próximas, porque a prostituta não se tornou concubina de Gileade. Jefté foi expulso da comunidade por ser um bastardo, mas foi chamado de volta ao convívio familiar, porque seus irmãos precisavam de suas habilidades militares. Ele se tornou um dos juízes de Israel, mesmo sendo filho de uma prostituta.

PROPÓSITO:

  • Deus estabelece seu propósito na vida daqueles que são tementes a Ele, independente da origem.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Juízes. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

67. MULHER DA BÍBLIA: A filha de Jefté

REFERÊNCIA BÍBLICA: Juízes 11:34-40

SIGNIFICADO DO NOME: Seu nome não é mencionado

LOCAL: Gileade e Mispá

ÉPOCA: ~ 1423/1114 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Uma serva de Deus

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • PAI: Jefté

  • AVÔ: Gileade

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: amonitas; amigas da filha de Jefté

RESUMO DA VIDA:

Ela era uma moça, filha única, cujo pai, Jefté, era juiz de Israel e cheio do Espírito Santo. As histórias entre pai e filha se tornam ainda mais forte por causa do voto feito por Jefté. Ele era filho de uma prostituta, e por isso havia sido expulso da casa de seu pai. Mas, por ser um guerreiro valente, Jefté é convocado pelos seus irmãos para derrotar os amonitas. Apesar de tudo, Jefté aceita lutar em favor de seus irmãos e o Espírito Santo o enche de poder e autoridade. Jefté pronuncia um voto ao SENHOR, de que se Deus lhe concedesse de aniquilar completamente os amonitas, que ao voltar para casa, o que saísse da porta ao seu encontro, seria sacrificado ao SENHOR. Sua única filha é que sai para saudá-lo com danças e música. O coração de Jefté fica partido, pois ele sabia o que isso significava segundo Levítico 27:28: teria que oferecer sua filha ao SENHOR como oferta pelo resto de sua vida, ela ficaria sem se casar e sem gerar filhos. A música cessou, e a celebração se converteu em lamento. A filha de Jefté pediu ao pai 2 meses de licença para lamentar sua virgindade com suas amigas e depois ela voltou ao pai, que a entregou ao SENHOR. Depois disso, as israelitas instituíram 4 dias para anualmente chorarem pelos montes a vida celibatária a que a filha de Jefté foi submetida.

PROPÓSITO:

  • A tristeza demonstrada pela vida celibatária a que a filha de Jefté foi submetida mostra o valor da instituição da família.

DEVO IMITAR:

  • Devo imitar a obediência e submissão da filha de Jefté;

  • Preciso lembrar que, enquanto solteira, devo me dedicar totalmente ao SENHOR.

DEVO EVITAR:

  • Não posso fazer um voto se não pretender cumprir.

DESTAQUE

“[…] Jefté educara sua filha para amar a Deus, e tal educação lhe custou um alto preço, quando ambos honraram a Deus cumprindo o voto que ele havia feito. A filha de Jefté agiu conforme o anseio de todo pai que deseja ver seus filhos amando a Deus: não levou em consideração o preço a ser pago. Sua devoção ao Senhor custou-lhe muito caro. Às vezes, quando nossos filhos vivem para Deus, isso também tem um custo para eles. Ore para que a devoção de seus filhos a Deus aumente cada vez mais, independentemente do preço a ser pago.”

Elizabeth George, em “Mulheres que Amaram a Deus”

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Juízes. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

GEORGE, Elizabeth. MULHERES QUE AMARAM A DEUS. Tradução: Maria Emília de Oliveira. Campinas, SP: Editora United Press, 2001.

68. MULHERES DA BÍBLIA: As 30 filhas de Ibsã

REFERÊNCIA BÍBLICA: Juízes 12:8-9

SIGNIFICADOS DOS NOMES: Seus nomes não foram mencionados.

LOCAL: Belém (de Judá ou de Zebulom)

ÉPOCA: ~ 1090 – 1083 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Não é mencionado.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • PAI: Ibsã

  • IRMÃOS: 30 irmãos

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: 30 homens de fora do clã; 30 noras de fora do clã

RESUMO DA VIDA:

Ibsã foi um juiz em Israel, que teve 60 filhos, 30 filhas e 30 filhos. Pela quantidade de filhos, intuímos que ele era um homem rico que tinha muitas mulheres. Ibsã casou suas 30 filhas com 30 homens de fora de seu clã, não sabemos se esse clã de fora era fora de Israel ou somente fora de sua tribo. O casamento naquela época, era primeiro acordado entre os pais. A depender da situação financeira da família o pai concedia um dote pela sua filha, mas, caso a situação da família da moça fosse superior, o jovem, ou pais dele, apresentava um dote para encorajar o pai conceder a filha em matrimônio. No caso das 30 moças, se casaram por contrato efetuado pelo pai.

PROPÓSITO:

  • As 30 filhas de Ibsã eram a prova da bênção de Deus sobre a casa dele, seus casamentos foram providenciados para que constituíssem família.

DEVO IMITAR:

  • Ainda que hoje os pais não façam mais contratos de casamento, posso imitar a confiança dessas 30 mulheres na escolha feita pelo pai delas, pois eles sempre têm bons conselhos a dar para a vida conjugal.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Juízes. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

69. MULHER DA BÍBLIA: A mãe de Sansão

REFERÊNCIA BÍBLICA: Juízes 13:2-24; 14:1-10

SIGNIFICADO DO NOME: Seu nome não é mencionado.

LOCAL: Zorá, em Dã

ÉPOCA: ~ 1127 – 1108 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Serva de Deus.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • ESPOSO: Manoá

  • FILHO: Sansão

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: O Anjo do SENHOR, nora filisteia de Timnate

RESUMO DA VIDA:

Ela era estéril, casada com Manoá, da tribo de Dã. Um dia quando se encontrava fora de casa, um “homem de Deus, cuja aparência era semelhante a de um anjo de Deus, terribilíssima” (Jz 13:6) lhe revelou que apesar da esterilidade, ela iria conceber 1 filho, que seria um nazireu para livrar a Israel de seus inimigos. Por isso, tanto ela na gravidez, quanto ele, por toda a vida, não poderiam comer ou beber nada procedente da uva, nem cortar o cabelo, nem tocar em cadáver (conforme a lei do nazireado escrita em Números 6:1-21). Ela entrou em casa para comunicar ao esposo o ocorrido, este orou pedindo ao SENHOR para ver novamente o Anjo e pedir mais informações sobre a criação dele. O Anjo tornou a aparecer à esposa de Manoá, que estava no campo. Ela correu para informar ao esposo e ele então foi perguntar ao Anjo como criar o filho deles. O Anjo tornou a falar sobre as proibições para o nazireado. Manoá lhe ofereceu um cabrito para comer, mas o Anjo o ensinou o que fazer: oferecer em holocausto ao SENHOR. Manoá também perguntou o nome do Anjo e Ele lhe revelou que seu nome era maravilhoso. Quando Manoá ofereceu o holocausto, o Anjo subiu aos Céus com a fumaça. Foi aí que Manoá e sua esposa descobriram que era o SENHOR. Manoá ficou perturbado pensando que iria morrer, entretanto sua esposa o despertou para o cumprimento da promessa. Ela ficou grávida, e o nome do bebê foi “Sansão”, que significa “Sol Esplêndido”. Os pais de Sansão o ensinaram o que ele podia e não podia fazer. Sem os pais saberem, comeram mel retirado por Sansão de um corpo de um animal que ele havia matado, coisa que era terminantemente proibido para um nazireu. Depois do casamento intrigante de Sansão com uma filisteia, a Bíblia continua narrando a história desse juiz, que heroicamente combateu os filisteus em sua época.

PROPÓSITO:

  • Gerar e educar um dos juízes mais famosos e controverso da Bíblia.

DEVO IMITAR:

  • Devo imitar sua placidez e comunicação aberta com o homem da minha casa, quando receber uma poderosa mensagem da parte de Deus;

  • Posso manter a calma e dar palavras de consolo, se tiver plena confiança no que Deus vai fazer;

  • Preciso obedecer rigorosamente as ordens prescritas por Deus.

DESTAQUE

“Conhecida em todos os livros de referência apenas como “a mulher de Manoá”, finalmente foi acrescentada uma nova expressão para descrever essa encantadora senhora: agora ela passou a ser conhecida como “a mãe de Sansão”. Essa meiga mulher, que viveu à sombra de dois homens – seu marido, Manoá, e seu filho famoso, Sansão, o juiz do povo de Deus e homem mais forte que já existiu –, aparentemente sentiu-se feliz e realizada, mesmo sem ter sido famosa.”

Elizabeth George, em “Mulheres que Amaram a Deus”

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Juízes. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

GEORGE, Elizabeth. MULHERES QUE AMARAM A DEUS. Tradução: Maria Emília de Oliveira. Campinas, SP: Editora United Press, 2001.

70. MULHER DA BÍBLIA: As 3 mulheres filisteias de Sansão

REFERÊNCIA BÍBLICA: Juízes 14:2-20, 15:1-6

SIGNIFICADO DO NOME:

  1. A esposa de Sansão: Seu nome não foi mencionado;

  2. Uma prostituta: Seu nome não foi mencionado;

  3. Dalila: “Delicada” ou “Sensual”.

LOCAL: Timnate, Gaza e Vale de Soreque

ÉPOCA: ~ 1060 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Elas não serviam a Deus

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: Filisteus, pais de Sansão.

RESUMO DA VIDA:

  1. A esposa de Sansão: Uma mulher filisteia, por quem Sansão se apaixonou, de Timnate. Durante as comemorações de seu casamento, Sansão lançou um enigma aos 30 companheiros filisteus que lhe trouxeram e quem perdesse teria que pagar 30 lençóis e 30 peças de roupas. Os filisteus ameaçaram a mulher de Sansão de matar a ela e ao seu pai queimados se não lhes descobrisse a resposta. Ela traiu o marido, conseguindo a resposta do enigma e revelando aos seus compatriotas, os filisteus. Sansão a abandonou e depois de um tempo voltou, mas ela havia sido dada a um desses 30 companheiros. O pai da ex-esposa de Sansão ofereceu a outra filha, mas ele não aceitou a oferta, antes, se vingou do pai da moça incendiando os campos dos filisteus. Os filisteus ao saberem disso, queimaram vivos o pai e a filha. Para vingar a morte da esposa, Sansão matou muitos filisteus. Em contrapartida, os filisteus declararam guerra contra Judá. Os homens de Judá temendo os filisteus, entregaram Sansão amarrado, mas Sansão recebeu força e se soltou, com uma queixada de jumento, matou 1000 filisteus.

  2. Uma prostituta: Ela era uma filisteia, que morava em Gaza. A Bíblia só menciona que os dois passaram uma noite juntos, e que à meia-noite Sansão saiu de sua casa e como os portões estavam fechados, ele os arrancou e levou sobre os ombros até um determinado monte.

  3. Dalila: Ela foi a última mulher de Sansão, morava no Vale de Soreque. Com sua insistência, conseguiu descobrir o segredo da força de Sansão, em troca recebeu 1.100 moedas de prata de cada príncipe filisteu. Sansão foi subjugado, teve o cabelo cortado e os olhos furados, mas depois que o cabelo tornou a crescer, ele derrubou o templo de Dagom, matando mais homens e mulheres dos filisteus naquele episódio do que já havia matado anteriormente.

PROPÓSITO:

  • As mulheres filisteias com quem Sansão se relacionou, serviram para que Sansão encontrasse motivos para matar os filisteus.

DEVO EVITAR:

  • Não posso servir outro deus, senão o SENHOR;

  • Não posso trair a confiança do meu marido, mas trabalhar em plena concordância;

  • Não posso ser gananciosa, nem avarenta;

  • Não posso me relacionar com um homem se não amá-lo e respeitá-lo.

DESTAQUE

“[…] Usando táticas psicológicas e chantagens emocionais que lembram muitos filmes e novelas recentes, Dalila obriga Sansão a revelar-lhe o seu ponto mais fraco, o que para ele é fatal. Com certeza, este não é um exemplo de comportamento para o sexo feminino […]”

Eva Mündlein, em “Histórias de Mulheres da Bíblia”

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Juízes. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

MÜNDLEIN, Eva. HISTÓRIAS DE MULHERES DA BÍBLIA. Tradução: Irene Reinhold. Sociedade Bíblica do Brasil, 2010.

71. MULHER DA BÍBLIA: A mãe de Mica

REFERÊNCIA BÍBLICA: Juízes 17:1-4

SIGNIFICADO DO NOME: Seu nome não é mencionado.

LOCAL: montanha de Efraim

ÉPOCA: 1325 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Conhecia a Deus, mas não o servia fielmente.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • FILHO: Mica

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: ourives.

RESUMO DA VIDA:

A mãe de Mica possuía 1.100 moedas de prata que foram roubadas pelo seu próprio filho, Mica. Ela amaldiçoou o ladrão, mas depois de um tempo, quando descobriu que Mica mantinha guardada as suas moedas e as estava restituindo, acabou abençoando-o. Ela dedicou ao SENHOR todas as moedas de prata da seguinte forma: 1º) ela dedicou a Deus e ofereceu as moedas ao filho de volta; 2º) como ele não aceitou, ela pegou 200 moedas de prata e entregou ao ourives para fazer uma imagem e a presenteou ao filho. Essa imagem de prata foi roubada pelos danitas e Mica nunca mais a recuperou.

PROPÓSITO:

  • Mostrar o nível degradante que uma pessoa chega quando vive na ignorância sobre Deus.

DEVO EVITAR:

  • Não posso viver sem o conhecimento da vontade de Deus;

  • Como mãe, não posso deixar um ato errôneo sem punição;

  • Não posso fazer ídolos, nem levar outra pessoa a adorá-los.

DESTAQUE

“[…] Ela parecia desejar honestamente honrar a Deus, mas seu método quebrou o primeiro mandamento do Senhor. Sua motivação era boa, mas sua falta de entendimento sobre a verdadeira adoração a Deus encorajou a idolatria de sua família e acabou em desastre.

Algumas pessoas declaram que aquilo em que se crê não é importante desde que se creia com sinceridade. […]

Somos responsáveis por aprender como viver de modo que agrade a Deus. Sem uma fundação sólida de conhecimento bíblico, nosso modo de ensinar pode facilmente se tornar tão deturpado como o da mãe de Mica.”

Dianne Neal Matthews, em “Um ano com as mulheres da Bíblia”

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Juízes. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

MATHEWS, Dianne Neal. UM ANO COM AS MULHERES DA BÍBLIA. Tradução por: Elisa Tisserant de Castro. Curitiba: Publicações Pão Diário, 2016. Dianne Neal Matthews, em “Um ano com as mulheres da Bíblia”

72. MULHER DA BÍBLIA: A concubina do levita

REFERÊNCIA BÍBLICA: Juízes 19:2-29, 20:4-6

SIGNIFICADO DO NOME: Seu nome não é mencionado

LOCAL: Belém de Judá, Montanha de Efraim e Gibeá

ÉPOCA: 1315 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Seu relacionamento com Deus não ia bem, ou ela vacilou em sua fé.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • PAI: Homem de Judá

  • ESPOSO: Um levita

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: O homem com quem adulterou, homens de Gibeá que a estupraram.

RESUMO DA VIDA:

Mulher judia que foi tomada como concubina de um levita, que morava na Montanha de Efraim. Ela adulterou com outro homem e fugiu, voltando para a casa de seu pai. Seu esposo a tomou de volta, mas ela não chegou a voltar para casa. No meio do caminho os homens de Gibeá a estupraram e ela morreu. Seu corpo foi esquartejado em 12 partes e enviado para as 12 tribos de Israel. Depois disso, 11 tribos de Israel iniciaram uma guerra contra os homens de Gibeá, que receberam o apoio de sua tribo, Benjamim. Por pouco a tribo de Benjamim não foi extinta.

PROPÓSITO:

  • Mostrar as consequências tenebrosas do pecado.

DEVO EVITAR:

  • Não posso adulterar.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Juízes. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

73. MULHERES DA BÍBLIA: Mulheres de Jabes-Gileade e de Sião

REFERÊNCIA BÍBLICA: Juízes 21

SIGNIFICADO DO NOME: Seus nomes não são mencionados.

LOCAL: Jabes-Gileade, Sião e Benjamim

ÉPOCA: 1315 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • A Bíblia não menciona o relacionamento delas com Deus

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • PAIS: Manassitas orientais e judeus

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: Benjamitas

RESUMO DA VIDA:

As moças de Jabes-Gileade e de Sião foram casadas de um modo diferente. Elas foram dadas aos benjamitas restantes, como forma remediadora e urgente de gerar e multiplicar a tribo que quase entrara em extinção. Todo o episódio iniciou com o pecado da concubina do levita que havia cometido adultério (Jz), agravou com o ato pecaminoso dos gibeonitas e da posição dos benjamitas apoiando o erro deles. As 10 tribos de Israel lutaram contra os benjamitas e mataram a quase todos, de forma que sobrou pouco mais de 400 benjamitas. Como os guerreiros das 10 tribos fizeram um voto de não entregar suas filhas a eles, eles procuraram quais das cidades de Israel não fizera o voto, acharam a Jabes-Gileade – uma cidade que pertencia à meia tribo de Manassés oriental. Quando perguntaram porque os guerreiros de Jabes-Gileade não comparecera à convocação de guerra, resolveram matar a toda a cidade preservando somente as moças virgens. 400 moças foram entregues a 400 benjamitas. Como sinda ficou benjamitas sem mulher, lembraram do festival de dança realizado pelas moças de Sião. Nessa festa, os benjamitas solteiros foram autorizados a raptar uma dançarina para que fosse sua esposa.

PROPÓSITO:

  • As jovens de Jabes-Gileade e de Sião foram incumbidas de gerarem filhos para dar continuidade à tribo de Benjamim.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

MULHERES EM JUÍZES

NOMES

ANÔNIMAS

TEMA FEMININO

  1. Acsa

  2. Débora

  3. Jael

  4. Dalila

  1. Filhas dos cananeus, hititas, amorreus, ferezeus, heveus e jebuseus casadas com os israelitas

  2. A mãe de Sísera

  3. As damas da mãe de Sísera

  4. As esposas e concubinas de Gideão

  5. A mãe de Abimeleque

  6. Mulheres de Siquém

  7. Mulheres de Tebes

  8. A mulher de Tebes

  9. A prostituta, mãe de Jefté

  10. A esposa de Gileade

  11. A filha de Jefté

  12. As 30 filhas de Ibsã

  13. A mãe de Sansão

  14. A mãe de Sansão

  15. A esposa de Sansão

  16. As mulheres filisteias no templo pagão

  17. A mãe de Mica

  18. A concubina do levita

  19. Mulheres de Jabes-Gileade

  20. As quatrocentas virgens de Jabes-Gileade

  21. As moças de Siló

1. Proibição dar filhas em casamento aos benjamitas

74. MULHER DA BÍBLIA: Noemi

REFERÊNCIA BÍBLICA: Rute 1:1-22; 2:1-2, 6, 18-23; 3:1-6, 16-18; 4:3, 5, 9, 14, 15-19

SIGNIFICADO DO NOME: Agrado, beleza, graça

LOCAL: Belém de Judá e Moabe

ÉPOCA: 1268 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Mulher temente e serva de Deus.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • ESPOSO: Elimeleque;

  • FILHOS: Malom e Quiliom;

  • NORAS: Rute e Orfa;

  • PESSOAS ENVOLVIDAS: Boaz, belemitas, vizinhas, Obede.

RESUMO DA VIDA:

Noemi saiu de sua terra, Belém, na tribo de Judá, a destino de Moabe, como esposa de Elimeleque e mãe de Malom e Quiliom. Anos depois, voltou como viúva, desfilhada, amparada por uma sua nora, Rute. Suas vizinhas e amigas tentaram consolá-la, mas pouco podiam fazer. Rute encontrou um trabalho no campo de Boaz, um parente próximo do falecido esposo de Noemi. Esta, então, se encheu de esperança ante a possibilidade de Boaz se casar com Rute e lhe dar um netinho. Ela deu um bom conselho à sua nora e depois quando todo o conselho produziu seu efeito, ela pôde se alegrar com os resultados: ela se tornou a ama do filho de Boaz e Rute, Obede.

PROPÓSITO:

  • O propósito de vida de Noemi foi o de ser mulher, esposa, mãe, sogra, viúva e avó, de fé exemplar.

DEVO IMITAR:

  • Posso influenciar as pessoas ao meu redor com o meu testemunho, atraindo-as a Deus;

  • Devo me inspirar no altruísmo e amor de Noemi nos relacionamentos.

DEVO EVITAR:

  • Em tempos de crise não preciso me afundar em tristeza. Devo me lembrar que essa é uma fase ruim e que ela será superada.

DESTAQUE

“Ao longo da vida, Noemi precisou descer do alto da sua felicidade e cair no vale profundo e sombrio da tristeza. […] Porém, louvado seja o Senhor! Ele não deixou Noemi em seu vale de desespero, desânimo e pobreza.”

Elizabeth George, em “Mulheres que amaram a Deus”

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

GEORGE, Elizabeth. MULHERES QUE AMARAM A DEUS. Tradução: Maria Emília de Oliveira. Campinas, SP: Editora United Press, 2001.

75. MULHER DA BÍBLIA: Rute

REFERÊNCIA BÍBLICA: Rute 1:4,6-19,22; 2:2,3,5-23; 3:1-18; 4:5,10,11,13,15

SIGNIFICADO DO NOME: Para alguns “Companheira”, para outros o significado do nome é desconhecido.

LOCAL: Moabe e Belém de Judá

ÉPOCA: 1268 a.C.

RELACIONAMENTO COM DEUS:

  • Uma serva fiel do SENHOR.

RELACIONAMENTOS COM O PRÓXIMO:

  • SOGRA: Noemi

  • ESPOSO: Quiliom

  • REMIDOR: Boaz

  • FILHO: Obede

  • PESSOAS ENVOLVIDAS:

RESUMO DA VIDA:

A história de Rute se divide em 4 partes:

  1. Rute, uma moabita (Moabe era filho de Ló e sua filha), se casa com o judeu, Malom, filho de Noemi. Malom morre e Rute decide acompanhar Noemi, sua sogra israelita, para Belém, na nação de Israel.

  2. Rute passa a trabalha nos campos de Boaz e recebe os cuidados dele.

  3. Ouvindo o conselho de Noemi, Rute vai ao eirado, onde Boaz estava e pede para ser redimida.

  4. Boaz se torna o remidor de Rute, se casam e têm um filho chamado Obede.

PROPÓSITO:

  • Mostrar que Deus é o Deus da Providência, o Deus que muda a sorte e o Deus da graça;

  • Evidenciar a amizade sem interesses entre duas mulheres de nações, culturas e idades diferentes;

  • Provar a importância e o valor da redenção, no qual Boaz figura a Cristo.

DEVO IMITAR:

  • Devo imitar a coragem, amor, humildade e lealdade de Rute, mesmo em tempos de crise;

  • Preciso desenvolver dedicação e respeito por minha sogra;

  • Posso desenvolver a mesma fé de Rute, confiando a Deus meu futuro e escolhendo servi-lo para sempre;

  • Devo ser diligente, disposta e trabalhadeira;

  • Devo me tranquilizar quanto as recompensas que Deus me dará pela minha fidelidade a Ele.

DESTAQUE

“Deus veio à Terra como Jesus Cristo para se tornar nosso parente resgatador. Por meio de sua morte, Ele nos comprou do pecado e nos reivindicou como Suas. Ele deliberadamente cumpre o papel de protetor e provedor e possibilita que tenhamos vida nova. E tudo começa quando lhe pedimos que estenda Sua capa sobre nós.

…estende a tua capa sobre a tua serva, porque tu és resgatador. Rute 3:9”

Dianne Neal Matthews, em “Um ano com as mulheres da Bíblia”

REFERÊNCIAS CONSULTADAS:

A BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA: Nova Versão Internacional/edição autorizada da obra de Edward Reese (org.); tradutor Judson Canto (títulos e textos explicativos). São Paulo: Editora Vida, 2003.

BÍBLIA DE ESTUDO DA MULHER DE FÉ: Nova Versão Internacional. Editora Geral: Jean E. Syswerda. Tradução: Cecília Eller. São Paulo: Editora Vida, 2014.

CHAMPLIN, Russell Norman. DICIONÁRIO A-Z. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 6 e 7.

CHAMPLIN, Russell Norman. O ANTIGO TESTAMENTO INTERPRETADO: VERSÍCULO POR VERSÍCULO: Juízes. São Paulo: Hagnos, 2001. Vol. 2.

MATHEWS, Dianne Neal. UM ANO COM AS MULHERES DA BÍBLIA. Tradução por: Elisa Tisserant de Castro. Curitiba: Publicações Pão Diário, 2016. Dianne Neal Matthews, em “Um ano com as mulheres da Bíblia”

📎 PDF – MAIO